sexta-feira, 24 de maio de 2013

O JOVEM RICO

Fig.1- "Certa vez um  jovem muito rico, ao ver Jesus, caminhando ao lado de seus discípulos correu ao seu encontro e ajoelhando-se diante dele falou:
- Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?
E Jesus respondeu:
- Ninguem é bom senão um só que é Deus. Tu sabes  os mandamentos: não matarás, não furtarás, não adulterarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe.
- Tudo isso tenho observado desde a minha juventude! - falou o jovem.
- Uma coisa ainda te falta: vende tudo que tens, dá-os aos pobres e terás um tesouro nos céus.
Depois vem e segue-me.
O jovem ficou muito triste porque era muito rico. E afastou-se de cabeça baixa."
                                                                                                                               (Lucas,18:18 a 23)




Contam as tradições espirituais a continuidade desse episódio.

O jovem rico tinha sede de paz. Embora vivesse com todo o conforto, participando de alegrias e festas, sentia um vazio no coração. Agora, diante dos olhos de Jesus, sentia-se arrebatado. Era como se reencontrasse um amigo. Interiormente gritava: "Irei contigo, Senhor, mas..."
O jovem rico indeciso. Percebeu que Jesus sorriu como se o esperasse. Vencendo a emoção falou
- Permita-me primeiro participar da competição na cidade de Cesareia, disputando os jogos.
- Não posso esperar. O Reino dos Céus começa hoje e agora para o teu espírito. Não há tempo a perder - respondeu Jesus.
- Aguardei muito essa competição. Exercitei-me, contratei escravos que me treinaram, comprei, por uma fortuna, duas parelhas de cavalos fortes... os jogos estão próximos.
- Renuncia e segue-me.
O diálogo parecia impossível. Que poder exercia Jesus! O jovem, perturbado, tentou explicar:
- Não receio dar tudo que possuo, mas...
- Dá-me a ti próprio e eu te oferecerei a felicidade sem limite.
O jovem pensava: os bens, poderia ofertá-los... mas as glórias, as honras da família...ele representava a cidade naquela competição...seria necessário renunciar a tudo isso?
Em silencio Jesus aguardava. O jovem lembrou-se que amigos o esperavam para acertar detalhes finais  da competição. "Não posso seguir-te agora. Perdoa-me!' - falou.

Fig.2- O jovem saiu quase a correr. O mestre sentou-se em profundo sofrimento. Era assim que Ele ficava quando alguém recusava, a Seu chamado, participar do trabalho de amor...
- Como dificilmente entrarão no Reino de Deus os que têm riquezas! - falou tristemente.





Fig.3- Uma semana depois, Cesareia estava em festa. Ao som alegre de fanfarras, as quadrigas(carros de uma só roda puxado por quatro cavalos) alinhavam-se na linha de partida. Os bravos cavalos, enfeitados, empinavam. Ao sinal, dispararam sob estrondosa torcida. Mãos firmes na rédea, os condutores dão velocidade aos carros frágeis. Numa manobra menos feliz, um carro vira e um corpo tomba, despedaçado pelas patas ferozes, em disparada. Era o jovem rico! Ele sente as entranhas abertas, o suor e o sangue em pasta de lama... Enquanto escravos rapidamente arrastam-no da pista, seu pensamento volta-se para Jesus e parece ouvi-lo: "Renuncia a ti mesmo, vem e segue-me."




Fig.4- O jovem sente que dois braços transparentes o envolvem amorosamente. E morre dando a impressão de sorrir.





(Fonte:Amélia Rodrigues - Primícias do Reino. Psicografado por Divaldo P.Franco)

Um comentário:

  1. Querida Alice.

    Amo seu trabalho. Que Jesus a abençoe sempre.

    Um grande beijo

    Marita

    ResponderExcluir