domingo, 29 de maio de 2011

EMOÇÕES

Objetivo:
Reconhecer que os conflitos psicológicos podem gerar emoções perturbadoras e doenças

Atividade Introdutória

Com as crianças sentadas na rodinha, perguntar a cada uma:
– Você tem alguma coisa que gosta muito e que se alguém tirasse, você brigaria?
Anotar as respostas para melhor conhecimento das crianças e condução do diálogo.

Atividade Reflexiva
A partir das respostas dialogar para que as crianças entendam que não devemos deixar que os outros tirem o que é importante para nós; mas defender-se não é agredir, perder a calma, perder a paciência, xingar, chutar os objetos.

Narrar: A Mestra D.Galinha

Avaliar a compreensão da história, através de perguntas.
– Quando Liloca ficava cheia de manchas vermelhas na pele?
– Por que Liloca colheu os repolhinhos antes de crescerem?
– Por que Liloca estava tão zangada no ônibus?
– Por que Liloca chutou o boliche?
– O que Liloca observou na D. Galinha?

Pedir que as crianças, observando as gravuras 2,3 e 4 digam o que Liloca fez de errado e qual seria a ação correta em cada situação. Ressaltar as vantagens da ação correta, e de estarmos sempre em paz para termos boa saúde.

Atividade Criativa
Todos de pé em dupla. Propor a brincadeira de “Amigo”. O educador sugere a situação e as crianças (a dupla) expressam-na através de gestos.
Exemplo:
• Os amigos acordam... (espreguiçam-se, calçam-se, escovam dentes...)
• Os amigos se arrumam...
• Os amigos se encontram...
• Os amigos se cumprimentam...
• Os amigos marcham no mesmo lugar...
• Os amigos batem palmas, todos juntos...
• Os amigos pulam num pé só...
• Os amigos pedem licença para trocar de lugar...
• Os amigos desenham segurando juntos o mesmo lápis... (deixar material já preparado)
• Todos os amigos se sentam em silêncio.
6- Harmonização Final/ Prece

Pedir que o grupo pense num céu muito azul, sem nenhuma nuvem. Imaginar que olha esse céu sentindo alegria e paz.

Meditar:
Como é bom viver em paz com meus amigos!



A MESTRA D.GALINHA

Liloca era uma menina muito esperta.
Seus colegas a chamavam de “Liloca-bombinha”.
Sabem por quê? Por qualquer contrariedade, fazia um “barulhão”.
Discutia. Brigava com os colegas. Falava alto.
Parecia mesmo uma bombinha estourando.

Fig.1- E sempre que discutia, Liloca ficava cheia de manchas vermelhas no rosto, no pescoço, nos braços...
Liloca se perguntava: – Por que eu fico assim?
Vocês saberiam explicar?
Para vocês pensarem melhor, vou falar um pouco mais de Liloca.
Um dia Liloca fez um canteirinho de repolhos no quintal.
Todos os dias cuidava dele e os repolhos iam crescendo, devagar como crescem as plantas, os vegetais e as crianças. Mas Liloca não quis esperar.




Fig.2- Pegou sua pazinha e colheu vários repolhos.
Só que eles estavam ainda pequeninos, bem diferentes daqueles que o Seu Armando colhe na sua horta.
E Liloca começou a chorar reclamando do tamanho dos repolhos...
Liloca tinha razão?




Fig.3- No outro dia Liloca e sua mãe foram fazer compras. O trânsito estava difícil e o ônibus demorou a chegar à cidade. Liloca ficou de cara feia, reclamando da demora.
Logo a menina ficou com aquelas manchas vermelhas...




Fig.4- O mesmo aconteceu no dia em que foi jogar boliche com as amiguinhas.
Perdeu várias vezes na brincadeira.
Irritada, chutou os boliches e discutiu com as amigas.
Logo depois, apareceram as manchas vermelhas.
Vocês já sabem qual é o problema de Liloca?
Isso mesmo! Ela fica cheia de manchas sempre que fica irritada ou furiosa.
Quando uma pessoa é assim, o seu corpo sempre adoece, cada um de um jeito.
Uns ficam com manchas vermelhas, outros ficam com dor de estômago.
Mas Liloca está mudando.
Sabem quem está ensinando a menina a ser mais calma?


Fig.5- D. Galinha!
Liloca observava todos os dias a galinha chocando, pacientemente, os seus ovos.
Para aquecê-los, ali ficava no choco, na mesma posição muito tempo. Sempre quietinha, paciente...
Durante vinte e oito dias ali ficou, até os pintinhos nascerem. E agora eles estão crescendo, espertos e sadios.
Liloca compreendeu que todas as coisas boas só são conseguidas com calma, com boa vontade, com paciência...
Desta forma, teremos paz.
E com paz no coração temos mais saúde...
E acendemos mais uma luzinha no “eu-luz”...

Nenhum comentário:

Postar um comentário