segunda-feira, 10 de outubro de 2011




150 ANOS DE O LIVRO DOS MÉDIUNS

Desde os tempos mais remotos da Humanidade, desde a mais remota Antiguidade, o ser humano tem convivido com o mundo espiritual.
Os fenômenos mediúnicos aparecem entre os mais diversos povos da antiguidade:EGÍPCIOS,HINDUS, GREGOS, HEBREUS...
As revelações divinas aconteceram sempre de acordo com o nível de entendimento dos homens através dos tempos.
A Bíblia, o livro sagrado , é repleta de fenômenos mediúnicos.

MOISÉS E OS DEZ MANDAMENTOS
Moisés recebe no Monte Sinai os 10 Mandamentos, o primeiro livro mediúnico.
Os espíritos superiores gravam diretamente na pedra os 10 mandamentos da Lei de Deus num fenômeno de escrita direta ou pneumatografia.
Há ainda inúmeros relatos de aparições de espíritos na Bíblia.

ANUNCIAÇÃO DO NASCIMENTO DE JESUS – ANJO APARECE A MARIA
O próprio nascimento de Jesus foi anunciado por um anjo – um bom espírito - que aparece a Maria anunciando a chegada do menino Jesus:
- Salve, agraciada! O Senhor é convosco! Não temas porque achaste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás a luz um filho, a quem chamarás pelo nome de Jesus.

BATISMO DE JESUS POR JOÃO BAPTISTA
Jesus nasce e numa passagem do Evangelho, antes de começar a sua tarefa aqui na Terra, quando é batizado por João Baptista no Rio Jordão, os céus se abrem e uma pomba desce sobre Ele. Ouve-se uma voz que vem dos céus e diz:
- Tu és meu filho especialmente amado; em ti é que tenho posto toda a minha complacência.


A TRANSFIGURAÇÃO NO TABOR
Um dia, Jesus junto com três dos seus discípulos, Pedro, Tiago e João sobem a um monte chamado Tabor e aí se transfigura diante deles. Seu rosto resplandecia como o sol e suas vestes se tornaram brancas como a luz.
Eis que aparecem também Moisés e Elias que falam com ele.
Então se ouve uma voz que diz:
- Este é o meu Filho amado, em que me comprazo; a ele ouvi!
Os discípulos ficam com medo e Jesus lhes diz:
- Não temais!
E quando eles ergueram os olhos mais ninguém viram, somente Jesus.

SAULO A CAMINHO DE DAMASCO
Saulo, o Doutor da Lei, que era um perseguidor de cristãos ia a caminho de Damasco a fim de aprisionar Estevão, um cristão e vê um clarão que o cega.Cai do cavalo e ouve uma voz(era Jesus) que lhe diz:
- Saulo, Saulo, por que me persegues?
A partir daí Saulo se converte ao Cristianismo e adota o nome de Paulo, passando a divulgar o Evangelho de Jesus.

JOANA D’ARC
Na Idade Média a França estava em guerra com a Inglaterra e Joana D’Arc, heroína francesa e patrona de nossa casa, ouviu de seus amigos espirituais – São Miguel, Santa Margarida e Santa Catarina – que ela tinha uma grande missão.
Essa missão era libertar a França dos ingleses. Ela vai até o Rei da França e consegue montar um exército.
Parte para a guerra e consegue libertar a França.
Como Joana D’arc dizia ouvir vozes ela foi considerada uma bruxa e queimada na fogueira.
AS IRMÃS FOX


No final do ano de 1847 nos Estados Unidos, a família Fox, composta por John Fox, sua esposa Margareth e suas três filhas: Margareth, Kate e Léa, mudou-se para o condado de Rochester indo residir no vilarejo de Hydesville, lugar de população pequena, mas muito hospitaleira.
A casa era considerada estranha pelos vizinhos, mas a família começou a ouvir ruídos que aconteciam normalmente à noite. Eram batidas por toda parte
chamadas raps.
No ano seguinte – 1848 os ruídos se intensificaram. Era o chão que vibrava e as camas tremiam. Ninguém conseguia dormir direito.No dia 31 de março uma das meninas consegue imitar as batidas e estabelecer uma comunicação:


DIÁLOGO DE KATE FOX E DE SUA MÃE COM O ESPÍRITO CHARLES ROSMA

KATE: Quem está aí? É o Senhor Pé Rachado?

NADA SE OUVE

KATE: Sr. Pé Rachado, faça o que eu faço. (bate 5 palmas)

OUVE-SE A REPRODUÇÃO DAS 5 PALMAS EM PANCADAS

MÃE: Agora, faça exatamente como eu. Conte, 1, 2, 3, 4. (bate 4 palmas)

REPETE-SE O SOM

MÃE: Meu Deus, o que será isto?

KATE: Mãe, eu já sei o que é. Amanhã é 1.o de abril e alguém quer nos pregar uma mentira.

MÃE: Qual a idade de Kate?

OUVE-SE 11 PANCADAS

MÃE: Quantos filhos eu tive?

OUVE-SE 7 PANCADAS

MÃE: Realmente tive sete filhos, mas o último morreu. Que incrível! È um ser humano que me responde tão corretamente?

NÃO HÁ RESPOSTA

MÃE: È um espírito? Se for, de 2 batidas.

OUVE-SE 2 PANCADAS

MÃE: Se foi um espírito de alguém que foi assassinado dê 2 batidas.

OUVE-SE 2 PANCADAS


E foi assim que se estabeleceu naquela noite a telegrafia espiritual, denominada mais tarde de tiptologia. Foi revelado então que aquele espírito que se comunicava através das pancadas era Charles Rosma, um homem de trinta e poucos anos, que havia morado e tinha sido assassinado naquela casa. Seu corpo havia sido enterrado na adega, que é o lugar onde se guardam os vinhos para consumo da família.

AS MESAS GIRANTES

Mais ou menos na mesma época, na França as mesas começaram a girar e a dançar.
As pessoas perguntavam e elas respondiam com batidas no chão.
Todo mundo achava muito engraçado.
Combinaram uma pancada para sim e duas para não.
- Mesinha, eu vou me casar?
Aí a mesinha dava uma pancada.
- Mesinha, eu vou ganhar muito dinheiro?
A mesinha dava duas pancadas.
- Eu vou demorar para morrer?
A mesa respondia com uma pancada.
- Qual o nome da minha mãe? Helena?
A mesa respondia com duas pancadas.
-Sílvia?
A mesa respondia com uma pancada.
E assim a brincadeira corria animada pelos salões da França. Todo mundo se divertia muito.
E foi a partir dessa brincadeira que os fenômenos foram tomando conta e os espíritos começaram a falar, a conversar, a dar mensagens. A responder perguntas complexas sobre vários assuntos: ciências, filosofia, psicologia, história...
No início as pancadas apenas respondiam sim ou não. Depois se passou ás pancadas alfabéticas, quer dizer, uma pancada para a letra a, duas para a letra b e assim por diante. E iam se formando as frases de acordo com as pancadas dadas.
Depois passaram a se utilizar de uma cesta, a cesta de bico. Colocavam a mão sobre a cesta. Na ponta da cesta havia um lápis, então a cesta escrevia num papel respondendo as perguntas que eram feitas.
Foi exatamente nessa ocasião que o prof. Rivail – o nosso Allan Kardec – um dia encontra com seu amigo Sr. Fortier, que fala para ele daquelas mesas que giravam e falavam. Respondiam até perguntas que eram feitas pelas pessoas que estavam no ambiente.

CENA DE ALLAN KARDEC
(entra e fala)
FALA DE ALLAN KARDEC
-Mas como?
Eu acreditarei quando vir e quando tiverem me provado que uma mesa tem cérebro para pensar, nervos para sentir e que pode se tornar sonâmbula. Até lá, permita-me que eu não veja nisso senão uma fábula para provocar o sono.

(Kardec se senta observando com um bloco na mão onde está fazendo anotações)
Mas depois por insistência de diversos amigos compareceu a uma dessas reuniões na casa da Sra. Plainemaison, onde presenciou pela primeira vez o fenômeno.
Depois participou de reuniões em diversas casas de pessoas que se ocupavam com aqueles fenômenos.

CENA DAS MÉDIUNS
(Entram e se arrumam na mesa se colocando na posição cfe figura da época enquanto vai sendo feita a narração)
Começou a observar e não encarou o fenômeno das mesas girantes como um divertimento qualquer.
Kardec começou a examinar o fenômeno que vinha pela cesta de bico, que vinha pela prancheta e ele foi pouco a pouco obtendo respostas para as perguntas que fazia: perguntas complexas sobre filosofia, sobre psicologia, sobre história, sobre ciências e a cada resposta ele se estarrecia porque as meninas eram semi-alfabetizadas, no entanto naquelas circunstâncias demonstravam conhecimento além da imaginação.
Mais tarde observou-se que a cesta ou a prancheta não eram mais necessárias, pois o médium, pegando diretamente o lápis, punha-se a escrever mediante a transmissão do pensamento pelo espírito que ali se fazia presente.

ENTRADA DO ESPÍRITO
(Música suave de fundo que aumenta de volume durante a cena)
( o espírito fica atrás do médium e este começa a psicografar)

(Alguém vai ler o que está escrito, como se fosse a mensagem dada)
- Nós sempre estivemos ao lado de vocês em todas as épocas da humanidade.Quando morremos,quer dizer, desencanarmos, deixamos o corpo físico aí na Terra. Viemos para o mundo espiritual e queremos dizer a vocês que a vida continua. Somos espíritos imortais.
Somos aqueles que viveram na Terra e que ao desencarnar, isto é, deixar o corpo de carne, continuamos os mesmos, iguaizinhos ao que fomos aí , com as mesmas virtudes e vícios. Não fomos mandados ao céu nem ao inferno, mas habitamos regiões felizes ou de sofrimento, de acordo com a vida que tivemos na Terra, enquanto encarnados. Se fazemos o mal vamos viver em regiões de dor e sofrimento, mas se fazemos o bem, vamos viver em regiões de alegria e felicidade.
Fiquem em paz!! Fiquem em paz!!

Todo o grupo dessa cena sai e se senta na primeira fileira

O Prof. Rivail continua e aprofunda seus estudos, levando perguntas que eram respondidas por diversos espíritos através de diversos médiuns.
Esses fenômenos não se passavam só em Paris, onde morava o Prof. Rivail.
O mesmo acontecia também em vários países. Em razão disso o Professor formulava perguntas de grande importância e as dirigia para todos os lugares onde as sessões eram realizadas.
Depois ele analisava as respostas recebidas, comparava e organizava de acordo com cada assunto.
Era uma nova Doutrina que estava surgindo. O Prof. Rivail depois de muito trabalho resolve publicá-la em forma de livro.
Em 18 de abril de 1857 surge O LIVRO DOS ESPÍRITOS dando início a Doutrina Espírita.
O Prof. Rivail então resolve assinar com o pseudônimo de Allan Kardec, nome que havia possuído numa reencarnação anterior, entre o povo druida.
Ele não queria que nada e muito menos o seu nome pudesse comprometer aquela doutrina que estava surgindo: O Espiritismo.
Allan Kardec continua os seus estudos e em 15 de janeiro de 1861 surge O LIVRO DOS MÉDIUNS, um guia precioso, um roteiro para os médiuns.
O livro veio para orientar os médiuns, que são aquelas pessoas que são intermediárias entre o plano espiritual e o plano físico. Através dos médiuns os espíritos podem se comunicar conosco, trazer conselhos, ensinamentos.
Nas reuniões mediúnicas também são atendidos espíritos sofredores que recebem esclarecimento dados pelos doutrinadores, que são pessoas que conversam com os espíritos com muito amor.

Neste mês de outubro convidamos todos vocês a conhecerem um pouco desse livro – O LIVRO DOS MÉDIUNS - que há 150 anos vem revelando e esclarecendo à luz da razão as leis que regem a comunicação com os espíritos.

Todos os participantes saem da primeira fila de cadeiras, vão para a frente e cantam a Música



O Livro Dos Médiuns
(César Tucci)

Toc, toc, toc, toc, toc
Pelas batidas as paredes falaram
E na Europa até as mesas giraram
Pra lá e pra cá

Apontando as letras do alfabeto
Ora no chão, ora no alto, no teto
Formando frases
Respondendo as questões

Quem é que estava por trás disso?
Alguém se preocupou com isso
E começou as suas investigações
E descobriu que aquele jeito esquisito
Foi a maneira que então os espíritos
Usaram prá chamar sua atenção

E foi assim que Allan Kardec
Observou como é que tudo acontece
No intercâmbio entre nós
E o além

Desenvolveu aquela nova ciência
Com muito estudo, muitas experiências
Que o seu Livro dos Médiuns mostra bem
Agora pela voz, pela caneta
Não é preciso mais usar a prancheta

Pois até mesmo pela intuição

Refrão: 2X

Nossos amigos espirituais
Sempre nos trazem as lições de paz
Saudade, incentivo e muito mais
Muito mais

http://youtu.be/xvhIZLBkOjs

http://www.4shared.com/file/49y3focv/slide_-_musica.html


MAIS MATERIAL DO PROJETO NO BLOG:
http://aartenaevangelizacaoespirita.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário