segunda-feira, 28 de outubro de 2013

UMA LUZINHA CHAMADA AMOR




































Uma Luzinha chamada Amor 


Esta é a história de uma garotinha chamada Jujú.

Um dia, ela estava brincando no quintal quando, de repente, um garotinho muito pobre, de olhar triste, apareceu no portão e ficou observando-a.

A pequenina se inquietou com seu olhar tristonho e perguntou:

- Por que você está triste?

E o menino respondeu:

- É que eu não tenho nenhum brinquedo, e minha mãe disse que somos pobres e ela não pode me dar nada.

E Jujú, num impulso, deu-lhe a bola com que brincava, dizendo:

- Não fique triste, pois agora você tem uma bola novinha!

E o menino, transbordando alegria, deu-lhe um grande abraço e disse:

- Muito obrigado! Vou agora mesmo brincar com meus irmãozinhos.

E Jujú, feliz da vida, entrou em casa correndo para contar à mamãe o que havia acontecido, mas não precisou, pois a mamãe havia assistido a tudo pela janela.

A pequena, desconcertada, falou:

- Mamãe, eu dei a bola que a senhora me deu para o menino que estava triste! E a mamãe, surpresa com tal ato, perguntou:

- Por que você fez isso, meu amor?

E ela respondeu:

- Porque ele esta triste, e a bola deixou ele feliz. Mamãe, muito orgulhosa, deu um abraço em Jujú e disse:

- Meu bem, fico feliz com o seu ato de bondade, e desejo que sua luz,daqui para frente, brilhe cada vez mais.

- Que luz é essa mamãe? Perguntou Jujú curiosa.

E mamãe respondeu docemente:

- Meu amor, quando Papai do Céu nos criou, ele colocou uma luzinha dentro do nosso coração e disse:
você vai morar aí para sempre. E a menina perguntou:

- E eu tenho uma luzinha no coração?

- Tem sim, todos nós temos, disse a mamãe.

- E como é essa luzinha? - perguntou Jujú.

E sua mãe respondeu:

- Ela é pequenina e pura, mas pode ficar diferente. Jujú, confusa, perguntou:

- Como assim, mamãe? E mamãe respondeu:
      
- É o seguinte: essa luzinha pode ficar feliz e brilhar, bem como ficar triste e apagada; depende apenas dos nossos pensamentos e atos.

Jujú perguntou ansiosa: - E como é que eu faço para minha luz brilhar e ficar feliz?

- Cada vez que fazemos ou sentimos alguma coisa de bom, ela fica feliz e radiante,mas quando fazemos algo ruim, ela fica apagada e triste; por isso Papai do Céu diz que devemos fazer o bem. Pois ele fica feliz quando nossa luz brilha, e triste quando ela se apaga.

- E tem gente com a luzinha apagada? - disse Jujú.

E mamãe completou: - Tem sim, mas não é para sempre, pois Papai do Céu ensinou que toda luzinha do mundo, cedo ou tarde, vai brilhar muito, e quando isso acontecer todo mundo vai ser muito feliz. E Jujú, olhando o próprio peito, perguntou:

- Mamãe, como minha luzinha está agora? E mamãe respondeu, com ternura:

- Está brilhando como nunca, e Papai do Céu está muito feliz por isso,pois você está cuidando muito bem da sua luz.

- E essa luzinha tem nome? - perguntou Jujú; E mamãe respondeu, emocionada:

- Tem sim, seu nome é amor.

 E as duas se abraçaram felizes..


 Desenhos retirados do livro ‘Uma luzinha chamada amor’ do autor Clecy Petrilo, ilustrações de Célio Nunes, Editora CELD, ano 2001.

Nenhum comentário:

Postar um comentário