terça-feira, 20 de maio de 2014

IDOSOS E PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS





Objetivo:

Despertar a compreensão de que devemos tratar todas as pessoas com respeito, independente das diferenças ou idade.
-Sensibilizar a criança quanto ao trato com pessoas com deficiência.

CONTEÚDO
Q. 371 a 374, L.E: Respostas dos espíritos a Kardec sobre a idiotia (como a deficiência mental era chamada séculos atrás).“É uma expiação decorrente do abuso que fizeram de certas faculdades. É um estacionamento temporário”. Complementa dizendo:“O gênio se torna por vezes um flagelo, quando dele abusa o homem”.
Segundo a doutrina espírita, reencarnar com alguma deficiência é uma oportunidade abençoada de evolução, inclusive para os pais que assumem esta sublime missão.
Mesmo diante do turbilhão de dificuldades, um novo caminho pode ser trilhado quando se descobre que, apesar das limitações e de necessidades especiais, existe um potencial a ser desenvolvido e que deve ser estimulado por meio de uma educação que permita o aprendizado, além do amor, que é fator fundamental no desenvolvimento de qualquer criança. Mergulhando neste universo desconhecido por muitas pessoas e fugindo de regras consideradas normais pela sociedade.

Atividade Introdutória: 

Jogo “Encontre o objeto”.

O jogo deverá ser feito em trios.
Cada criança do trio fará um papel diferente: surdo-mudo, cego, ouvinte-visual.
A criança que for “ouvinte-visual” deverá sair da sala para que o objeto seja escondido pelo evangelizador.
As crianças que ficarem com o papel do cego e do surdo-mudo deverão ficar em lados opostos da sala, de modo que a criança “surda-muda” fique próximo da porta.
Após esconder o objeto o evangelizador terá que espalhar as cadeiras pelo meio da sala para que elas sirvam de obstáculo.

Quando a sala estiver pronta, a criança ouvinte-visual poderá entrar em sala. A criança surda-muda deverá explicar para a criança ouvinte-visual onde o objeto foi escondido através de mímicas. Assim que a criança ouvinte-visual compreender ela deverá atravessar a sala, pegar o objeto e entregar para criança cega que, por sua vez, deverá atravessar a sala desviando dos obstáculos. A criança ouvinte-visual deverá guiar a criança cega, dando dicas de onde pisar. Assim que ela atravessar a sala, ela devera entregar o objeto para criança surda muda.
Ganha a equipe que fizer o trajeto em menor tempo.

Como tratar pessoas com deficiência?

O evangelizador deverá entregar várias tiras de papel como maneiras de tratar pessoas com deficiência. Pedir que eles classificarem as dicas de acordo com  a deficiência.

Vídeo
Mostrar vídeo sobre acessibilidade e perguntar se eles observação isso na sociedade


Criação de Cartaz

As crianças deverão fazer um cartaz ressaltando o seu desejo sobre acessibilidade.


RESPEITO PELA DIVERSIDADE HUMANA É  PRIMEIRO PASSO PARA CONSTRUIRMOS UMA SOCIEDADE INCLUSIVA.

Não se apoie na cadeira de rodas, isso incomoda a pessoa com deficiência. Esse equipamento completa a sua mobilidade.
Para iniciar uma conversa com uma pessoa surda, acene ou toque levemente em seu braço.
Não é correto a utilização do termo surdo-mudo. Há pessoas que falam normalmente e as que falam pela língua de sinais.
Use naturalmente termos como “cego”, “ver” e “olhar”. Os cegos também os utilizam.
Ao conduzir uma pessoa cega, ofereça seu braço para que ela segure. Não a agarre nem puxe pelo braço ou pela bengala.
Não subestime a pessoa com deficiência intelectual. Dê-lhe atenção.
Cumprimente-a normalmente. Ajude somente quando houver necessidade ou quando for solicitado.
Não confunda deficiência intelectual com doença mental. A pessoa com deficiência intelectual compreende normalmente a sua realidade.
Ao chegar perto de uma pessoa surdo-cega, toque-a levemente nas mãos para sinalizar que está ao seu lado.
Alguns surdos-cegos comunicam-se colocando a mão em seu maxilar para senti a vibração do som que você está emitindo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário