segunda-feira, 31 de agosto de 2015

COMPREENDENDO A CARIDADE



1º. Momento: Dinâmica do Amor
Objetivo: Moral: Devemos desejar aos outros os que queremos para nós mesmos.
Procedimento:
    Para início de ano Ler o texto ou contar a história do "Coração partido" - Certo homem estava para ganhar o concurso do coração mais bonito. Seu coração era lindo, sem nenhuma ruga, sem nenhum estrago. Até que apareceu um velho e disse que seu coração era o mais bonito pois nele havia. Houve vários comentários do tipo: "Como seu coração é o mais bonito, com tantas marcas?" O bom velhinho, então explicou que por isso mesmo seu coração era lindo. Aquelas marcas representavam sua vivência, as pessoas que ele amou e que o amaram. “Finalmente todos concordaram o coração do moço, apesar de lisinho, não tinha a experiência do velho.” Após contar o texto distribuir um recorte de coração (chamex dobrado ao meio e cortado em forma de coração), revistas, cola e tesoura. Os participantes deverão procurar figuras que poderiam estar dentro do coração de cada um. Fazer a colagem e apresentar ao grupo. Depois cada um vai receber um coração menor e será instruído que dentro dele deverá escrever o que quer para o seu coração. Ou o que quer que seu coração esteja cheio.. O meu coração está cheio de... No final o instrutor deverá conduzir o grupo a trocar os corações, entregar o seu coração a outro. Fazer a troca de cartões com uma música apropriada, tipo: Coração de Estudante, Canção da América ou outra.

2º. Momento:

Leitura do texto Compreendendo a caridade (Podendo lê também a Parábola de Jesus, “O Óbolo da Viúva”). 

         Evangelho no Lar é o momento semanal em que a família se reúne para aprender os ensinamentos de Jesus, orar e também enviar boas vibrações para aqueles que necessitam. Naquela noite, após a prece inicial, Fábio leu o trecho O Óbolo da Viúva em O Evangelho Segundo o Espiritismo (capítulo XIII, itens 5 e 6).
         - Acho que não entendi muito bem, disse Susi.
         - Vou tentar contar a parábola de outro jeito - disse Dona Janda. Há uma garota muito rica, que tem muitas roupas. Quando ela não gosta mais de uma roupa, coloca em um enorme baú; quando o baú enche, ela doa as roupas em um orfanato e fica esperando que lhe agradeçam.
         - Uma outra garota, continuou o pai, não tem muitos brinquedos. Ela costuma brincar com as crianças em um orfanato perto de sua casa e, às vezes, leva um de seus brinquedos para doar àquelas crianças que tem menos que ela. Não espera agradecimentos e doa com amor.
        - Qual delas faz a verdadeira caridade? A garota que doa o que sobra e espera agradecimento, ou a que doa pouco, mas faz com amor?
         Antes que alguém pudesse responder, o pai continuou:
         - E uma outra garota, muito pobre, será que ela pode fazer caridade?
         - E o que ela vai dar se não tem quase nada? - pergunta Susi.
         - Amor, carinho, respeito - disse logo a mãe. Ela pode visitar um doente, ajudar um amigo, fazer boas ações, sempre com amor.
         Conversando, eles entenderam que a verdadeira caridade é a que realizamos com amor, sem esperar agradecimentos. E que é possível realizá-la doando coisas materiais e através de pensamentos, palavras e ações.
         Seguiram, então, enviando vibrações para que todas as pessoas compreendessem e praticassem a verdadeira caridade. Terminaram o Evangelho no Lar com uma prece. Mais uma vez, foi um momento importante de esclarecimento, união e amor daquela família. 
Cláudia Schmidt
Questionar: (Podendo dividira Turma em dois Grupos para dar as respostas abaixo)
1.  Alguém aqui faz o Evangelho no Lar?
2   Alguém já ouviu a Parábola de Jesus sobre o Óbolo da Viúva?
3.  Por que O Óbolo da Viúva teve mais valor do que a esmola dos outros depositários?
4. Quais os tipos de Caridade que conhecemos e que podemos aplicar na nossa vivência diária?
Aula elaborada por Teresinha Medeiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário