domingo, 1 de julho de 2012

LEALDADE

Objetivo:

 Identificar a lealdade como fidelidade ao que é bom e justo.


ATIVIDADE INTRODUTÓRIA

Instigar as crianças a refletirem sobre a seguinte situação:
Num domingo de sol você é convidado para passear no Jardim Zoológico, tomar sorvete de graça e jogar futebol numa quadra novinha. Você recusaria? Em nenhuma situação?


ATIVIDADE REFLEXIVA

Narrar: Uma prova de Lealdade

Explorar o conteúdo da história através de perguntas:
-Qual foi a reação de Flavinho quando soube do mutirão de limpeza? E os seus colegas?
-A lealdade de Flavinho ao compromisso que assumiu foi colocada à prova? Em que ocasiões?
-O que vocês acham que ele fez?
-É importante ser uma pessoa em quem se possa confiar, ou seja, uma pessoa leal? Por quê?

Enfatizar a importância da lealdade estar ligada a um compromisso com pessoas e causas que procurem o bem geral(não às pessoas que tragam prejuízos ao próximo).
Pedir exemplos de pessoas leais que o grupo conheça. Destacar que Jesus foi leal a Deus.

Concluir dizendo que toda pessoa leal ao dever:
-progride nos estudos
-mantém-se mais tempo nos empregos
-conserva mais os amigos
-merece confiança de todos
-tem sua consciência sempre em paz

ATIVIDADE CRIATIVA

Dividir os participantes em subgrupos:
Propor que cada subgrupo crie e dramatize situações que envolvam lealdade (na familia, na escola, etc).
Pedir que, após cada dramatização, as crianças opinem a respeito.

UMA PROVA DE LEALDADE

Fig.1- O aviso no mural dizia:
"Mutirão de limpeza da escola. Domingo,às 9:00h. Seja um voluntário você também!"
Flavinho leu o aviso e se inscreveu, animado com a possibilidade de ajudar a escola, que contava com poucos recursos.
-Você não vai se inscrever Mirna? - perguntou à amiga.
-Nunquinha! No domingo eu vou dormir até tarde!
-E você, Dico?
-Eu vou me inscrever, mas se eu tiver uma coisa mais interessante para fazer não vou ajudar no mutirão, não!
-Mas se você faltar, vai deixar todo mundo na mão! Isso não será leal!
-Então é melhor eu ficar fora dessa história de mutirão. Segunda-feira você me diz como foi.




Fig.2- A diretoria reuniu os voluntários no auditório para os esclarecimentos necessários e ao final disse:
-Em nome da escola eu gostaria de agradecer aos alunos, pais e professores que se ofereceram para trabalhar no mutirão. Conto com todos vocês no domingo!
Flavinho estava tão animado, que se ofereceu para ajudar o professor Ronaldo com a coordenação do mutirão. Era uma grande responsabilidade!




Fig.3- O domingo amanheceu muito bonito! Flavinho estava a caminho da escola, quando ouviu que alguém o chamava. Era a sua prima Daniela.
-Que bom que eu te encontrei! Ganhei duas entradas para o Zoológico. Quer ir comigo
-Oba! Vou sim... ai, Dani! Hoje eu não posso! Estou indo ajudar no mutirão de limpeza na escola. Fica para a próxima!
As pessoas que Flavinho encontrava estavam vestidas para ir à praia ou ao parque. Mas mesmo assim, ele permaneceu leal ao seu objetivo: ir ao mutirão. Ao passar pela sorveteria, mais uma surpresa...




Fig.4- Uma fila enorme de crianças saía da sorveteria até a esquina. O que estava acontecendo!
-Faltou luz e com isso os sorvetes amoleceram. O "Seu" Nicolau está distribuindo sorvete de graça. Se quiser é so entrar na fila.
Que tentação! Mas Flavinho lembrou-se que ele era aguardado pelo professor Ronaldo.
E a diretora também confiava nele. Era importante estar na escola no horário certo.
"O que mais vai acontecer?" - pensou o menino.




Fig.5- Ei, Flavinho! - chamou Ronaldo. Quer estar no nosso time de futebol que vem jogar na quadra que foi inaugurada? Está faltando um jogador!
-Essa não! Tudo de bom tem de acontecer hoje? Não posso, Ronaldo! Hoje é o dia do mutirão de limpeza da escola.
-Mas um ou menos um... vai ter tanta gente lá, que ninguém vai sentir a sua falta!
(Nesse momento, o educador deverá interromper a narrativa e perguntar às crianças o que elas fariam no lugar do Flavinho).
O mutirão foi um sucesso! A escola ficou muito bonita e limpa!
A diretora reuniu os colaboradores no auditório e agradeceu a todos que se esforçaram para que o trabalho fosse realizado.


Fig.6- Ao final todos aplaudiram felizes e Flavinho viu que valeu a pena ter sido leal ao seu compromisso.
Ele era uma pessoa em que se podia confiar.
E também estava em paz com a sua consciência.




Educação do Ser Integral

Nenhum comentário:

Postar um comentário