quinta-feira, 23 de junho de 2011

JESUS EM NOSSAS VIDAS



OBJETIVO:
Mostrar Jesus a luz da Doutrina Espírita. Não como nosso Deus e sim como um
irmão mais evoluído, que cuida para que cheguemos à compreensão de Deus.
Mostrar que podemos encontrar a paz e a felicidade nas nossas vidas seguindo os ensinamentos que Jesus nos propôs, sem rituais ou práticas exteriores, e sim, renovando as nossas atitudes para o nosso bem e para o bem do próximo.

TÉCNICAS:
Exposição; trabalho em grupo; leitura; discussão filosófica.

RECURSOS:
Cartaz; fichas numeradas; imagens impressas; textos impressos; lápis; papel,
efeitos visuais.

INTRODUÇÃO
Escrever no quadro as seguintes perguntas:
Quem é Jesus? Como Jesus pode fazer parte de minha vida?
Desenvolvimento:
· Entregar a ficha numerada para todos os alunos.
· Entregar uma folha de papel em branco para cada aluno e pedir que eles coloquem o seu nome e data.
· Peçam que respondam por escrito as perguntas do quadro.
· Chamar 3 números, e os alunos que tiverem a ficha correspondente ao número chamado irá a frente para falar o que escreveu.
· Após as apresentações o evangelizador deve relatar como foi a vinda de Jesus. A cada relato de uma passagem solicite a um aluno o que acha.
- Nasceu em uma família humilde. Cresceu como uma pessoa normal. Quando adulto começou a sua missão.
- Passou a ensinar à Humanidade como viver neste mundo e conviver com os outros.
- Ensinou que o nosso Deus é um Deus de amor, que não castiga e que os sofrimentos do homem se devem ao próprio homem.
- Ajudou muitas pessoas, doentes, velhos, criminosos, prostitutas, etc.
- Ensinou que o maior mandamento é amar a Deus, de todo o seu coração, de toda sua alma e de todo seu entendimento.
- O segundo maior mandamento é amar o nosso próximo como gostaríamos de amar
a nós mesmos.
- Devemos amar os nossos inimigos.
- Também falou que só recebemos o que merecemos de acordo com as nossas obras.
- Jesus resumiu a vida do homem na Terra como um trabalhador da caridade. Fazer ao outro o que gostaríamos que nos fizéssemos.
- Para Jesus estar nas nossas vidas, não é preciso que digamos a todos que aceitamos Jesus, ou que acreditamos em Jesus.
- Jesus não criou nenhuma religião, não construiu templos, não usou da riqueza para ajudar, nem esperou que o necessitado lhe procurasse.
- A religião Cristã é importante quando ela proporciona ao Homem que ele se torne um homem melhor,para ele,para a sociedade e para Deus.
- Ter Jesus em nossas vidas é respeitar o próximo, as leis, a natureza e a nós mesmos,fugindo dos vícios e dos erros,procurando identificar os nossos defeitos e não os dos outros.
- Ajudar, Compreender, Amparar, Dar, Servir, não querer uma posição de destaque neste mundo, não querer o respeito humano e sim o da nossa consciência, ser uma pessoa correta,abrir o coração através da oração e do trabalho caridoso.

Conclusão:

Na impossibilidade atual de compreender a natureza divina, tomemos Jesus como nosso guia e modelo para a vida.

Jesus é um Espírito que evoluiu e se tornou perfeito. Comanda os destinos do nosso planeta Terra.

Anexo 01

Era uma vez um casal de ateus que tinha uma filha menor.
Os pais, por não acreditarem em Deus, nem em Jesus, jamais falaram sobre o assunto com a menina.
Ela nunca havia visto nem ouvido nada que se referisse ao Sublime Galileu, o bom Pastor.
Numa noite de temporal, um raio caiu sobre a casa e fulminou os pais diante dos olhos assustados da pequena,que tinha seis anos de idade naquela época.

A menina não tinha nenhum parente ou amigo, que a acolhesse e por isso foi encaminhada para a adoção.
Em pouco tempo ela ganhou um novo lar.
Sua mãe adotiva, por ser cristã dedicada, levou-a ao templo religioso para que a mocinha conhecesse as leis de Deus e ouvisse falar de Jesus de Nazaré, o Mestre que veio à Terra ensinar o caminho que conduz ao Pai.

Antes de entregar a criança à evangelizadora, a mãe teve o cuidado de explicar que a menina jamais havia escutado falar de Jesus e que ela, por favor, tivesse paciência.
O Natal estava próximo e, justo naquele dia, a aula seria sobre Jesus.
A moça, após receber todas as crianças com muito carinho e fazer a prece inicial, projetou uma imagem de Jesus na tela e perguntou a todos:
"Alguém sabe quem é esta figura?"
A menina foi a primeira a levantar o braço e falar com alegria:
Eu sei, eu sei tia! Esse é o homem que estava segurando na minha mão na noite em que meus pais morreram..."
Jesus é o amigo invisível que nos sustenta nas horas mais difíceis da jornada.
Como um Bom Pastor, ele conhece e vela por todas as suas ovelhas, independente de credo ou religião.
Estrela de primeira grandeza pode abarcar com Seu olhar de luz toda a humanidade e balsamizar com Seu amor as dores mais cruéis.
Divino Amigo. Está sempre atento aos apelos mais secretos vindos de corações dilacerados.
Médico das almas socorre aos primeiros gemidos, todos aqueles que O buscam com sinceridade.
Irmão Maior. Sabe entender e tolerar a rebeldia dos irmãos menores.
Mestre por excelência, não se cansa de ensinar as lições nobres que nos libertarão da ignorância e nos conduzirão a mundos celestes, nas muitas moradas da casa do Pai, que Ele mesmo está preparando para todos nós.
Companheiro dedicado, nunca abandona Seus irmãos matriculados na escola de redenção que se chama Terra.
Alma abnegada, ama sem discriminar e perdoa sempre. Compreende a pequenez humana e releva as fraquezas dela decorrentes.
Jesus é o farol sempre aceso a nortear os caminhos, do qual estamos há apenas uma oração de distância.
O amor de Jesus por Seus irmãos da Terra é tão grande que O fez sofrer a cruz.
Tolerar a dor...
Relevar o desprezo...
Dialogar com os presunçosos...
Ensinar os interessados...
Compreender os equivocados...
E, por fim, colocar-se como o Bom Pastor dizendo:
"Tende bom ânimo! Eu estou aqui". "Nunca estareis a sós."
(Texto Extraído do site Momento Espírita – Fed. Espírita do Paraná)z injusta...

TAREFA:
1. Faça um desenho de uma árvore sem folhas, apenas com galhos, no quadro ou
cartolina. Chame-a de Árvore da Paz.
2. Entregar 1 folha de 20 x 5 cm a cada aluno, com fita adesiva dupla face para posterior afixação no quadro, para escrever o que ele acha, em uma palavra,o que temos que ter para contribuir para a paz no mundo. O evangelizador pode entregar os papéis em formato de folha.
3. Chame pela ficha numerada o aluno para afixar o que escreveu em um galho e peça que explique o porquê da sua escolha.
Não importa se a palavra se repetir o que importa é o motivo pela qual o aluno escolheu a palavra.
4. Quando terminar, se a árvore estiver em uma cartolina, exponha em local publico

Arvore da Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário