domingo, 17 de junho de 2018

PRECE -: COMO ORAR



Faixa Etária: 07 a 12 anos

TEMA: DEUS - JUSTIÇA SUPREMA PRECE: COMO ORAR

SUBSÍDIOS: O Evangelho Segundo o Espiritismo - Allan Kardec Capítulo XXVII - Qualidades da Prece

OBJETIVOS: 01) Fazer com que a criança reflita sobre as suas necessidades materiais e espirituais, levando-as a entender que Deus não castiga ninguém, que todos tem problemas e que devemos administrá-los da melhor forma possível, valorizando o que possuímos. 02) Falar sobre a simplicidade das orações. 

DESENVOLVIMENTO:

 Contar a seguinte estória:

Rodrigo era uma menino que estava sempre muito triste. Reclamava de tudo o que tinha, nunca estava contente com nada. Tinha muitos amigos com os quais brincava todos os dias. Uma tarde, estava conversando com dois deles, Juliana e Leonardo: Rodrigo: Estou muito triste com Deus! Juliana: O que aconteceu, Rodrigo? Rodrigo: Minha mãe falou, que a gente tem que orar todos os dias, e pedir a Deus tudo o que a gente quer. Faço isso sempre, mas parece que está não dando muito certo! Leonardo: Bem, depende de como você está se comportando. Minha tia sempre diz para o meu primo João, aquele bagunceiro, sabe: " - Se você não fizer tudo direitinho, o Papai do Céu vai te castigar! Você não vai ter nada do que você pedir!". Rodrigo: Ah! Eu acho que estou me comportando, e muito bem. Vou todos os dias à igreja, na mesma hora, quando saio da escola, e fico lá mais de meia hora lendo um livrinho de orações que eu ganhei. Você precisa ver cada coisa bonita que está escrita. Eu acho que ele deve estar gostando do que eu digo, ou será que não está? Juliana: Eu acho que não é nada disso do que vocês estão dizendo. Meu pai sempre fala que Deus não castiga ninguém, e que não quer ouvir só palavras bonitas. Ele quer apenas que sejamos sinceros quando fazemos as nossas orações. Não precisamos sair de casa para orar. Basta ficar quietinho num canto e pensar em Jesus! Rodrigo: Ah! Eu pensei que ele gostasse só de ouvir palavras bonitas... Bom, mas mesmo assim ele não está me atendendo. Eu sempre peço para o meu pai ganhar na loteria e a gente ficar muito rico, para eu poder comprar todos os brinquedos que eu quero, mas isso nunca acontece. Me sinto tão infeliz por causa disso!!! Juliana: Infeliz!, Rodrigo! Você já pensou nas coisas boas que você tem? Pai, mãe, irmãos, amigos, todos com saúde. Você é perfeito, pode crescer, trabalhar e ganhar muito dinheiro! Já pensou no Leonardo aí, que além de não ter os pais e nem um irmão, mora com a avó velhinha e doente! Leonardo: É mesmo Juliana. A minha avó até tem dinheiro, nós não passamos necessidades, mas não é fácil pensar que vou ficar sozinho quando ela morrer. Peço sempre nas minhas orações que Deus deixe ela ainda muito tempo comigo! Rodrigo: É, acho que estou pedindo muito... Preciso pensar melhor antes de fazer os meus pedidos. Juliana: Deus é muito justo. Não faz diferença entre as pessoas. Ele sabe o que cada um de nós precisa. Muitas vezes pedimos uma coisa e ele nos dá outra. Rodrigo: Você tem razão. Nunca tinha pensado nisso antes. A partir de agora vou passar a pedir saúde para os meus pais e irmãos! Juliana: Lembrem-se sempre que Deus gosta das coisas simples, sabe das nossas necessidades, ama todas as pessoas deste mundo igualmente, aceitando-nos com nossas qualidades e defeitos! 

4 - AVALIAÇÃO: Fazer comentários e perguntas sobre o texto, enfatizando os objetivos. 

5- FIXAÇÃO: Pedir para que a criança reflita sobre suas necessidades e treiná-las a fazer uma oração simples. Perguntar se alguma criança quer fazer a oração em voz alta, caso contrário, proporcionar apenas um momento de silêncio. Dramatização com o conteúdo do texto, feita pelas próprias crianças. 

SUGESTÕES: - Utilizar teatro de varetas, sombra ou fantoches. - Usar música durante o treino da oração para melhor concentração.


 OBSERVAÇÕES: Estas são apenas sugestões. O evangelizador deve preparar a aula de acordo com a sua criatividade.

ALLAN KARDEC




quinta-feira, 14 de junho de 2018

CHUVA

Sugestão: Jardim e Primeiro Ciclo. 

Chuva 

Prece inicial 

Primeiro momento: contar a história As amigas nuvensPode ser usado os desenhos abaixo durante a narrativa, bem como outros formando uma linda paisagem. 

Lalá 

Lili 

Lulu



s amigas nuvens
Num cantinho do lindo céu azul moram várias nuvens. Lalá, Lili e Lulu são três nuvens amigas que costumam passear juntas pelo céu.
Elas também brincam de se esconder e de tomar a forma de animais e objetos, para divertir as crianças que moram na Terra. Você já parou para observar que, às vezes, as nuvens parecem que têm formatos de animais e coisas que conhecemos?
Em suas brincadeiras, elas também se tornam coloridas, com tons de cinza, rosa e azul e brincam de pega-pega, com a ajuda do amigo Vento.
Lalá, Lili e Lulu enfeitam o céu e passam as tardes a brincar e observar as crianças em suas brincadeiras. Mas, de tempos em tempos, elas têm que cumprir sua principal tarefa: encher as suas bochechas de vapor d’água e fazer chover. De longe as amigas vêem as pessoas, os animais e a natureza se beneficiando com a chuva feita por elas e ficam contentes por serem úteis, como tudo na natureza.
As três amigas nuvens sabem que a chuva é importante para molhar e fazer crescer as plantinhas, as flores e as árvores, encher de água os rios, de onde os animais e os seres humanos tiram água para matar a sede e tomar banho. Quando está calor, então, e cai uma chuvinha, para tornar mais fresco e agradável o dia... Que gostoso! Elas também adoram ficar expiando as crianças tomando banho de chuva!
De uns tempos pra cá, os seres humanos não têm protegido a natureza, cortando árvores e poluindo os rios e florestas, tornando mais difícil para as nuvens armazenarem vapores d’água para fazer chover. Quando fica muito tempo sem chover, tudo fica seco e sem cor: as plantas, as flores, os gramados...
Outro dia, as três nuvens amigas lembraram da última vez que choveram juntas: receberam, logo depois, a visita do amigo arco-íris! Foi uma tarde muito divertida e legal!

Claudia Schmidt 

Segundo momento: conversar com os evangelizandos. 
*Quem criou as nuvens? E a chuva? 
*A chuva é importante? Por quê? Sim, porque sem chuva (e sem água) a vida não existiria na Terra. 
*Que desenhos já viram formados por nuvens no céu? 
*Já observaram o arco-íris? 
*Quem criou tudo o que existe na natureza: as flores, as árvores, as plantas, os rios, as nuvens, o vento, os animais, as matas, as florestas? Deus 
Terceiro momento: descobrir que desenhos foram formados pelas nuvens, enfeitando casa uma delas. O evangelizador pode levar algodão colorido, gliter, purpurina para preencher as nuvens. Depois de prontas, colar as nuvens em palitos de picolé. 
Nuvem coração 

Nuvem peixe

Nuvem coelho



Nuvem feliz 




quinta-feira, 7 de junho de 2018

CULTO NO LAR


PAZ NESTA CASA

            Ao cair a noite, na pequena Vila dos Remédios, o céu, carregado de nuvens escuras, anunciava a grande tempestade que já vinha.
            Os moradores se achavam apavorados, pois na noite anterior houve uma grande festa, onde foram usadas muitas velas, e eles estavam sem o seu estoque comum.
            Logo, diante da tempestade, relâmpagos, trovões e ventania, as luzes dos casebres de toda a vila se apagaram e a escuridão de tudo se apossou.
            As crianças chorosas gritavam; os pais, em vão, tentavam achar uma vela que não fora utilizada na festa. Pai esbarrava no filho por não enxergá-lo, filho desesperado por se sentir desamparado diante do breu. Mãe nervosa, preocupada com a filha caçula que, por medo, não parava de chorar.
            A família de seu Joaquim, então, tomou uma decisão: saíram para a rua, buscando encontrar na vizinhança um lar que tivesse um tantinho de luz.
            Andaram, e por cada casa que passavam, mesmo antes de chegar, ouviam de longe o barulho da confusão: gritos, choros, coisas que se quebravam diante de algum esbarrão... Seu Joaquim e família continuavam a caminhar diante da ventania e da chuva forte que não parava. Buscavam sem cessar...
            Eis que, de repente, ao se aproximarem da casa de D. Luzia, que se localizava no alto do morro, observaram, felizes, que o silêncio reinava. Não ouviram gritos, lamentos, desequilíbrio. E o Seu Joaquim então, aliviado concluiu:
            - Graças a Deus! Na casa de seu Clarêncio certamente tem um gerador, apressemos o passo, vamos pra lá.
            E Dona Ana, sua esposa, acrescentou:
            - É verdade, eu até ouvi dizer que Luzia tem um parente que trabalha na central elétrica, vai ver que é por isso que lá não falta luz.
            E assim, a família de seu Joaquim se aproximou do lar de Clarêncio.
            Porém, ao se aproximarem, com surpresa, perceberam que lá também havia falta de energia elétrica. E então não entenderam o silêncio que ali existia. Preocupados, bateram na porta, já imaginando que uma tragédia havia acontecido com a família de Luzia.
            Logo, a porta se abriu e estranhamente, a pequena Clara surgiu. A criança não parecia temer o escuro e reconhecendo de imediato a família de Seu Joaquim, com um tom leve, sugerindo que sorria, convidou os visitantes a entrarem.
            A família, preocupada, e sem nada entender, foi logo entrando e perguntando:
            - Que acontece nesta casa, que ninguém se apavora com a tempestade e com a escuridão? Não vejo vela ou lampião.
            Sr. Clarêncio, dando as boas vindas, convidou os vizinhos a se acomodarem, explicando:
            - Estamos reunidos em família, em oração. Sempre fazemos isso, assim mantemos o equilíbrio e a razão, e dessa forma, não tememos as tormentas, nem a escuridão, pois buscamos a Luz Divina que emana do coração.
            - Sente-se aqui conosco, meu irmão!
            Clarinha, rapidamente, pega as mãos das três crianças recém-chegadas, anunciando feliz:
            - Venham! Hoje papai vai contar uma linda história do jovem samaritano, e se vocês ficarem calmas, daqui a pouco, seus olhos se acostumam com o escuro, e já vão conseguir enxergar bem, como eu estou vendo agora.
            E as crianças, então pouco a pouco, foram se acalmando, e esperando ansiosas a linda história prometida, preparando-se para o Culto no Lar.
            Após este dia, todos da redondeza que se aproximavam da casa de Clarêncio, repetiam:
            - Naquela casa há Luz!
            Quantas famílias temos observado, vivendo em profunda escuridão, sem diálogo, sem compreensão, sem afeto, sem atenção, solidão.

“CULTO NO LAR”
Com mais ênfase vamos propagar, pois ele é eficaz gerador trazendo luz, equilíbrio e amor.
Todos reclamam da violência, drogas, roubos, ódio, matança.
A solução se acha na família, pois o futuro é a nossa criança.
Não adianta insistir em segurança, ou construir segura, enorme prisão, se não damos amor à criança se não impomos limites, disciplina, educação.

“Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.”
(Jesus – Mateus 5:15)
AOS PAIS
            O culto no lar é necessidade imperiosa, pois “o berço doméstico é a primeira escola e o primeiro templo da alma. A casa do homem é a legitima exportadora de caracteres para a vida comum. Como esperar uma comunidade segura e tranqüila sem que o lar se aperfeiçoe?”
(Néio Lúcio / Luz no Lar)

quarta-feira, 30 de maio de 2018

CUIDADO COM O CORPO



CONTEÚDO
·   Cuidado com o corpo

IDADE  7 anos

OBJETIVOS
·  Dádiva Divina; Nosso corpo é uma dádiva Divina, é um presente de Deus.
· Como devemos cuidar do nosso corpinho.

MATERIAL NECESSÁRIO
· HISTORIA (ANEXA)
· ESPELHO


DESENVOLVIMENTO
PRECE INICIAL

1ª PARTE
Levar um espelho para que as crianças possam se observar, lembrando que cada parte de nosso corpo exerce uma função muito importante, pois é através dele que podemos sentir os cheiros das coisas, ouvir, olhar as belezas que Deus criou, sentir o paladar, caminhar, entre tantas outras coisas.
          Lembrar que o corpo que hoje usamos foi presente de Deus, por isso devemos ter muito cuidado com ele. Que cada um tem o corpo que precisa para evoluir.

2ª PARTE

Questionar:

Quais são os cuidados que devemos ter com o nosso corpo físico?

          - Cuidados com a higiene: tomar banho, cortar as unhas, escovar os dentes, cortar os cabelos, lavar as mãos, etc.

          - Cuidados com a alimentação: comer alimentos saudáveis como frutas e verduras, evitar o excesso de guloseimas (chocolates, balas, salgadinhos).

          - Cuidados com a saúde: tomar cuidado com a higiene e a alimentação, cuidar para não se machucar quando brincar, evitar o excesso de sol, tomar vacinas, praticar exercícios físicos, ir ao médico e ao dentista quando necessário e outras atitudes que contribuem para se preservar a saúde do corpo físico.

3ª PARTE

Todas as pessoas são Espíritos?

          Eu sou Espírito? E meus pais? E meus irmãos, parentes, avós, bisavós? E meus amigos?

          Aquelas pessoas que temos alguma dificuldade de relacionamento, que não gostamos muito, também são Espíritos?

          Quem tem avó, bisavó vivos? E se eles já desencarnaram, o que são? São Espíritos.

          Onde moram esses Espíritos desencarnados? No Mundo Espiritual.

          O que acontece com o Espírito depois da morte do corpo físico? O Espírito continua vivo e mora no Mundo Espiritual.

          
Segundo momento: continuar o diálogo, entrando no assunto da aula: corpo físico
Se somos Espíritos, qual a utilidade do corpo físico? É morada do Espírito. O Espírito precisa do corpo para realizar a sua evolução na Terra. Devemos cuidar muito bem do nosso corpo, pois ele é um presente de Deus para nós. Cada parte do corpo é importante e tem uma função.

          Conclusão: cada pessoa é um Espírito e tem um corpo físico para viver na Terra e evoluir.
Quem escolhe o nosso corpo?

          Muitos Espíritos escolhem o próprio corpo no Plano Espiritual. Os nossos irmãos que trabalham no Mundo dos Espíritos escolhem o corpo físico daqueles Espíritos que não estão em condições de escolher as características de seu próprio corpo. Cada um tem o corpo físico mais adequado para a missão que tem nesta reencarnação, para o que tem que aprender ou consertar. Por isso pode não ser um corpo perfeito.

          O que não é um corpo perfeito? É o corpo que necessita de algum cuidado especial. Normalmente é um espírito corajoso, que vem com alguma necessidade, para não cometer os mesmos erros. Mas também pode ser que o Espírito tenha pedido/escolhido passar por determinadas necessidades para evoluir mais rapidamente.

          
Não devemos julgar ninguém. Cada Espírito (cada um de nós) tem o corpo mais adequado para a missão que tem que desenvolver na Terra: evoluir.

4ª PARTE
Perguntar se alguém já teve vontade de mudar alguma coisa no seu corpo físico. Alguém quis ser mais alto, mais baixo ou ter o cabelo de outra cor? Contar a história  (ANEXA)

Prece

Bibliografia:
HISTORIA:

 DEUS RESPONDE SEMPRE


          Quantas vezes você já dirigiu uma prece a Deus e não recebeu resposta?

          Não é raro pedirmos pela recuperação da saúde de um familiar, e mesmo assim ele morre.

          Acreditamos que Deus não nos ouviu.

          Pedimos auxílio ao Pai celestial para as nossas dores. E muitas vezes as dores aumentam, levando-nos quase ao desespero.

          No entanto, os que têm fé afirmam que Deus sempre responde às nossas orações. Será mesmo?

          Emy tinha apenas 3 anos de idade. Vivia em um lugar maravilhoso dos estados unidos, em frente ao mar.

          Sua família era cristã. Ela fora alimentada, desde o berço, por orações e Evangelho.

          A família ia ao templo religioso e fazia, no lar, o estudo sistemático do Evangelho.

          Emy amava sua família e admirava os olhos azuis de seu pai, de sua mãe e de seus irmãos.

          Todos, em sua casa, tinham olhos azuis. Todos... menos Emy!

          O sonho de Emy era ter olhos azuis da cor do céu. Como ela desejava isso!

          Certo dia, na escola de evangelização, ela ouviu a orientadora dizer que Deus sempre responde a todas as orações. Passou o dia pensando nisso.

          À noite, na hora de dormir, ajoelhou ao lado da sua cama e orou.

          Sua prece foi um misto de gratidão e de solicitação: “Senhor Deus, agradeço porque você criou o mar que é tão grande. Tão bonito e tão feroz. Agradeço pela minha família. Agradeço pela minha vida. Gosto muito de todas as coisas que você faz. Mas, eu gostaria de pedir, por favor, quando eu acordar amanhã, descobrir que os meus olhos ficaram azuis como os de minha mãe.”

          Ela acreditou que daria certo. Teve fé. A fé pura e verdadeira de uma criança.

          Pela manhã, ao acordar, correu para o espelho e olhou. Abriu bem os olhos e qual era a cor deles?

          Bem castanhos! Como sempre haviam sido.

          Bom, naquele dia, Emy aprendeu que “não” também era resposta. Do mesmo modo, agradeceu a Deus. Mas não entendia muito bem porque ele não a atendeu.

          Os anos se passaram. Emy cresceu e se tornou missionária, na índia.

          Entre outras atividades, ela se devotou a resgatar crianças que eram vendidas pelas suas próprias famílias, que passavam fome.

          Para isso, ela precisava entrar nos mercados infantis, onde aconteciam as vendas.

          Naturalmente, para as comprar para Deus, como dizia, precisava não ser reconhecida como estrangeira.

          Então ela passava pó de café na pele, cobria os cabelos, vestia-se como as mulheres do local.

          Desta forma, entrava nos mercados de crianças, podendo transitar tranqüila, pois aparentava ser uma indiana.

          Certo dia, uma amiga olhou para ela disfarçada e lhe disse: Puxa, Emy! Você já pensou como faria para se disfarçar se tivesse olhos claros como todos os de sua família?

          Que Deus inteligente, não? Ele deu a você olhos escuros, pois sabia que isso seria essencial para a missão que lhe confiou.

          O que a amiga não sabia é que Emy chorou muitas noites, em sua infância, por não ter olhos azuis...
***
         Deus está no controle de tudo. Ele conhece cada lágrima que já rolou dos seus olhos.

          Ele sabe que talvez você desejasse olhos de outra cor, ou cabelos mais lisos, ou encaracolados, ou mais espessos.

          Não chore se os seus olhos continuam castanhos ou azuis, ou pretos, e você os deseja de outra cor.

          Não se entristeça se você ainda não foi atendido como gostaria.

          Tenha certeza: Deus tem o controle de tudo.

          E o “não” de Deus, hoje, em sua vida, é o melhor para você.