quarta-feira, 13 de novembro de 2019

NEM SEMPRE POSSO OUVIR VOCÊS


Nem sempre posso ouvir vocês
                                                                                                                                                              ( Joy Zelonky )

                 Eu tinha medo de ser diferente demais das outras crianças para poder ser feliz um dia.
                 Uso um aparelho auditivo porque ouço muito mal. Quando era bem pequena, fui para uma escola especial, onde só havia crianças como eu. Depois comecei a frequentar uma escola comum.
                 No primeiro dia de aula, estava tão nervosa que mal consegui colocar o meu aparelho auditivo.
              Minha mãe ajudou-me a encontrar minha sala. Depois, foi para o trabalho.
                 __Olá – disse o professor, quase gritando. __ Sou o professor Vitor. Seja bem-vinda.
              __Olá ! Hum... Professor Vitor, não precisa falar tão alto. Nem tudo eu posso ouvir, mas posso ouvir bastante.
                 Ele sorriu para mim.
              Esta é a kim – disse para as outras crianças – Ela é sua nova colega.
                 A primeira aula foi de aritmética. O professor Vitor escreveu no quadro e as crianças que sabiam as respostas levantaram a mão.
                 Sou boa em aritmética. Logo ergui a mão.
                __ Kim?
                __ Oito tirando três são cinco.
                A classe toda caiu na risada.
                __ Está errado?
                __ Está certo - disse o professor, - Oito tirando três são cinco.
                __ Tirando – repeti.
                 O professor Vitor começou a escrever outro problema no quadro. Depois , com calma, virou-se para a turma:
                __ Eu uso óculos – disse. – alguns de vocês também usam. Os óculos nos ajudam a ver melhor.
                Senti meu rosto corar
                __ Os ouvidos de Kim não funcionam tão bem quanto os nossos – continuou ele. – Ela usa um aparelho auditivo para ouvir melhor, assim como nós usamos óculos para vê melhor. Mas, mesmo com aparelho, há muitos sons que ela nunca ouviu. Isso pode tornar difícil  falar. Agora que expliquei, espero que compreendam.
                Ao mesmo tempo que fiquei embaraçada, fiquei também contente porque o professor Vitor falou assim. Detesto que riam de mim.
                 Na hora do lanche, um menino chamado Erick sentou-se ao meu lado.
                __ O que é essa coisa no seu ouvido?
                __ É parte do meu aparelho auditivo, chamado molde de ouvido. Faz os sons ficarem mais altos.
                __ Oh, é mesmo? Pensei que  você era um robô.
                Levantei-me:
                __ Vejam só quem fala! E você que tem a boca cheia de metal?
                __É o aparelho pra corrigir os dentes... – ia dizendo Erick, mas eu já estava saindo da sala.
                Naquela noite, tive uma longa conversa com mamãe, enquanto trabalhávamos em nossa colcha.
                __ Sou a única pessoa no mundo com um aparelho auditivo – queixei-me. – E todos me tratam de maneira diferente por isso.
                __ Todas as pessoas têm algo diferente nelas – respondeu mamãe. —Tudo que precisam fazer é acostumar-se umas com as outras. [...]
                No dia seguinte eu estava no recreio quando uma bola caiu aos meus pés.
                __ Machucou? –gritou  Erick, aproximando-se.
                 Eu quase respondi: “! Por quê? Estava tentando?”
                 Em vez disso, joguei a bola para ele e disse:
                 __ Errou por pouco.
                Ele se aproximou:
                __ Posso ver seu aparelho auditivo?
                O molde do ouvido fez um ruído sibilante quando Erick o examinou. Ele esperou até eu recoloca-lo no ouvido e disse: 
                 __  É realmente interessante. Sabe, no princípio achei você muito esquisita. Mas agora,bem, estou contente porque está na minha classe.
                __ Obrigada. É difícil explicar mas  acho que sou um pouco diferente...
                __ Você não ouve nada sem o aparelho?
                __ Ouço um pouco. Ponha as duas mãos sobre os ouvidos e tente ouvir assim.
                Erick  experimentou.
                __ Dá pra ouvir, mas mal.
                __ É assim que eu ouço.
                __ Bom, você não é mais diferente do que eu, que uso aparelho nos dentes – disse Erick.
                __ Ou do que eu, que sou tão alta – disse uma menina chamada Sasha.
                __ Ou do que eu ,que sou filho adotivo – disse um outro menino, aproximando-se.
                __ Ou do que eu, que não tenho televisão em casa.
                De repente, estávamos cercados por uma porção de crianças, cada uma querendo contar a sua diferença.
                O sino tocou.
                Quando saímos correndo para a aula,eu fui reparando como cada criança corria de um modo diferente das outras.
                Não saí da escola, claro.



sexta-feira, 8 de novembro de 2019

DINÂMICA DO CORAÇÃO


DINÂMICA DO CORAÇÃO - FAMÍLIA

Peça para os jovens procurarem na figura corações iguais!!! Após alguns minutos teremos a resposta que não foi encontrado nenhum coração igual... assim é a nossa família, apesar de dentro do nosso lar termos gostos, jeitos, maneiras de se expressar semelhantes somos espíritos com características próprias.

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

VAMOS PASSEAR PELAS FLORES



Musica de Moacir Camargo
Colocar a musica para as crianças ouvirem, pedir para prestar atenção na letra, depois coloca de novo pedindo para que elas cantem juntos em seguida peça para que cada um falar quem que eles levariam para passear neste lugar tão lindo, deixe cada um falar...com certeza só vão falar daqueles que eles gostam(mãe,pai,irmão...) depois que todos falarem sugira para que eles levem aquele com quem ele não se da bem,peça para pensar na pessoa,pode ser mais de um e agora toque a musica com todos cantando juntos e imaginando todos aqueles que eles pensaram.
Objetivo: Sempre que possível procurar se entender com aqueles que não temos afinidades, pois um dos objetivos da reencarnação é estarmos nos reconciliando com os nossos adversários. Temos que respeitar o próximo, o seu gosto e pensamento, pois estamos sempre aprendendo uns com os outros.
Leila Loise

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

O JARDINEIRO E A PRINCESA


O JARDINEIRO E A PRINCESA( do Gigante Deitado, JERÔNIMO MENDONÇA )
TIJOLO DE AMOR: PALÁCIO LINDO, JARDIM LINDO
TIJOLO DE RAIVA, ÓDIO : CASEBRE FEIO, ÁRVORES SECAS

            Era uma vez uma jovem princesa que vivia em seu lindo castelo, muito bonita e vaidosa. Essa princesa tinha um hábito interessante, toda a noite, antes de dormir, abria a janela do seu quarto, fitava as estrelas e dizia:
“– Como sou poderosa! Como sou rica. Não existe ninguém mais poderosa do que eu por estas paragens, acho que sou a mais poderosa do planeta Terra.
Certa noite, a princesinha teve um SONHO REVELADOR, sonhou que dois anjos conduziam-na pelos braços, para além das estrelas, e pararam em uma casa maravilhosa, arquitetura divina, com belo jardim, pássaros e borboletas coloridas voando. E princesinha pergunta:
“– Quem é o dono dessa magnífica casa?”
            E o anjo respondeu:
“– Ah! Princesa, este castelo pertence ao seu jardineiro.”
“– Como? retrucou espantada, como pode isso? O meu jardineiro é um pobretão, ganha pouco, como pode ele ter uma casa linda no céu, se ele é pobre na Terra ?”
            E o anjo carinhosamente respondeu:
“– Calma, princesa, as casas aqui no céu são construídas com tijolos de amor, da prática da caridade na terra e o seu jardineiro humilde, pobre, quase analfabeto, sempre praticou muita caridade, cuida das flores com amor, a paciência  que ele tem para com a mãe paralitica, no leito há mais de 30 anos, e, com seu pouco salário compra leite, doces, comida e roupa aos favelados, aos órfãos, reza por todos os necessitados.” E a princesa mal acreditava em tudo que via e ouvia. E ela e o anjo continuaram a caminhar, quando de repente, a paisagem começa a mudar: o céu ficou escuro, plantas secas e um pobre casebre.       
            A princesa pergunta ao anjo:
“- De quem é esta choupana pobre?”
“- Olha, princesa, essa casa humilde e desprezível é obra sua”. Disse o anjo.
“- Como? Eu sou uma princesa! Minha estrutura é de nobre.” Retrucou a princesa.
            O anjo lhe respondeu: “–  Pobre filha, aqui de nada valem títulos, castelo...Você nunca deu um sorriso àqueles que lhe servem a mesa do jantar, vc nunca dirigiu um olhar de compreensão aos súditos da corte, vc nunca sujou seus pés indo ao encontro dos necessitados, nunca ajudou os pobres, nunca agradeceu a DEUS antes de dormir, vc está sempre irritada e negativa, os seus tijolos são de RAIVA, ÓDIO, então sua casa ficou FEIA. "
            “- Pobre amiga, nunca é tarde para uma RENOVAÇÃO  de estrutura”! Disse o anjo. Ao despertar de seu corpo físico, agradeça a DEUS, por esta revelação e passe a amar o seu próximo.
            A princesa, logo ao despertar, agradeceu a DEUS pelo sol, pelas flores, pelo vento, sorriu aos súditos,  foi ao jardim e ficou face-a-face com o jardineiro e perguntou-lhe com voz HUMILDE:
“- Jardineiro, amigo, o que devo fazer para mandar tijolos de luz para o plano espiritual?”
E ele humildemente respondeu: “- Quantos pés Deus lhe deu?"
."--Ah! é claro, 02 pés."
 "---Quantos pares de sapato você tem?”
"---Ah ! mais de 150 pares de sapato.
O jardineiro responde “- Pois é, princesa, conheço uma favela onde moças da sua idade têm feridas nos pés pelas estradas rodeadas de espinhos por não terem um simples tamanco para calçar! E quantos vestidos vc tem ? "
 " --- Tenho mais de 200, de todas as cores."
" ---- Pois é, a favela que mencionei, as moças não têm quase o que vestir."
            Assim, a princesa, ao ouvir as palavras do jardineiro, quis conhecer a favela e viu com quanta alegria recebiam o jardineiro. Recolheu seus sapatos, vestidos, cobertores, agasalhos, remédios, roupa, pão, comida e os distribuiu aos favelados, aparou as unhas de um paralítico, leu o Evangelho às pessoas, escovava os dentes das crianças, dava banho nos doentes, penteava-lhes o cabelo, impossibilitados que eram pelas mãos, e pregava as lições de Jesus.
  E seguiu passo a passo os exemplos do jardineiro por décadas e décadas. E assim, a princesinha do castelo passou a ser chamada de: " A DAMA DA CARIDADE ". 
            Quando a princesinha desencarnou, ela já havia construído um lindo castelo, uma mansão de luz, ao lado da casa do jardineiro.
            Você também pode fazer como a princesa e construir o seu lindo Castelo de Luz!
                                   Um abraço carinhoso desta aprendiz de jardineiro.




COMO TRABALHAR POESIA


  1-SARAU

NÚMERO DE PARTICIPANTES: individual

MATERIAIS: caixa de papelão,folha de  papel sulfite A4,lápis de cor, lápis preto,poemas.

COLOCANDO EM PRÁTICA

Dias antes da realização desta atividade peça aos alunos que pesquisem em casa com a ajuda dos pais, um poema. Logo após, redigem o material encontrado em uma folha de sulfite,colocam o nome e levam os trabalhos para a evangelização. Na data da dinâmica recolha todos os textos e coloque-os em uma caixa de papelão encapada previamente. Solicite às crianças que definam uma ordem para que, uma a uma “sorteie” um papel e leia-o em voz alta para a classe. Quando as poesias acabarem, a turma escolhe aquela com a qual mais se identificou e cada uma faz um desenho relacionado a ela. Por fim, organizam um mural com a produção.

2-VAMOS REESCREVER?

NÚMEROS DE PARTICIPANTES:grupos (2 4 alunos)

MATERIAIS:canetinhas coloridas,folhas pautadas, lápis preto, papel color set, poemas diversos.

COLOCANDO EM PRÁTICA

Divida a classe em grupos de 2 a 4 alunos e leia alguns poemas para todos. Aproveite para ensinar as crianças a declamar com entonação,pausa e ritmo. Entregue uma folha com os textos lidos anteriormente e peça que substituam determinadas palavras e versos por outros de criação própria, reescrevendo-os de forma coletiva. Então, reproduzem a obra no papel color set e colem-na em uma parede da sala de aula.

3- A RIMA DAS PALAVRAS

NÚMERO DE PARTICIPANTES: individual

MATERIAIS: borracha,canetinhas coloridas, folhas pautadas,lápis preto.

COLOCANDO EM PRÁTICA

Explique à classe que a rima é a correspondência dos sons finais entre as palavras ou entre dois  ou mais versos. Dê alguns exemplos para que esse conceito fique mais claro. Então estimule as crianças a escrever, em uma folha pautada 5 vocábulos quaisquer com as canetinhas coloridas,sendo um em cada linha. Depois, trocam os papéis com um colega para que este redija uma palavra que rime com a já escrita, como “amor” e “calor”. Logo após,solicite que leiam em voz alta as combinações que fizeram e produzam em duplas, um pequeno poema com elas.

Exemplos de poesias que pode ser trabalhada com as crianças:

-As partes da planta- Geni Chaves
-Resposta de Mãe – João de Deus
-Poesias do livro Pai Nosso, de Meimei
-Quadrinhas