segunda-feira, 20 de março de 2017

CUIDADOS COM A TV










CUIDADO COM SUA MANEIRA DE SE COMUNICAR...

     SEJA ATRAVÉS DE SEUS GESTOS

SEJA COM SUAS PALAVRAS....

A TV é um meio de comunicação cultural, cabe a nós sabermos utilizá-la, tornando-a útil em nossa vida.

O que você vê com frequência influencia na nossa vida.!!!!

BEZERRA DE MENEZES PARA OS JOVENS


Acaso

Era um jovem estudante de medicina. Havia deixado a família bem longe, no interior. Não possuía riquezas. Trabalhava, dando aulas particulares, para se sustentar e manter-se nos estudos.

Passado algum tempo, as dificuldades aumentavam à níveis alarmantes. Os alunos rareavam. Havia extrema urgência em conseguir recursos para pagar a pequena e pobre pensão onde morava, bem como para manter seus estudos.
Rezou. E rezou muito. Com toda a sua fé. Pedindo que novos alunos aparecessem de forma a obter os recursos de que tanto precisava.

E, apareceu um aluno, necessitado de aulas particulares de matemática. O jovem estudante disse ao aluno,
- Já há muito tempo não estudo matemática. Não sei se eu teria condições de lhe dar essa aula.
- Mas eu preciso muito. Retrucou o aluno. Você precisa me ajudar.

- Está bem. Mas me dê um tempo, uma semana, para que eu possa estudar e me preparar para lhe dar as aulas.
- Combinado. Aqui está seu pagamento.
- Por favor, não. Respondeu o estudante de medicina. Pague-me apenas depois das aulas.
No que o aluno respondeu,
- Esse dinheiro eu ganhei de meu pai, como uma mesada. Se você não aceitar agora eu acabarei por gastá-lo com futilidades e não terei como lhe pagar depois.

- Está bem. Acabou cedendo o futuro professor.
O dinheiro, era a conta certa para pagar suas necessidades mais urgentes: pensão e faculdade.

O estudante de medicina pagou suas contas e se preparou com muita dedicação para as aulas de matemática.
Mas, seu aluno jamais voltou.

Esse estudante conseguiu se formar e ficou conhecido como o
"Médico dos pobres", o Dr. Bezerra de Menezes.

Sugestão:

1) Estude a história acima para poder contá-la expressivamente.

2) Se achar oportuno,incentive um diálogo sobre o significado do "acaso" e a visão espírita.

3) Peça aos alunos que procurem saber mais sobre Bezerra e sua época, que tragam figuras e informações que possam compor uma exposição.

4) Monte a exposição usando cartazes ou o mural da instituição, retratando a vida e a época em que ele viveu. (Esta ultima sugestão é colaboração do companheiro Ricardo Formigoni)

Rita Foelker

segunda-feira, 13 de março de 2017

PERDÃO



OBJETIVO DA AULA: Levar as crianças a compreenderem que perdoar consiste no esquecimento total das ofensas recebidas. Devemos perdoar sempre, pois estamos sujeitos ao erro e necessitaremos do perdão alheio. Quando Jesus nos convida a perdoar quantas vezes forem necessárias, Ele quer dizer que fazendo isso, estamos trabalhando para o nosso próprio equilíbrio espiritual.

Descrição das atividades:

1) Adivinhação do tema da aula

Utilizando o fantoche de Jesus, o evangelizador deverá contar a seguinte história:

“Mariana e Carol eram grandes amigas, um dia, Carol sem querer quebrou uma boneca de Mariana. Ela pediu desculpa para a amiga, mas Mariana não a perdoou. A partir desse dia, Mariana não quis conversar mais com Carol, e isso deixou Carol muito triste.” Desde esse dia Mariana passou a carregar um sentimento muito ruim em seu coração.

Vamos descobrir qual é esse sentimento? (dar dicas caso for preciso).

Depois o evangelizador deve perguntar: Está certo é a mágoa, vamos ver como é ruim ficar com mágoa no coração? E deixar as crianças adivinharem.

Todos pensem em alguém que não perdoaram por qualquer motivo.

Jesus lembra sua passagem aqui na Terra e conta:

Matheus 18: 15, 21-22

“Se vosso irmão pecar contra ti, vai, e corrige-o entre ti e ele somente; se te ouvir, ganhado terás a teu irmão. Então, chegando-se Pedro a ele, perguntou: Senhor, quantas vezes poderá pecar meu irmão contra mim, para que eu lhe perdoe? Será até sete vezes? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete vezes”.

Marcos 11: 25-26

“E, quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial perdoe os seus pecados.
Mas, se vocês não perdoarem, também o seu Pai que está nos céus não perdoará os seus pecados".

Tudo isso significa que não devemos carregar coisas ruins no nosso coração.
 Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. 10 item 1, nº 4
“(...) Infeliz daquele que diz: Eu jamais perdoarei! Porque, se não for condenado pelos homens, o será certamente por Deus. Com que direito pedirá perdão de suas próprias faltas, se ele mesmo não perdoa aos outros? Jesus nos ensina que a misericórdia não deve ter limites, quando diz que se deve perdoar ao irmão, não sete vezes, mas setenta vezes sete.
Mas há duas maneiras bem diferentes de perdoar. Uma é grande nobre, verdadeiramente generosa, sem segunda intenção, tratando com delicadeza o amor próprio e a suscetibilidade do adversário, mesmo quando a culpa foi inteiramente dele. A outra é quando o ofendido, ou aquele que assim se julga, impõe condições humilhantes ao adversário, fazendo-o sentir o peso de um perdão que irrita, em vez de acalmar. Se estender a mão, não é por benevolência, mas por ostentação, a fim de poder dizer a todos: Vede quanto sou generoso!
Nessas circunstâncias, é impossível que a reconciliação seja sincera, de uma e de outra parte. Não, isso não é generosidade, mas apenas uma maneira de satisfazer o orgulho. Em todas as contendas, aquele que se mostra mais conciliador, que revela mais desinteresse próprio, mais caridade e verdadeira grandeza de alma, conquistará sempre a simpatia das pessoas imparciais”.

A Prática do perdão
1) Distribuir bolinhas feitas de papel ou isopor ou uma caixa com algo dentro lacrada (de cor escura, se possível) para cada evangelizando.
2) Dizer a seguir: ”Agora imaginem que o que seguram na mão é uma mágoa que vocês não conseguiram perdoar. Ela está em vocês, grudada e não podem soltá-la. Será que uma mágoa, uma ofensa atrapalha a vida de quem a carrega?”
3) Orientar as crianças a: com uma das mãos sempre segurando a bola, vocês vão fazer o seguinte: (O evangelizador vai orientá-los fazer uma coisa de cada vez dando tempo para que sintam a dificuldade em realizar o que está sendo pedido):
1. Bater palmas;
2. Cumprimentar uns aos outros;
3. Abraçar;
4. Pentear os cabelos;
5. Limpar o ouvido;
6. Fazer um desenho (distribuir folhas e lápis - desenho livre);
7. Andar de mãos dadas;
8. Pegar objetos no chão;
9. Arrumar a sala;
10. Tirar a blusa de frio;
11. Amarrar o tênis.

4) Depois de uns 10 minutos tentando fazer as coisas, o evangelizador deverá perguntar às crianças:
- “E então, foi difícil fazer o que foi pedido? Assim a mágoa, ela é como a bola de papel, ela impede atrapalha quem a carrega de fazer uma porção de coisas boas.
- Então o que fazer? Perdoar. Como perdoar? Esquecendo a ofensa. Não ficar lembrando, não ficar contando o que aconteceu para todas as pessoas que encontrar, não desejar o mal da para pessoa. Perdoar com o coração.”

5) Perguntar ao grupo: “Lembram da história que Jesus nos contou no início da aula? De que devemos perdoar todas as pessoas e quantas vezes forem necessárias. Devemos nos perdoar também (auto-perdão), pois todos nós erramos.Quando não perdoamos fica um peso em nosso coração, causando tristezas, nos impedindo de fazer muitas coisas boas. É como se carregássemos uma pedra na mão sempre. É como se um veneninho fosse aos poucos entrando no nosso corpo, podendo nos causar doenças, isso nos prejudica e atrasa nossa evolução.
Passar o lixo e dizer-lhes: Então, vamos jogar essa mágoa fora? Lembre-se de alguém que você não perdoou e jogue fora a mágoa que tem dele aqui.”

6) Depois convidá-los a repetir a atividade anterior de bater palmas, cumprimentar uns aos outros, abraçar, etc.

Atividades de Fixação

1) Com a atividade 1 em mãos, o evangelizador deverá fazer um jogo da verdade de forma oral com as crianças, fazendo-as identificar quais afirmativas são verdadeiras ou falsas acerca do tema perdão. O evangelizador deverá ler as frases e pedir para as crianças falarem se cada uma delas é verdadeira ou falsa e porquê. Parabenizar a turma belo desempenho.


sexta-feira, 3 de março de 2017

AS BASES DO ESPIRITISMO




OBJETIVO DA AULA: Levar o evangelizando compreender que é o Espiritismo, aclarando o evangelho de Jesus, é a terceira revelação da Lei de Deus.

