quarta-feira, 11 de maio de 2011

AÇÃO E REAÇÃO

Utilizando o fantoche “Sabe-tudo”, realizar um diálogo com as crianças sobre os cuidados que devemos ter com os objetos, colocando-os, depois de usá-los, nos lugares certos para que possam ser encontrados facilmente. O fantoche pedirá que as crianças prestem atenção à história.

ATIVIDADE REFLEXIVA

Narrar: A Distração de Candinha

O fantoche “Sabe-tudo” volta a conversar com as crianças, avaliando com perguntas a compreensão da narrativa e lembrando outros cuidados que evitam acidentes ou prejuízos.

O fantoche continua a conversa e ensina a quadrinha com a música de “Ciranda, Cirandinha”:

Guarda, guarda, guarda tudo,
Cada coisa em seu lugar
Faça tudo com atenção
Para as coisas encontrar.

Repetir para que as crianças aprendam

ATIVIDADE CRIATIVA


Apresentar objetos comuns como, por exemplo, um copo de papel, perguntando:
– O copo serve para colocar água, refresco ou leite. O que mais eu poderia fazer com um copo de papel? (porta-lápis, joguinhos...)

Possibilitar às crianças fazer essas montagens sugeridas, usando sucata.

Ao final, mostram o que fizeram e pergunta-se:
– Qual o lugar de colocarmos este... (porta-lápis...)?
Continuar a atividade enquanto houver interesse.

HARMONIZAÇÃO FINAL / PRECE

Mostrar às crianças uma flor como, por exemplo, uma dália. Pedir que observem :
– Vejam como as pétalas (indicar) desta flor são bem “arrumadinhas” e fazem que ela seja tão bonita!

- Pedir que se sentem em silêncio, respirem calmamente e fiquem pensando nessa flor tão bonita que Deus criou (30 segundos).

Meditar:

Deus faz tudo com ordem e beleza. Eu vou também fazer.

A DISTRAÇÃO DE CANDINHA

Fig. 1- Totó era o cachorrinho mais esperto da sua rua.
Candinha passava horas alegres com seu bom companheiro.
Todas as tardes a menina brincava com ele no quintal de sua casa.
Ela jogava para o alto bolas, ossos de borracha e outros objetos.
Tudo Totó abocanhava, em grandes saltos, levando de volta para a sua dona.
Ele parecia até um animal de circo!


Fig.2 O avô de Candinha trouxe-lhe um grande cacho de bananas colhido no seu sítio.
De tarde, a menina comeu algumas bananas e foi jogando as cascas para brincar com Totó.
Depois as cascas foram ficando pelo chão... Candinha nem pensou no perigo.
No final da tarde, começou uma forte ventania.
Em poucos minutos caíam grossos pingos de chuva.
Dona Esmeralda, a mãe de Candinha, estava muito ocupada com o jantar e pediu para a filha recolher depressa toda a roupa que estava no varal.
A menina obedeceu logo a mamãe. Correndo, com os braços cheios de roupa, nem viu as cascas de banana espalhadas pelo chão.


Fig.3- E... zás! Escorregou e lá se foram as roupas pelo chão!
Candinha olhou desconsolada. Como mamãe trabalhou para que as roupas ficassem bem clarinhas! E agora? Estavam todas enlameadas.


Fig.4- Com pá e vassoura, Candinha recolheu as cascas de banana, enquanto pensava:
“Ah! distração danada!...”


Fonte: Educação do Ser Integral

Um comentário:

  1. A PAZ DO SENHOR ! ADOREI O SEU BLOG
    QUE VC CONTINUE SEMPRE ASSIM
    FIQUE COM DEUS
    DEIXE O SEU RECADINHO NO MEU BLOG OK??

    ResponderExcluir