terça-feira, 12 de outubro de 2010

A CRIANÇA E OS AMIGOS




1. Mensagem:

“Seleciona as tuas companhias. Os maus companheiros tornam-se presenças inconvenientes na tua vida e perturbam-te a marcha.

Ninguém é tão independente e pleno que não corra o perigo de contaminar-se, com aqueles que estagiam e se comprazem na delinqüência ou na insensatez viciosa.

Sê gentil com os maus e estúrdios, porém, não te imiscuas com eles, seu comportamento, suas atividades e filosofia de vida.

As enfermidades morais também contagiam os incautos que delas se aproximam”.

(Joanna de Ângelis/Divaldo Franco).

2. Prece de Abertura:

3. Momento da Criança:

A - Apresentar uma folha de papel cor-de-rosa, amassada, dizendo que deverão imaginá-la como uma linda rosa perfumada.

Pedir que fechem os olhos, passando a rosa de mão em mão, imaginando que oferecem a flor a um amigo, com uma palavra carinhosa.

Obs: Será importante começar pelos adultos, o que facilitará a imaginação da criança. Ex.: o adulto dirá: “Eu vou oferecer esta linda rosa ao meu amigo... porque ele é muito trabalhador e merece uma recompensa”.

Dizer que narrará um fato, para que analisem a ação do garoto e digam o que aprenderam.

B - Desenvolvimento:

1 - Narrar a história: "A Balança".

Quando menino, eu vivia brigando com meus companheiros de brinquedos. E voltava para casa lamuriando e queixando-me deles. Isso ocorria, as mais das vezes, com o Beto, o meu melhor amigo.

Um dia, quando corri para casa e procurei mamãe para queixar-me do Beto, ela me ouviu e disse o seguinte:

- Vá buscar a sua balança e os blocos.

- Mas, o que tem isso a ver com o Beto?

- Você verá... Vamos fazer uma brincadeira.

Obedeci e trouxe a balança e os blocos. Então, ela disse:

- Primeiro, vamos colocar neste prato da balança um bloco para representar cada defeito do Beto. Conte-me quais sao.


Fui relacionando-os e certo número de blocos foi empilhando daquele lado:

- Você nao tem nada mais a dizer?.

Eu não tinha e ela propôs:

Então você vai, agora, enumerar as qualidades dele. Cada uma delas será um bloco no outro prato da balança.

Eu hesitei, porém ela me animou dizendo:

- Ele nao deixa você andar em sua bicicleta? Nao reparte seu doce com você?

Concordei e passei a mencionar o que havia de bom no caráter do meu amiguinho.

Ela foi colocando os blocos do outro, lado. De repente eu percebi que a balança oscilava. Mas vieram outros e outros blocos em favor do Beto. Dei uma risada e mamãe observou:

- Você gosta do Beto e ficou alegre por verificar que suas boas qualidades ultrapassam seus defeitos. Isso sempre acontece, conforme você mesmo verificar ao longo de sua vida.

E de fato. Através dos anos, aquele pequeno incidente de pesagem tem exercido importante influência sobre meus julgamentos. Antes de criticar uma pessoa, lembro-me daquela balança e comparo seus pontos bons com os maus. E, felizmente, quase sempre há uma vantagem compensadora, o que fortalece em muito a minha confiança no gênero humano

2 - Fazer perguntas as crianças, incentivando-as a expressarem opinioes que enfatizem a amizade, o companheirismo, etc...

3 - Relacionar os fatos da história ao seu dia-a-dia, pedindo que contem o que tem ocorrido ente eles e seus amigos.

4 - Atividades.

Estudo do Evangelho de Jesus: Cap. XI – item 4.

“Amar o próximo como a si mesmo: fazer pelos outros o que quereríamos que os outros fizessem por nós, é a expressão mais completa da caridade, porque resume todos os deveres do homem para com o próximo. Não podemos encontrar guia mais seguro, a tal respeito, que tomar para padrão, do que devemos fazer aos outros, aquilo que para nós desejamos. Com que direito exigiríamos dos nossos semelhantes melhor proceder, mais indulgência, mais benevolência e devotamento para conosco, do que os temos para com eles? A prática dessas máximas tende à destruição do egoísmo. Quando as adotarem para regra de conduta e para base de suas instituições, os homens compreenderão a verdadeira fraternidade e farão que entre eles reinem a paz e a justiça. Não mais haverá ódios, nem dissensões, mas, tão-somente, união, concórdia e benevolência mútua”.

- Comentários com o grupo – exemplos

"O Melhor é Viver em Família" - 12 Volumes)

Nenhum comentário:

Postar um comentário