quinta-feira, 27 de agosto de 2009

HIGIENE MENTAL

Objetivos: o pensamento é energia que se exterioriza e cria sintonia com outras mentes, sejam encarnadas ou desencarnadas. Este pode ser também fonte geradora de desequilíbrios, doenças e acontecimentos negativos.
Higiente mental é avaliar os tipos de pensamentos que temos, qual seu tipo de energia, se positiva proporcionando equilibrio, paz, saúde, amor, ou negativa estimulando o egoísmo, a falta de fé, a avareza, a doença do corpo e o desequilibrio do ambiente. “O pensamento é exteriorização da mente, que independe da matéria e por sua vez é originado no Espírito”.
 O Espírito possui a faculdade mental que expressa o pensamento em todas as direções, utilizando-se do cérebro humano para comunciar suas ideias com as demais pessoas.
 Disciplinar e edificar o pensamento através da fixação da mente em ideias superiores da vida, do amor, da arte elevada, do bem, da imortalidade, constitui objetivo moral da reencarnação, de maneira que plenitude, a felicidade sejam a conquista a ser lograda. Pensar bem é fator de vida que propicia o desenvolvimento, a conquista da vida.” (Autodescobrimento, Joanna de Ângelis, cap. 2, item pensamento).Bibliografia:FRANCO, Divaldo P. Equipamentos existenciais. In: _____. Autodescobrimento: uma busca interior.MENEZES, Frederico. Sombras. In: _____. Ajuda-te.SIMONETTI, Richard. Carnaval - motivação diferente. In: _____. Temas de hoje problemas de sempre.TEIXEIRA, José R. Exercícios psíquicos. In: _____.Educação e vivência.XAVIER, Francisco C. O poder das trevas. In: _____. Jesus no Lar._____. Pensamento e conduta. In: _____. Encontro marcado.
Desenvolvimento:Primeiro momento: distribuir aos evangelizandos pedaços de papel celofane de diversas cores (preto, vermelho, amarelo, azul, transparente). Pedir que eles andem pela sala, olhando através do papel colorido, dizendo baixinho como se sentem, olhando o mundo através daquela cor. Após alguns minutos, as crianças devem trocar os pedaços de papel com os colegas, diversas vezes, até que todos tenham observado a sala com todas as cores de papel.
Segundo momento: Indagar aos evangelizandos:
 Enxergaram bem com todas as cores?
 Era mais fácil de ver com alguma cor? Por quê? Com qual cor gostaram mais? Por quê?
Terceiro momento: O evangelizador deve ajudar os alunos a concluir que era difícil enxergar através do preto, que tudo parecia triste; que através do amarelo as coisas pareciam ter cores que não possuem; que quanto mais escura a cor (vermelho, azul), mais difícil de ver; que através do papel celofane transparente era possível perceber melhor os objetos, os outros papéis coloridos e a expressão dos colegas. A idéia é comparar as cores com os sentimentos que temos: preto - tristeza; vermelho - euforia, agitação; azul claro - calma; transparente - paz, harmonia - melhor maneira de ver as coisas.
Quarto momento: explicar que os papéis celofane simboliza como cada pessoa vê a vida e o mundo conforme os sentimentos que possui. Por isso as pessoas percebem de diferentes maneiras as mesmas coisas, como se cada uma olhasse através de uma folha colorida diferente.
Quinto momento: lembrar a importância do pensamento e das palavras, modos como expressamos os sentimentos que temos no coração. O pensamento positivo é um hábito que se adquire praticando. Através do pensamento é que se originam nossas atitudes, por isso a importância dos pensamentos otimistas. Pensamentos negativos, pessimistas, são como lixo: poluem a mente e o corpo, ocasionando sensações ruins.

Mas como ter pensamentos bons? Procurando ver sempre o lado bom das coisas, escolhendo coisas construtivas para fazer, leituras edificantes, brincadeiras e conversas positivas (sem fofocas, brigas, brincadeiras de guerra ou filmes de terror); estando em sintonia com a Espiritualidade Superior através da prece, sendo otimista. Perante as dificuldades nossas atitudes devem ser de fé e confiança em Deus, crença em si mesmo (nas capacidades que possuímos), oração e vontade de agir corretamente.

Sexto momento: Distribuir revistas, tesoura e cola. Cada criança deve escolher uma figura e escrever, em pequenos pedaços coloridos de cartolina, sentimentos, pensamentos, atitudes e fatos positivos e negativos. Ao final, em uma folha de cartolina colar, de um lado, os sentimentos positivos e do outro os negativos, assim:Paz/TristezaAlegria/SolidãoConversar com os amigos/Fazer mal aos outrosEstar com a família/GuerrasAvaliação do Evangelizador:A participação de todos foi completa, com várias crianças ajudando outras e escolher figuras e também dando sugestões sobre quais figuras deveriam ser coladas. Neste dia a turma era grande, e o cartaz ficou muito rico.
Anexos (histórias utilizadas, descrição de técnicas, músicas, jogos, etc.)

PENSAMENTO E CONDUTA(Emmanuel)Nem sempre estamos habilitados a eleger o nosso ambiente mais íntimo, na experiência cotidiana.Às vezes, somos constrangidos a suportar certos quadros de luta ou partilhar o convívio de pessoas que não se nos afinam com a maneira de ser, em razão dos compromissos que trazemos de existências passadas. Entretanto, em qualquer situação, somos livres para escolher os nossos pensamentos.Cada inteligência emite idéais que lhe são peculiares, a se definirem por ondas de energia viva e plasticizante, mas se arroja de si essas forças, igualmente as recebe, pelo que influencia e é influenciada.Ainda mesmo por instantes, toda criatura, ao exteriorizar-se, seja imaginando, falando ou agindo, em movimentação positiva, é um emissor atuante na vida, e, sempre que se interioriza, meditando, observando ou obedecendo, de modo passivo, é um receptor em funcionamento.Aqueles que se desenvolveram mentalmente, atingindo a esfera das criações sugestivas, assumem o papel de orientadores, adquirindo responsabilidades mais vastas pela facilidade com que articulam programas de rumo para os outros.Cada qual expõe o que pensa pelo esforço que realiza: o cientista pela obra a que se consagra, o professor pelo que ensina, o escritor pelo que escreve, o comentarista pelo que fala, o artista pelo trabalho em que se revela.Analisemos, assim, aquilo que nomeamos como sendo nosso "estado de espírito". Tensão, dúvida, angústia, irritação, otimismo, coragem, confiança ou alegria são frutos de nossa preferência no mercado gratuito das idéias, de vez que o fio invisível de nossas ligações com o bem ou com o mal parte essencialmente de nós. Convençamo-mos de que a nossa mente possui muita coisa comum com o aparelho radiofônico. Emissões construtivas ou deprimentes, significando a carga sutil de sugestões boas ou más que aceitamos de companheiros encarnados ou desencarnados, alcançam-nos incessantemente e podem alterar-nos o modo de ser, mas não podemos olvidar que a NOSSA VONTADE É O SINTONIZADOR
.Do livro Encontro marcado. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

(CEMIL)

2 comentários:

  1. Ideia maravilhosa!!!
    Vou aplicar essa aula com minhas crianças!
    Adorei o blog, parabéns!!! Volto com certeza para aprender mais.
    Que Jesus a ilumine.

    ResponderExcluir