quinta-feira, 23 de junho de 2011

CORAGEM E PERSEVERANÇA

OBJETIVO:
Reconhecer que a perseverança é condição indispensável para o progresso.

ATIVIDADE INTRODUTÓRIA

Distribuir uma bola de aniversário (bexiga) cheia para cada criança. Colocar uma música alegre pedindo que as crianças espalhem-se bem e comecem a jogar para o alto suas bolas. Jogarão enquanto a música tocar, não deixando que a bola caia no chão. Ao final, todos procuram observar qual das bolas tem dentro um papelzinho dobrado. Esta será estourada e a criança deverá cumprir a tarefa indicada no papel. Exemplo: montar no flanelógrafo o quebra-cabeça do anexo 1. Prepará-lo anteriormente colando em cartolina dividida em 4 a 8 partes, conforme a idade e o desenvolvimento das crianças (colar um quadrado de lixa em cada parte para melhor fixação no flanelógrafo). O grupo incentivará a criança, que poderá receber a ajuda eventual de um colega, mas deverá tentar até terminar.



ATIVIDADE REFLEXIVA
Levar o grupo a refletir, através de perguntas, como:
– Cada um se esforçou para a bola não cair?
– O tempo todo? Ou alguém desanimou?
– E você, (fulano), que montou o quebra-cabeça, teve vontade de continuar até o fim?
– É importante não desistir quando aparece a dificuldade?
– Para não desistir é preciso ter vontade forte ou pernas fortes?

Narrar: XOM-XOM, O APRENDIZ DE PALHAÇO.

Explicar o conteúdo da história:
– Como era o Xom-Xom na escola?
– E depois que foi aprender os exercícios de palhacinho?
– O que mudou no menino?
– Podemos aprender o que queremos? Como?

Concluir que:
Quando temos força de vontade, perseveramos e vencemos as dificuldades.
Deus, nosso Pai do Céu, nos deu a vontade, que deve ser usada para fazer coisas boas.

Ainda com o grupo em círculo, perguntar se alguém quer contar alguma dificuldade que já teve e conseguiu vencer pela força de vontade.

ATIVIDADE CRIATIVA

Apresentar as histórias sem texto (anexos 2 e 3). Pedir que o grupo as observe bem e depois conte as histórias.



HARMONIZAÇÃO FINAL / PRECE

Iniciar mostrando uma pedra, deixando que as crianças a segurem e sintam como é dura e difícil de ser quebrada. Mas uma gota de água é capaz de fazer um “buraquinho” na pedra se pingar nela, no mesmo lugar, durante muitos e muitos anos. A “perseverança” da água modifica até a pedra!... (Pode-se também comparar uma pedra comum com uma pedra de rio, polida pelo movimento constante das águas).

Proceder o relaxamento da forma habitual. Pedir que visualizem uma gotinha (dágua) caindo sem parar numa pedra grande... aos poucos a pedra vai ficando diferente no lugar onde a água bate.

Meditar:
Com vontade melhoro sempre.

XOM-XOM, O APRENDIZ DE PALHAÇO

Xom-Xom era o apelido de um menino de seis anos que, por qualquer coisa, desanimava.

Fig.1- Quando foi para a escola, não queria se separar de sua mãe. Chorava, chorava, e não ficava na escola.

Fig.2- Quando cresceu mais um pouco e brincava com os amiguinhos, ficava desanimado na hora de guardar os brinquedos...
Fig.3- Xom-Xom gostou de aprender a ler. Mas, escrever!... dava muito trabalho, dizia.
Enquanto isso, seus colegas já estavam escrevendo no caderno e com uma letra bem bonita!
Fig.4- Mas um dia muitas carroças de um circo chegaram à cidade onde o menino morava.
Armaram o circo e começaram a preparar o espetáculo da inauguração.
Xom-Xom todas as tardes ia ver os ensaios. E observava com atenção o palhacinho Curumim, neto do dono do circo.
Ele andava com as mãos, de pernas para o ar, dava cambalhotas e até caminhava sobre uma corda, sem cair.
Um dia XomXom tomou coragem e perguntou a Curumim se era muito difícil conseguir fazer aquelas coisas.
O palhacinho disse que no começo era muito difícil mas, tendo vontade forte, tudo se aprendia .
Depois da conversa, Curumim pediu ao avô para também treinar o novo amigo Xom-Xom.
O dono do circo aceitou, desde que os pais do menino permitissem.
Tudo combinado, Xom-Xom começou os ensaios. No começo tudo era difícil. Os dias iam passando e tudo pareceu mais fácil. Quando Xom-Xom errava, repetia o exercício até acertar.



Fig. 5- No dia da inauguração do circo, dois palhacinhos quase do mesmo tamanho entraram vestidos iguaizinhos. Fizeram muitas piruetas e brincadeiras. Xom-Xom só não tinha aprendido a andar na corda, mas sabia que, mais tarde, com o treino, poderia aprender. Os palhacinhos receberam muitas e muitas palmas.
Os colegas de Xom-Xom quase não acreditaram.
Como Xom-Xom se tornou tão corajoso? Como ele havia mudado tanto?
E desde aquele dia Xom-Xom teve coragem para vencer qualquer dificuldade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário