quarta-feira, 16 de março de 2011

A REENCARNAÇÃO É UMA BÊNÇÃO DIVINA



Objetivo: Reconhecer a reencarnação como benção Divina, através da qual temos a oportunidade de resgatar os nossos erros e exercitar as qualidades que já adquirimos.
- dividir a turma em grupos
- distribuir para, cada grupo, um dos casos três casos colocados no ANEXO I.
- Os grupos deverão ler, estudar e discutir o casos.
- deverão elaborar uma relacão dos defeitos/fraquezas do(a) personagem central; e relação das mudanças que ele(a) deverá fazer em si mesmo(a) em sua próxima encarnação, se desejar evoluir (exemplo: ser mais generoso; ser menos egoísta...)
- cada grupo fará, ao final da uala, uma exposição de seu trabalho, contando o caso aos demais e explicando seu respectivo painel, e destacando as mudanças que as personagens deverão se esforçar por realizar em suas próximas encarnações.

ANEXO I
GRUPO VERDE – CASO A
Jonas foi muito mesquinho e avarento na última existência. muito rico, ele não tinha sensibilidade para perceber as dificuldades sequer de seus muitos empregados. Das sobras de sua mesa, nada doava. Educou seus filhos nessa mesma linha de egoísmo. Jonas acumulou muitos bens durante toda a vida, para que seus filhos levassem uma vida tranqüila. Uma sobrinha sua, muito pobre, várias vezes bateu-lhe à porta pedindo ajuda, nem que fosse um emprego, mas ele não quis ouvi-la. Jonas não acreditava em Deus, mas somente na sorte que sempre o acompanhara. Não conheceu privações, pois sempre teve de tudo na vida – roupas, brinquedos, boa alimentação, segurança, conforto, bons estudos. Jonas sentia um grande vazio dentro de si, mas não sabia de onde vinha. achava que era porque tinha pouco dinheiro e poucos bens e cada vez mais queria enriquecer. Houve muitas discussões e brigas entre seus filhos, pelos bens por ele deixados ao morrer de enfarte.

GRUPO AZUL – CASO B
Anita foi muito vazia, fútil e vaidosa durante toda a vida. ainda na escola, zombava das colegas que não eram tão bonitas quanto ela. desprezava qualquer pessoa que tivesse qualquer tipo de defeito físico ou que fosse negra. Muito bonita, anita logo cedo passou em um concurso de miss e deslumbrou-se com a passarela. Seguiu a carreira de modelo e para manter-se em forma começou a tomar remédios para perder o apetite. assim, anita tornou-se dependente química. Engravidou sem desejar, e provocou o aborto, pois não queria estragar o seu corpo com a gravidez e a amamentação. Anita sentia-se infeliz, por não conseguir libertar-se da dependência, pois se deixasse os remédios, engordaria... Anita tentou várias vezes ligar-se a uma religião, mas sempre desistia, porque achava tudo fora de moda, monótono, entediante. Anita morreu de overdose, no auge de sua infelicidade.

GRUPO VERMELHO – CASO C
Dione era filha de um casal rico, que tinha mais 4 filhas. Era a filha mais velha durante a sua infância, jamais passou por dificuldades. Esbanjava a mesada que recebia, esnobava suas colegas que não eram ricas, dizia que odiava pobres. Era, enfim, muito orgulhosa. quando completou 14 anos, quando ela já sonhava com uma viagem à disney e uma superfesta de 15 anos, seu pai perdeu tudo o que tinha, inclusive o emprego, e tiveram que mudar para um bairro muito pobre, morando de aluguel em uma casa extremamente simples e pequena. Com apenas dois quartos, ela foi obrigada a dividir um quarto com as outras 4 irmãs. dois beliches e um colhão no chão acomodava as meninas. dione não aceitou essa mudança brusca. Começou a gritar com o pai, a chamá-lo de preguiçoso, incompetente, vagabundo. seu pai lhe batia, pois não admitia o desrespeito. E ela se revoltava mais e mais. Blasfemava contra deus, chamando-o de injusto. Todo dia armava uma confusão e seu pai foi ficando cada vez mais triste e deprimido. embora tentasse, não conseguia arranjar um emprego. Não tinham mais empregados e a mãe de dione se desdobrava para cuidar da casa, da roupa, da cozinha, da saúde de todos. as outras irmãs ajudavam nos afazeres domésticos, mas como eram menores, não podiam fazer os serviços mais pesados. Dione podia, mas se recusava. a mãe, de tanto esforçar-se caíu doente e os vizinhos tiveram que socorrer a família. mas até os vizinhos dione desprezava e tratava mal. Seu pai não sabia mais o que fazer e foi procurar um emprego bem simples, mas que lhes desse algum sustento. A mãe de dione melhorou e também arranjou um emprego de vendedora numa mercearia. Dione, não se conformando com a situação, no meio de uma discussão, saiu correndo e morreu atropelada por um carro que ia passando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário