quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

TEATRO - O SOLZINHO BONIFÁCIO



NARRADOR :Solzinho Bonifácio acabara de nascer num Universo... Estendeu seus raiozinhos até onde pôde
Se espreguiçou...
Se espreguiçou...
Depois, fechou-se todinho.
Estava gostoso e quentinho dentro dele.
E ele não queria ter de dividir com coisa alguma, nem com ninguém mesmo.
Os satélites, os Cometas e os outros Corpos Celestes que o Pai do Céu havia enviado para formar com ele novo sistema solar, ficaram logo tristes!

LUA: Nossa! Que solzinho mais egoísta!

COMETA: E agora? Que haveremos de fazer?

LUA:Vamos marcar uma reunião nas “Pequenas Nuvens BZ12”.

NARRADOR: Mas, o Solzinho não compareceu.
E...A cada dia...,
Acordava menos disposto a colaborar.
Ora...
Cada um que cuidasse de si.
Porque,ainda tão novinho era já obrigado a se doar?
O Universo era tão bonito!...
Queria primeiro conhecê-lo!...
Um, emissário do Senhor depois de ouvir todas as queixas com bastante atenção, falou bem assim:

EMISSÁRIO: “Cada ser vivo, cada corpo celeste, cada criação do Pai do céu, tem de aprender a viver ajudando uns aos outros no Universo!”.
Desde os seres inferiores da criação até o homem e as estrelas!
E mais ainda:
‘Esta é a ordem máxima!
Portanto, matriculem o Solzinho já numa Escola de Sóis!”

NARRADOR: E lá se foi Solzinho Bonifácio a Escola BSO (dos objetos estelares)
De mochila nova e tudo.
Nela, carregava raiozinhos,para aprender, no recreio, a enviá-los com toda a força.
Lá, ele aprendeu estas coisas muito antigas:
Deus existe
É A CAUSA PRIMÁRIA DE TODAS AS COISAS
É A INTELIGÊNCIA SUPREMA TAMBÉM.
E FORA Ele,quem o havia criado com uma destinação.
E então o Solzinho resolveu fazer uma viagem pela sua Galáxia para conhecer os outros Sóis.
Já aprontara as malas até quando uns satélites se aproximaram dele.
E Reidi, o mais novinho satélite do seu sistema solar falou bem assim:

REIDI: “Solzinho Bonifácio, você é uma Estrela e, como todos os demais corpos celestes, atrai outros corpos para junto de si”.

LUA MARILI: “Eu soube que existem buracos negros por aí!...”.
E se todos cairmos num deles?
Vamos De-sa-pa-re-cer?!

NARRADOR: Solzinho Bonifácio tomou um susto!
E agora!
Quando ouviu uma voz bem longe.
Era uma estrelinha chamada Mari-inha, que gritava para ele assim:

MARI-INHA: “Solzinho Bonifácio, eu acho que nunca devemos tomar nenhuma atitude precipitada,só para satisfazer nossos caprichos! Eu também queria brilhar na Via-Láctea! Mas, se Deus me criou aqui é porque tem um plano para mim”.
Não é mesmo?
Tenho mais é que obedecer!..”

NARRADOR: Não demorou muito e duas estrelinhas que acabavam de nascer enviaram suas opiniões.

DUAS ESTRELINHAS: Pense em nós Bonifácio.
Afinal,formamos ou não uma grande família?
Você não pode desarrumar nossa casa, nosso “Céu Quase Azul”, certo?

NARRADOR: Solzinho Bonifácio olhava para um lado meio perdidão.Que decisão tomar? (É muito importante entender os outros,aceitá-los como verdadeiramente são, não é verdade?)
Foi só aí, então,que chegou a vez do cometa Marins,que levou este nome por causa de quem o descobriu, anunciar com sua voz de trovão:

COMETA: “Se você sair de sua órbita, como eu vou aparecer de 100 em 100 anos,Solzinho?”.
Como vai ser minha rota?
Vou ficar perdido,Bonifácio.
Vou ficar perdido neste imenso Universo.”
E começou a chorar...
Chorar...chorar...

NARRADOR: E quanto mais chorava,mais aumentava a claridade de sua enorme cauda gasosa de luz.
Iluminou,intensamente,cada cantinho da galáxia, “Céu quase azul”.
Foi só aí que o Solzinho Bonifácio se olhou
E se enxergou como se estivesse frente a um grande espelho
Também... Com aquela estranha luminosidade.

SOL: Nossa!
Não é que sou uma enorme fornalha?
O maior astro do meu sistema solar.
Giro em torno de mim mesmo,ao mesmo tempo em que caminho pelo espaço.
Estavam certos.Eu nasci para dar vida e aquecer.
É mesmo, tudo está interligado na obra do Pai.
Só uma inteligência infinita poderia ter criado tudo tão perfeito.
Sim, Deus existe.

NARRADOR: Ele comprovara em si mesmo.
E aí foi dar sua primeira voltinha. Esquentou, o mais que pôde,a sua fornalha interna e anunciou em voz bem alta na “Galáxia Céu Quase Azul”.

SOL: OM!OM!
“Todos atentos!”.
Vou começar a girar, da direita para a esquerda, em volta de mim mesmo,
E caminhar toda a minha rota...
Sigam-me Planetinhas e Planetóides
Aqueçam-se de vez!
Quero VIDA, MUITA VIDA em todos vocês!
Vamos decolar agora!
Afinal...
Esta é a nossa primeira voltinha!
E ainda teremos muitas, muitas voltinhas pela frente...
Por muitas e muitas eras...
Para atravessar nossa órbita deste imenso Universo de Deus.

MÚSICA

TELESCÓPIO
Tia Vilma
Depois que o homem
Inventou o telescópio
Até parece que o Universo cresceu
E onde pensava, não haver mais nada
Milhões de sóis
E outras galáxias percebeu
São,são as muitas moradas
As muitas moradas da casa do Pai
Por muitos destes mundos
O espírito passa
E evoluindo ele vai, vai...

Adaptação do Livro-Solzinho Bonifácio de Cléo de Albuquerque Mello

Nenhum comentário:

Postar um comentário