domingo, 4 de setembro de 2016

GENEROSIDADE

Objetivo: Identificar na solidariedade a pratica da máxima do Cristo: "Ama o teu próximo como a ti mesmo".

ATIVIDADE INTRODUTÓRIA

Uma criança sai da sala. Esconde-se  bem um objeto pouco volumoso como, por exemplo, um envelope. A criança retorna à sala   para procurá-lo. Provavelmente terá dificuldade em achar.Combina-se, então cantar mais alto ou mais baixo, conforme a criança se aproxime ou se afaste do local do objeto escondido até que seja encontrado.

ATIVIDADE REFLEXIVA

Levar as crianças a perceberem a importância da colaboração de todos na situação apresentada.
Dar também exemplos do cotidiano.

Narrar: AS CINCO SEMANAS DE ALFREDO

Explorar o tema através de perguntas como:

- Como se sentiu o Alfredo quando soube que tinha de ficar cinco semanas na cama?
- Se você fosse o Alfredo, gostaria de ter ao seu lado os amigos?
- Para ajudar o Alfredo os amigos deixaram de fazer alguma coisa que gostavam  muito?
- Valeu a pena?
- Que sentimento os amigos tiveram com Alfredo?
- Você seria capaz de fazer o mesmo?
- Se você fosse o Alfredo, o que sentiria por esses amigos?

Concluir que:

Devemos ajudar as pessoas do mesmo modo que gostamos de ser ajudados.
A solidariedade é uma forma de mostrarmos o amor que sentimos.
As pessoas solidárias têm mais amigos.

ATIVIDADE CRIATIVA

Propor ao grupo confeccionar docinhos ou biscoitos para doá-los, por exemplo, a alguns idosos. As crianças preparam a massa (sem usar o fogo) e modelam os docinhos ou os biscoitos, como desejarem. Depois um adulto leva-os ao forno para assar, se for preciso.

AS CINCO SEMANAS DE ALFREDO

Fig.1- Era o primeiro dia de férias.
Ainda bem cedo os amiguinhos da Rua da Alegria já estavam a caminho da praia.
Levaram baldes, pás e forminhas para construírem seus castelos na areia.
As crianças moravam próximas e já tinham combinado muitas brincadeiras para as férias.
No dia seguinte Alfredo resolveu subir numa árvore carregada de frutas maduras.
Espichava-se para um lado... para o outro... e ia colhendo as frutas...
De repente, Alfredo perdeu o equilíbrio. Ploft! Caiu! O que aconteceu?

Fig.2 - Uma perna fraturada e engessada com cinco semanas na cama - disse o doutor.
- Não posso brincar, nem ir a praia! .. - Não posso brincar, nem ir a praia!... Nem mesmo sair da cama!... E nas férias! - falava triste o menino.
Os amiguinhos sentiram pena do Alfredo.
Reuniram-se e combinaram que todas as manhãs um deles ia ficar com o amigo doente para distraí-lo.
- E aos domingos, quem vai deixar de ir à praia para ficar com ele? - perguntou Helena
Todos se olharam. Foi a Rita, a menor do grupo, quem encontrou a solução.
- Alfredo vai ficar cinco semanas na cama. Nós somos cinco. Em cada domingo um de nós deixa de ir a praia e fica com nosso amigo. Pronto.
Todos concordaram. Assim, em cada manhã, Alfredo tinha ao seu lado um amigo para brincar.

Fig.3 - Helena fazia massa de biscoito e Alfredo cortava-a com forminhas em feitio de estrela, lua, balãozinho.
Depois era só assar com ajuda da mamãe e encher os potes para o lanche da tarde.

Fig.4 - Davi ensinava ao amigo muitas dobraduras: barco, avião, cachorrinho... E juntos criaram histórias com muitas aventuras.

Fig.5 - Com o Rubens Alfredo fazia quadrinhos com recorte e colagem de figuras de revista.
 
Fig.6 - Lauro armou com Alfredo grandes quebra-cabeças, formando lindas gravuras.

Fig.7- E até a Rita fez muitos bichinhos de argila e construiu com Alfredo um pequeno jardim zoológico.

Fig.1 (novamente) - A solidariedade daquelas cinco crianças ajudaram Alfredo a ser mais feliz, até que... Ele pôde tirar o gesso e voltar a andar e brincar com seus amigos.  












Nenhum comentário:

Postar um comentário