terça-feira, 11 de janeiro de 2011

O EVANGELIZADOR




Como facilitador do conhecimento espírita, oferecido pelo Centro Espírita às novas gerações, o evangelizador deverá reunir determinadas características que favoreçam seu papel de intermediador entre o conhecimento inato do evangelizando e o conhecimento adquirido, de maneira sistematizada, na Doutrina.

Assim, é importante que:

conheça os conteúdos doutrinários;

seja um referencial de comportamento ético, à luz dos ensinamentos de Jesus;
esteja convencido de que a Evangelização Espírita irá contribuir para a transformação moral da Humanidade;
tenha entusiasmo pela tarefa;
seja flexível e receptivo à aquisição de novos conhecimentos ;
tenha uma visão integrada do Currículo da Evangelização e de sua inserção no Movimento Espírita;
saiba escolher metodologias que possibilitem ao evangelizando construir, elaborar e expressar seu conhecimento;
tenha sensibilidade para se avaliar, considerando seu papel de mediador entre o conhecimento, o aluno e sua realidade.

Objetivos

a) Promover a integração do evangelizando:

consigo mesmo;
com o próximo;
com Deus.

b) Proporcionar ao evangelizando o estudo:

da lei natural que rege o Universo;
da natureza, origem e destino dos Espíritos bem como de suas relações com o mundo corporal.
c) Oferecer ao evangelizando a oportunidade de perceber- se como homem integral, crítico, consciente, participativo, herdeiro de si mesmo, cidadão do Universo, agente de transformação de seu meio, rumo a toda perfeição de que é suscetível.

Educar, pois, dentro da concepção Espírita é não só oferecer os conhecimentos do Espiritismo como também envolver o educando numa atmosfera de responsabilidade, de respeito à vida, de fé em Deus, de consideração e amor aos semelhantes, de valorização das oportunidades recebidas, de trabalho construtivo e de integração consigo mesmo, com o próximo e com Deus. (O Que é Evangelização? Fundamentos da Evangelização Espírita da Infância e da Juventude, FEB, 1987).

Fonte: Currículo para as Escolas de Evangelização Espírita Infanto- Juvenil

Meditando sobre a tarefa de evangelizar

A tarefa de evangelizar, no fundo, consiste num diálogo entre o evangelizador e a criança, que se estabelece a partir do desejo do primeiro, de colaborar com o companheiro na fase infantil, na busca do conhecimento e da vivência do bem e, do segundo, da necessidade de imprimir novos rumos aos seus passos, na existência terrena.

Convergindo esses interesses para uma mesma finalidade, resultam daí mudanças significativas na conduta de cada um em virtude da chama vibrante, que aquece os sentimentos daqueles nela envolvidos.

Essa chama, que pode ser denominada de amor, não conhece obstáculos intransponíveis e leva no seu bojo a força capaz de transformar os indivíduos, e, em consequência, a sociedade. (Livro: Pelos Caminhos da Evangelização, pag.34)

A tarefa de evangelizar

A tarefa de evangelizar, no fundo, consiste num diálogo entre o evangelizador e a criança, que se estabelece a partir do desejo do primeiro, de colaborar com o companheiro na fase infantil, na busca do conhecimento e da vivência do bem e, do segundo, da necessidade de imprimir novos rumos aos seus passos, na existência terrena.

Convergindo esses interesses para uma mesma finalidade, resultam daí mudanças significativas na conduta de cada um em virtude da chama vibrante, que aquece os sentimentos daqueles nela envolvidos.

Essa chama, que pode ser denominada de amor, não conhece obstáculos intransponíveis e leva no seu bojo a força capaz de transformar os indivíduos, e, em conseqüência, a sociedade. (Cecília Rocha - Livro: Pelos Caminhos da Evangelização, pag.34- FEB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário