segunda-feira, 16 de abril de 2018

segunda-feira, 9 de abril de 2018

DINÂMICA DO DESENHO




1ª etapa: Eu artista  
Desenhe as paredes de uma casa / desenhe porta e janelas nesta casa /
desenhe grama em torno da casa / desenho uma arvore / desenho flores /
desenhe um sol / desenhe nuvens e pássaros no céu / desenhe alguém
junto a esta casa / desenhe uma placa escrito “o melhor é viver em
família” 
2ª etapa:  
Troque seu desenho com a pessoa do lado. 
Reflexão: seu desenho ficou na mesma direção de seu colega? Você
utilizou o mesmo espaço da folha que seu colega? Os detalhes são iguais?
Todos receberam a mesma orientação. Se tivermos em uma conversa
cada um terá suas impressões, porque somos diferentes. A visão do
mundo é diferente. E vemos estas diferenças também em família.

QUIZ - JESUS


terça-feira, 27 de março de 2018

PASSAPORTE DO PEQUENO LEITOR



PASSAPORTE DO PEQUENO LEITOR
Ler é uma especial viagem! 😊📚🌎
Com a intenção de incentivar o hábito da leitura edificante junto às crianças, a Federação Espírita Brasileira disponibiliza para download gratuito o "Passaporte do Pequeno Leitor", nos links:
Disponível nas versões "visualização" e "impressão", o livreto convida as crianças a registrarem os livros lidos e seus principais aprendizados, incentivando-as a descobrirem, com alegria, o mundo do conhecimento!
Desejamos boas leituras... e divertidas viagens! 😊📖🌎

segunda-feira, 26 de março de 2018

FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER


O menino Francisco Cândido Xavier (Chico Xavier) cresceu, e durante os anos que se passaram, continuou a ver e conversar com sua mãezinha desencarnada.
Quando ele tinha 17 anos de idade, ele conheceu o Espiritismo, passou a estudar o “Livro dos Espíritos” e o “Evangelho”. Nessa época ele começou a receber mensagens de outros espíritos desencarnados.

Quando Chico completou 21 anos, ele estava em um quintal, próximo a uma árvore, fazendo sua oração diária, quando percebeu um vulto ao longe se aproximando. Era um espírito simpático que se apresentou a Chico e disse se chamar Emmanuel.



Emmanuel conversou com Chico sobre o trabalho que ele estava fazendo através da sua mediunidade, das mensagens que ele recebia dos desencarnados. A primeira pergunta que Emmanuel perguntou a Chico foi:
-  "Você está realmente disposto a trabalhar na mediunidade com Jesus? (ou seja, usar sua mediunidade para fazer o bem?)

E Chico respondeu:
-  Sim, se os bons espíritos não me abandonarem... 

-  Não será você desamparado - disse-lhe Emmanuel - mas para isso é preciso que você trabalhe, estude e se esforce no bem.
Chico aceitou o compromisso de usar sua mediunidade a serviço de Jesus, então Emmanuel lhe disse:
- Então temos algo a realizar.
Chico perguntou qual seria essa primeira tarefa e o benfeitor esclareceu: 'Trinta livros pra começar!'
Chico disse: como lançar trinta livros se sou de uma família sem muito dinheiro, e a publicação de um livro demanda tanto dinheiro!... Será que meu pai vai tirar a sorte grande na loteria? Emmanuel respondeu: 'Nada, nada disso. A maior sorte grande é a do trabalho com a fé viva na Providęncia de Deus. Os livros chegarão através de caminhos inesperados!'

E então, depois desse encontro, Chico começou a psicografar as páginas de seu primeiro livro. Após terminar, ele enviou-as para um dos diretores da Federação Espírita Brasileira, e teve a grata surpresa de ver o livro aceito e publicado, em 1932. O primeiro livro foi “Parnaso Além-Túmulo”, que reunia poesias de vários poetas famosos desencarnados.


A este livro seguiram-se outros até que Chico atingiu a marca dos 30 livros. (Comentar que Chico doava o dinheiro da venda dos livros)


Chico ficou muito contente e perguntou ao amigo espiritual se sua tarefa estava terminada. Ele, então, considerou, sorrindo: 'Agora, começaremos uma nova série de trinta volumes!' Em 1958, indaguei-lhe novamente se o trabalho finalizara. Os 60 livros estavam publicados. O grande benfeitor explicou-me, com paciência: 'Você perguntou, em Pedro Leopoldo, se a nossa tarefa estava completa e quero informar a você que os mentores da Vida Maior, perante os quais devo também estar disciplinado, me advertiram que nos cabe chegar ao limite de cem livros. Chico ficou muito admirado, mas permaneceu nas tarefas.

Chico às vezes trabalhava até altas horas, e sofria com alguns problemas de saúde que tinha: na vista, nos pulmões e no coração. Além dos livros, Chico atendia a centenas de pessoas no centro espírita que freqüentava, pessoas que vinham em busca de consolo e de notícias de parentes desencarnados.

Quando Chico alcançou o número de 100 volumes publicados, voltou a consultar Emmanuel sobre o fim de seus compromissos. Ele esclareceu, com bondade: 'Você não deve pensar em agir e trabalhar com tanta pressa. Agora, estou na obrigação de dizer a você que os mentores da Vida Superior, que nos orientam, expediram certa instrução que determina seja a sua atual reencarnação desapropriada, em benefício da divulgação dos princípios espíritas-cristăos, permanecendo a sua existência, do ponto de vista físico, a disposição das entidades espirituais que possam colaborar na execuçăo das mensagens e livros, enquanto o seu corpo se mostre apto para as nossas atividades.
Muito desapontado, Chico perguntou: então devo trabalhar na recepção de mensagens e livros do mundo espiritual até o fim da minha vida atual? Emmanuel acentuou: 'Sim, não temos outra alternativa!'
Naturalmente, impressionado com o que ele dizia, voltei a interrogar: e se eu não quiser, já que a Doutrina Espírita ensina que somos portadores do livre arbítrio para decidir sobre os nossos próprios caminhos? Emmanuel, então, deu um sorriso de benevolência paternal e cientificou: 'Bem, você terá que arcar com as conseqüências de uma tarefa que não foi cumprida’


Após esta conversa com Emmanuel, Chico continuou trabalhando até o fim de sua encarnação.

Ricos e pobres, velhos e crianças, homens e mulheres de todos os níveis sociais encontraram no homem e no médium Chico Xavier, tudo quanto necessitam para o reajuste interior, para o crescimento, em função do conhecimento e da bondade.


Francisco Cândido Xavier é um presente do Alto ao século XX, enriquecendo-lhe os valores com a sua vida de exemplar cidadão, com milhares de mensagens psicografias que, em catadupas de paz e luz, amor e esclarecimento, vęm fertilizando o solo planetário, sob a luminar supervisão do Espírito Emmanuel.