Conteúdo Prático
Ler e discutir com as crianças:
Mas, o que é o Espiritismo?
O Espiritismo é a doutrina revelada pelos Espíritos Superiores, através de médiuns, e organizada (codificada), no século XIX, por um educador francês, conhecido por Allan Kardec.
O Espiritismo é, ao mesmo tempo filosofia, ciência e religião.
Filosofia, porque dá uma interpretação da vida, respondendo questões como “de onde eu vim”, “o que faço no mundo”, “para onde irei depois da morte”. Toda doutrina que dá uma interpretação da vida, uma concepção própria do mundo, é uma filosofia. 
Ciência, porque estuda, à luz da razão e dentro de critérios científicos, os fenômenos mediúnicos, isto é, fenômenos provocados pelos espíritos e que não passam de fatos naturais. Todos os fenômenos, mesmo os mais estranhos, têm explicação científica. Não existe o sobrenatural no Espiritismo.
Religião, porque tem por objetivo a transformação moral do homem, revivendo os ensinamentos de Jesus Cristo, na sua verdadeira expressão de simplicidade, pureza e amor. Uma religião simples sem sacerdotes, cerimoniais e nem sacramentos de espécie alguma. Sem rituais, culto a imagens, velas, vestes especiais, nem manifestações exteriores.
E quais são os fundamentos básicos do Espiritismo?
A existência de Deus que é o Criador, causa primária de todas as coisas. A Suprema Inteligência. É eterno, imutável, imaterial, onipotente, soberanamente justo e bom.
A imortalidade da alma ou espírito. O espírito é o princípio inteligente do Universo, criado por Deus, para evoluir e realizar-se individualmente pelos seus próprios esforços. Como espíritos já existíamos antes do nascimento e continuaremos a existir depois da morte do corpo.
A reencarnação. Criado simples e sem nenhum conhecimento, o espírito é quem decide e cria o seu próprio destino. Para isso, ele é dotado de livre-arbítrio, ou seja, capacidade de escolher entre o bem e o mal. Tem a possibilidade de se desenvolver, evoluir, aperfeiçoar-se, de tornar-se cada vez melhor, mais perfeito, como um aluno na escola, passando de uma série para outra, através dos diversos cursos. Essa evolução requer aprendizado, e o espírito só pode alcançá-la encarnando no mundo e reencarnando, quantas vezes necessárias, para adquirir mais conhecimento, através das múltiplas experiências de vida. O progresso adquirido pelo espírito não é somente intelectual, mas, sobretudo, o progresso moral.
Não nos lembramos das existências passadas e nisso também se manifesta a sabedoria de Deus. Se lembrássemos do mal que fizemos ou dos sofrimentos que passamos, dos inimigos que nos prejudicaram ou daqueles a quem prejudicamos, não teríamos condições de viver entre eles atualmente. Pois, muitas vezes, os inimigos do passado hoje são nossos filhos, nossos irmãos, nossos pais, nossos amigos que, presentemente, se encontram junto de nós para a reconciliação. A reencarnação, desta forma, é a oportunidade de reparação, assim como é, também, oportunidade de devotarmos nossos esforços pelo bem dos outros, apressando nossa evolução espiritual. Pelo mecanismo da reencarnação vemos que Deus não castiga. Somos nós os causadores dos próprios sofrimentos, pela lei de “ação e reação”.
A comunicabilidade dos espíritos. Os espíritos são seres humanos desencarnados e continuam sendo como eram quando encarnados: bons ou maus, sérios ou brincalhões, trabalhadores ou preguiçosos, cultos ou medíocres, verdadeiros ou mentirosos. Eles estão por toda parte. Não estão ociosos. Pelo contrário, eles têm as suas ocupações. Através dos denominados médiuns, o espírito pode se comunicar conosco, se puder e se quiser.
A pluralidade dos mundos habitados. Os diferentes mundos, disseminados pelo espaço infinito, constituem as inúmeras moradas aos Espíritos que neles encarnam. As condições desses mundos diferem quanto ao grau de adiantamento ou de inferioridades dos seus habitantes.
Como o Espiritismo interpreta o Céu e o Inferno?
Não há céu nem inferno. Existem, sim, estados de alma que podem ser descritos como celestiais ou infernais. Não existem também anjos ou demônios, mas apenas espíritos superiores e espíritos inferiores, que também estão a caminho da perfeição - os bons se tornando melhores e os maus se regenerando. 
Deus não se esquece de nenhum de seus filhos, deixando a cada um o mérito das suas obras. Somente desta forma podemos entender a Suprema Justiça Divina.
Por que o Espiritismo realça a Caridade?
Porque fora dos preceitos da verdadeira caridade, o espírito não poderá atingir a perfeição para a qual foi destinado. Tendo-a por norma, todos os homens são irmãos e qualquer que seja a forma pela qual adorem o Criador, eles se estendem as mãos, se entendem e se ajudam mutuamente.
Por que fé raciocinada?
A fé sem raciocínio não passa de uma crendice ou mesmo de uma superstição. Antes de aceitarmos alguma coisa como verdade, devemos analisá-la bem. “Fé inabalável é aquela que pode encarar a razão, face a face, em todas as épocas da humanidade.”- Allan Kardec.
E onde podemos encontrar mais esclarecimentos sobre o Espiritismo?
Começando pela leitura dos livros de Allan Kardec:
O LIVRO DOS ESPÍRITOS.O livro básico da Doutrina Espírita. Contém os princípios do Espiritismo sobre a imortalidade da alma, a natureza dos espíritos e suas relações com os homens, as leis morais, a vida futura e o porvir da humanidade.
O LIVRO DOS MÉDIUNS. Reúne as explicações sobre todos os gêneros de manifestações mediúnicas, os meios de comunicação e relação com os espíritos, a educação da mediunidade e as dificuldades que eventualmente possam surgir na sua prática.
O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO. É o livro dedicado à explicação das máximas de Jesus, de acordo com o Espiritismo e sua aplicação às diversas situações da vida.
O CÉU E O INFERNO, ou “A Justiça Divina Segundo o Espiritismo”. Oferece o exame comparado das doutrinas sobre a passagem da vida corporal à vida espiritual. Coloca ao alcance de todos o conhecimento do mecanismo pelo qual se processa a Justiça Divina.
A GÊNESE. Destacam-se os temas: Existência de Deus, origem do bem e do mal, explicações sobre as leis naturais, a criação e a vida no Universo, a formação da Terra, a formação primária dos seres vivos, o homem corpóreo e a união do princípio espiritual à matéria.

 Atividade Prática

Complete usando as palavras das caixas:
01. O Espiritismo é, pois, a Doutrina revelada pelos ______________________e codificada por______________________________ que revive os ensinamentos de ________________, nosso mestre e ____________________.
02. As bases fundamentais do espiritismo são: a existência de __________, a imortalidade da _______________________________, a comunicação dos___________________, a Lei da_________________ e da ________________________.
03. A revelação dada pelos _________________ veio através de um fenômeno Chamado de ________________________.
04. A Mediunidade é a comunicação entre o mundo ______________ e ________________.
05. A Doutrina codificada por Allan Kardec e revelada pelos Espíritos Superiores, tem o nome de ___________________________ou ____________________________
06. A codificação do Espiritismo, além do “Livro dos Espíritos, que contém a revelação dada pelos espíritos Superiores, através das perguntas feitas por Allan Kardec é constituída, dos seguintes livros____________________________,_________________________________, ____________________________ e a ____________________.


Espíritos Superiores;
Evolução;
Allan Kardec;
O Evangelho 2° O Espiritismo;
Jesus;
Mediunidade;
Reencarnação;
Doutrina dos Espíritos ou Espiritismo;
Irmão;
Deus;
Espíritos;
Visível;
Alma;
Espíritos Superiores;
Invisível;
Livro dos Médiuns;
O Céu e o Inferno;
Gênese.




GABARITO:

  1. O Espiritismo é, pois, a Doutrina revelada pelos Espíritos Superiores e codificada por Allan Kardec que revive os ensinamentos de Jesus, nosso Mestre e Irmão.
  1. As bases fundamentais do espiritismo são: a existência de Deus, a imortalidade da alma, a comunicação dos Espíritos, a Lei da Reencarnação e da Evolução.
  1. A revelação dada pelos Espíritos Superiores veio através de um fenômeno Chamado de Mediunidade.
  1. Mediunidade é a comunicação entre o mundo Visível e Invisível.
  1. A Doutrina codificada por Allan Kardec e revelada pelos Espíritos Superiores, tem o nome de Doutrina dos Espíritos ou Espiritismo.
  1. A codificação do Espiritismo, além do “Livro dos Espíritos”, que contém a revelação dada. pelos espíritos Superiores, através das perguntas feitas por Allan Kardec é constituída, dos seguintes livros: Livro dos Médiuns, O Evangelho 2° O Espiritismo, O Céu e o Inferno e a Gênese.


EVOLUÇÃO DOS SERES - O PAPEL DO HOMEM





OBJETIVO DA AULA: Reconhecer que Deus deu ao homem a inteligência para que através dela ele progredisse. Deus quer que usemos nossa inteligência para o bem de todos. Quem abusar dessa faculdade assume débitos.

Conteúdo prático
História: utilizar um fantoche para contar. Joãozinho queria muito sair no jornal da escola. Um dia houve uma festa e uma gincana no colégio. Joãozinho ficou empolgado e queria participar. A tarefa era conseguir alimentos para serem doados num orfanato e o prêmio seria sair no jornalzinho numa foto com as crianças do orfanato. Joãozinho tentou um pouco, mas logo desistiu. Ninguém conseguiu convencê-lo a continuar. Quem ganhou foi um menino mais novo que ele, mas muito perseverante, decidido a ganhar, sem medos e fazendo bom uso da sua inteligência: pediu doações a seus vizinhos, amigos e parentes e dava uma flor como forma de agradecimento.

Falar com as crianças que a perseverança e o bom uso da inteligência são condições indispensáveis para o progresso.

Concluir:
*O que caracteriza um espírito evoluído é o seu progresso intelectual e moral.
*Deus em seus desígnios nos fez nascer num meio onde pudéssemos desenvolver a nossa inteligência, pois quer que a utilizemos para o bem de todos.
*A inteligência é rica de méritos para o futuro, mas, sob a condição de ser bem empregada.
*Se todos os homens que a possuem se servissem dela em conformidade com a vontade de Deus, fácil seria, para os espíritos, a tarefa de fazer que a humanidade avançasse.
*O homem abusa da inteligência como de todas as suas outras faculdades e, no entanto, não lhe faltam ensinamentos que o advirtam de que uma poderosa mão pode retirar o que concedeu.
*A inteligência é um poderoso instrumento de progresso, quando utilizada com bons sentimentos e voltada à causa do bem