domingo, 30 de maio de 2010

LEIS MORAIS


Resultado de imagem para LEIS MORAIS

1-DINÂMICA DE INTEGRAÇÃO/MOTIVAÇÃO

Ao som de música instrumental suave, levar metade dos evangelizando a caminharem com os olhos vendados, por três minutos, em absoluto silêncio, com alguns obstáculos no chão. Concluída essa etapa, deverão caminhar, por mais dois minutos, com o apoio de outro evangelizando, que os conduzirá. Todos sentados deverão expressar o que sentiram nos dois momentos. Conclusão: precisamos, para caminhar em segurança, de um guia. Jesus é nosso modelo e guia espiritual da humanidade. As leis morais e as leis da natureza, que regem o universo, também devem funcionar como guias dos quais não nos devemos afastar, se desejarmos uma vida equilibrada, ajustada e feliz.

2. DESENVOLVIMENTO DO CONTEÚDO

a. Todas as leis da Natureza são divinas, pois que Deus é o seu Autor. Abrangem tanto as leis físicas como as leis morais.
b. O Universo é regido por leis naturais que sustentam seu equilíbrio. A história da ciência é o histórico dessas leis.
c. A própria Terra (com seus sistemas ecológicos, geológicos, climatológicos, hidrográficos) é um imenso organismo, orientado por leis naturais que sustentam a vida.
d. Cada vez mais, os cientistas vão se convencendo da necessidade de se respeitar a Natureza, que sempre reagirá aos abusos do homem com males variados, resultantes do chamado desequilíbrio ecológico.
e. Muitos homens admitem ser o Universo regido por leis rigorosas, mas negam a presença de um criador que o planejou e sustenta. É algo como apreciar um relógio sem reconhecer a existência do relojoeiro.
f. É muito difícil explicar o Universo sem Deus.
g. Deus é o Pai Celeste, de infinito amor e misericórdia, a trabalhar incessantemente pela felicidade de seus filhos.
h. A Terra é um planeta habitado por espíritos em estágios primários de evolução – daí as desigualdades e sofrimentos do mundo.
i. Mal saímos da agressividade que caracteriza os brutos, orientados unicamente pela satisfação de suas necessidades. E ainda nos comportamos como crianças preocupadas com o próprio bem-estar, incapazes de assumir plenamente nossas responsabilidades.
j. Em favor de nossa evolução funcionam leis naturais que um dia farão parte dos princípios da ciência oficial, destacando-se: (i) Reencarnação – as experiências na carne serão repetidas tantas vezes quantas forem necessárias, até que aprendamos as lições da Vida; (ii) Causa e Efeito – colheremos, invariavelmente, o fruto de nossas ações, aprendendo a distinguir o certo do errado, o que nos é lícito ou não fazer; e (iii) Sintonia Psíquica – somos inspirados e conduzidos por influências espirituais que podem nos precipitar no abismo ou elevar às alturas, mas sempre de conformidade com o rumo que imprimamos à nossa vontade. Tudo isso para vencer o egoísmo e nos prepararmos para a vivência do amor, a lei suprema de deus, que equilibra o Universo e sustenta a Vida.
k. Existem dez Leis Morais que nos auxiliam a evolução:
I. Lei de Adoração;
II. Lei do Trabalho;
III. Lei de Conservação;
IV. Lei de Reprodução;
V. Lei de Destruição;
VI. Lei de Sociedade;
VII. Lei do Progresso;
VIII. Lei de Igualdade;
IX. Lei de Liberdade;
X. Lei de Justiça, de Amor e de Caridade

. Trabalharemos o significado dessas leis em três ou quatro equipes que terão a missão de estudar o enunciado de cada lei Ao final, cada equipe exporá e explicará ao restante do grupo o resultado de seu trabalho e pesquisa.
Após a exposição em plenária, refletir que:
I. à exceção dos marginais, normalmente as pessoas procuram cumprir as leis do país onde vivem, entendendo que isto é fundamental, em favor de sua própria tranqüilidade, evitando onerosas multas ou indesejável estágio na prisão. Descuidam-se, entretanto, das leis que vigem em sua própria consciência, cuja inobservância pode levá-los ao desajuste e à infelicidade.
II. Em nosso benefício, devemos, ao colocar a cabeça no travesseiro para o repouso noturno, examinar nossa consciência, à luz das Leis Morais. Como responsáveis cidadãos do Universo, estamos observando estas Leis para conquistar paz e harmonia?

JOGO DAS LEIS MORAIS

LEI DE ADORAÇÃO
JÁ QUE A ORAÇÃO NOS ELEVA E NOS LIGA A DEUS, NOS FAZENDO SENTIR PAZ E HARMONIA, NOS DEIXANDO CALMOS, EXERCITE A LEI DE ADORAÇÃO: FAÇA, EM VOZ ALTA, UMA ORAÇÃO A DEUS, LOUVANDO-O POR TODA A SUA CRIAÇÃO E PELA VIDA QUE LHE DEU.
(Você pode começar sua oração assim: Pai de amor e bondade, eu te louvo, Senhor, por tudo o que criaste... pelo Sol que me ilumina e aquece, pela Natureza...)

LEI DE ADORAÇÃO
JÁ QUE A ORAÇÃO NOS ELEVA E NOS LIGA A DEUS, NOS FAZENDO SENTIR PAZ E HARMONIA, NOS DEIXANDO CALMOS, EXERCITE A LEI DE ADORAÇÃO: FAÇA, EM VOZ ALTA, UMA REFLEXÃO SOBRE AS MARAVILHAS QUE DEUS CRIOU, PRINCIPALMENTE TUDO O QUE SE RELACIONA À SUA VIDA.
(Realmente, Deus é todo Poder e Bondade. Vejam só, ele criou todas as formas de vida... Criou a mim, com meu corpo perfeito, minha capacidade de pensar...)

LEI DE TRABALHO
FALE PARA O GRUPO QUE TIPO DE ATIVIDADE VOCÊ DESENVOLVE.
(Pode ser atividade física – trabalho, afazeres domésticos, ginástica, etc... – ou mental – leitura, estudo, etc.)



LEI DE TRABALHO
FALE PARA O GRUPO QUAL A PROFISSÃO DE SEUS PAIS

LEI DE TRABALHO
VOCÊ ACEITARIA QUALQUER TIPO DE TRABALHO? QUE TIPO DE TRABALHO VOCÊ NÃO ACEITARIA FAZER? QUE TIPO DE TRABALHO VOCÊ ADORARIA FAZER?

O QUE ACONTECE COM UMA PESSOA QUE PASSA MUITO TEMPO SEM TRABALHAR, SEM DAR SUA CONSTRIBUIÇÃO EM CASA OU NA SOCIEDADE?
LEI DE CONSERVAÇÃO
PROVE QUE VOCÊ PRATICA A LEI DE CONSERVAÇÃO, RECOLHENDO TRÊS OU MAIS “LIXINHOS” DO CHÃO E COLOCANDO-OS NO TONEL, LOCAL APROPRIADO.


LEI DE CONSERVAÇÃO
QUANDO PODEMOS AFIRMAR QUE UM JOVEM TEM CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA, COLABORANDO COM A NATUREZA, EM SINTONIA COM A LEI DE CONSERVAÇÃO?


LEI DE CONSERVAÇÃO
ASSUMA DIANTE DO GRUPO O COMPROMISSO DE SEMPRE PRESERVAR A NATUREZA, SEM DESTRUÍ-LA.


LEI DE REPRODUÇÃO
ESCOLHA ALGUÉM DO GRUPO, DO SEXO OPOSTO: FAÇA-LHE UMA DECLARAÇÃO DE AMOR, PROMETENDO-LHE CUIDAR DO SENTIMENTO QUE OS UNE COMO SE CULTIVA UMA FLOR.


LEI DE REPRODUÇÃO
REPRESENTE O PAPEL DE UM(A) ADOLESCENTE ARREPENDIDO(A) POR TER PROVOCADO OU PRATICADO O CRIME DO ABORTO, COMO CONSEQÜÊNCIA DE UMA ATITUDE IRRESPONSÁVEL SUA.


LEI DE REPRODUÇÃO
CITE EXEMPLOS (SEM MENCIONAR NOMES) DE PESSOAS QUE VOCÊ CONHECE QUE NÃO CUMPREM A LEI DE REPRODUÇÃO POR ESTAREM ENVOLVIDOS COM A PROSTITUIÇÃO OU COM VÍCIOS.


LEI DE LIBERDADE
JÁ QUE TEM LIBERDADE DE ESCOLHER ENTRE O BEM E O MAL, O QUE NORMALMENTE ACONTECE COM O JOVEM QUE ESCOLHE O CAMINHO DAS DROGAS E DA MARGINALIDADE


LEI DE LIBERDADE
JÁ QUE TENHO LIBERDADE DE ESCOLHER ENTRE O BEM E O MAL, QUE TIPO DE FRUTOS POSSO COLHER SE EU SEMEAR A BONDADE, A PAZ, A ALEGRIA E O AMOR POR ONDE PASSAR?


LEI DE LIBERDADE
QUEM É MAIS CULPÁVEL POR UM ATO ERRADO: UMA PESSOA SEM ESTUDOS OU ALGUÉM QUE JÁ ESTUDOU BASTANTE? UMA CRIANÇA OU UM ADULTO? POR QUE?


LEI DE AMOR, JUSTIÇA E CARIDADE
QUAL O MAIOR DE TODOS S MANDAMENTOS, SEGUNDO JESUS?


LEI DE AMOR, JUSTIÇA E CARIDADE
MENCIONE DOIS TIPOS DE CARIDADE QUE TODO JOVEM PODE FAZER, SEJA EM CASA, SEJA NA ESCOLA, SEJA NA RUA?


LEI DE AMOR, JUSTIÇA E CARIDADE
AO NOS RELACIONARMOS COM NOSSO PRÓXIMO, QUAL DEVE SER A NOÇÃO DE JUSTIÇA MAIS BÁSICA QUE DEVEMOS TER?


LEI DE DESTRUIÇÃO
O QUE VOCÊ FARIA SE SOUBESSE QUE VAI MORRER OU DESENCARNAR NO PRÓXIMO MÊS?


LEI DE DESTRUIÇÃO
IMAGINE QUE VOCÊ JÁ DESENCARNOU E QUE SE ENCONTRA VIVO NO PLANO ESPIRITUAL. QUAL A PRIMEIRA ATITUDE QUE VOCÊ TERIA?


LEI DE DESTRUIÇÃO
SUPONHA QUE EM OUTRA VIDA VOCÊ FEZ MAL A DETERMINADA PESSOA. NA VID AATUAL VOCÊ SOFRE, PORQUE ACHA QUE A TAL PESSOA LHE MALTRATA INJUSTAMENTE. QUAL DEVE SER SUA ATITUDE NESTA SITUAÇÃO?


LEI DE DESTRUIÇÃO
IMAGINE QUE UM DE SEUS FILHOS É EXCEPCIONAL... VOCÊ SABE QUE NÃO SE TRATA DE UM CASTIGO DE DEUS, PORQUE DEUS NÃO CASTIGARIA UM BEBÊ QUE NENHUM MAL PODE TER FEITO. ALÉM DISSO, DEUS NÃO CASTIGA NINGUÉM – ELE É NOSSO PAI DE AMOR E BONDADE. ENTÃO, O BEBÊ SENSO EXCEPCIONAL, ISTO SOMENTE PODE SER CONSEQÜÊNCIA DE VIDAS PASSADAS; OU, ENTÃO, UMA PROVA QUE VOCÊ DEVE ENFRENTAR PARA APRENDER ALGO... COMO VOCÊ DEVE AGIR?


LEI DE SOCIEDADE
O QUE ACONTECE QUANDO AS PESSOAS, MESMO VIVENDO EM SOCIEDADE, SÓ PENSAM EM SI, SENDO EGOÍSTAS?


LEI DE SOCIEDADE
QUAIS AS CONSEQÜÊNCIAS POSSÍVEIS DO DESRESPEITO ÀS LEIS CIVIS DA SOCIEDADE?


LEI DE PROGRESSO
SEGUNDO O QUE DIZ A LEI DE PROGRESSO, QUAL O FUTURO DE UM JOVEM QUE ABANDONA OS ESTUDOS, HOJE EM DIA? QUE PERSPECTIVAS DE CRESCIMENTO ELE TEM?


LEI DE PROGRESSO
SE TODOS PODEMOS CHEGAR À PERFEIÇÃO RELATIVA (PORQUE A PERFEIÇÃO ABSOLUTA SÓ MESMO DEUS PODE TER), O QUE DEVEMOS FAZER A CADA DIA E A CADA HORA PARA CUMPRIR A LEI DE PROGRESSO?


LEI DE IGUALDADE
EMBORA SEJAMOS IGUAIS PERANTE DEUS – SEGUNDO DIZ A LEI DE IGUALDADE -, ÀS VEZES PERCEBEMOS QUE ALGUMAS PESSOAS, DESCONHECEM ESTA VERDADE E DISCRIMINAM PESSOAS EM FUNÇÃO DE SUA CONDIÇÃO SOCIAL. CITE UM EXEMPLO DESSA SITUAÇÃO.


LEI DE IGUALDADE
EMBORA SEJAMOS IGUAIS PERANTE DEUS – SEGUNDO DIZ A LEI DE IGUALDADE -, ÀS VEZES PERCEBEMOS QUE ALGUMAS PESSOAS, DESCONHECEM ESTA VERDADE E DISCRIMINAM PESSOAS EM FUNÇÃO DE SUA CONDIÇÃO SOCIAL. CITE UM EXEMPLO DESSA SITUAÇÃO.


LEI DE IGUALDADE
EMBORA SEJAMOS IGUAIS PERANTE DEUS – SEGUNDO DIZ A LEI DE IGUALDADE -, ÀS VEZES PERCEBEMOS QUE ALGUMAS PESSOAS, DESCONHECEM ESTA VERDADE E DISCRIMINAM PESSOAS EM FUNÇÃO DE SUA CONDIÇÃO FÍSICA. CITE UM EXEMPLO DESSA SITUAÇÃO.


LEI DE IGUALDADE
EMBORA SEJAMOS IGUAIS PERANTE DEUS – SEGUNDO DIZ A LEI DE IGUALDADE -, ÀS VEZES PERCEBEMOS QUE ALGUMAS PESSOAS, DESCONHECEM ESTA VERDADE E DISCRIMINAM PESSOAS EM FUNÇÃO DE SUA CONDIÇÃO RACIAL. CITE UM EXEMPLO DESSA SITUAÇÃO.


LEI DE IGUALDADE
EMBORA SEJAMOS IGUAIS PERANTE DEUS – SEGUNDO DIZ A LEI DE IGUALDADE -, ÀS VEZES PERCEBEMOS QUE ALGUMAS PESSOAS, DESCONHECEM ESTA VERDADE E DISCRIMINAM PESSOAS EM FUNÇÃO DE SUA CONDIÇÃO CULTURAL. CITE UM EXEMPLO DESSA SITUAÇÃO.

PRESERVAÇÃO DA NATUREZA



Resultado de imagem para pelos caminhos da evangelização -PRESERVAÇÃO DA NATUREZA


ASSOCIAÇÃO ESPÍRITA DA CANDELÁRIA
3º, Ciclo da Infância –

Prece inicial

1º. Momento:

Questionar para cada evangelizando e anotar as respostas:

1.O que você está fazendo para preservar a natureza?

2º. Momento:

Leitura do texto “Salve o Planeta”.

3º. Momento: Dividir a turma em e pedir para que cada grupo desenvolva um trabalho em forma de poesia, música, teatro ou jornal falado.

4º. Momento:

Apresentação em plenário dos grupos.

Lembrar que Cuidando do nosso Planeta estaremos pensando no futuro que não apenas serão dos nossos filhos e netos mais para nós mesmos, que como espíritos eternos que somos retornaremos em uma nova Reencarnação e iremos desfrutar de um mundo melhor.

Prece final

Recursos:

Leitura de texto
Papel e lápis e borracha.
Cartolina.
Cola.
Figuras de revistas.

Elaborada por Teresinha Medeiros

Salvem o Planeta!


Aquele era um lugar diferente. Havia muitas árvores grandes, com mais de cem anos, flores e plantas grandes e pequenas, de diversas cores. Era um local de muitos passarinhos e três cachorros, que moravam em meio a toda àquela natureza. As crianças adoravam brincar naquele local que chamavam, carinhosamente de Planeta, mas que era na verdade um terreno, no final da rua, que mais parecia uma floresta. Ali era o ponto de encontro da garotada: havia balanços nas árvores, um belo pomar e trilhas por onde elas adoravam andar de bicicleta.
Porém, em um dia quente de verão Clarinha contou uma triste notícia às crianças que brincavam naquele local:
- Vão destruir o nosso Planeta!
No início as outras crianças não entenderam direito, mas então Clarinha explicou que pretendiam fazer um campo de futebol naquele local que eles tanto gostavam e que eles chamavam de Planeta. As árvores seriam derrubadas, as flores e plantas coloridas seriam cortadas, os passarinhos ficariam sem ninhos, e os cachorros teriam que encontrar outro lugar para morar.

O alvoroço foi geral! Além de toda destruição da natureza logo se perguntaram onde iriam brincar? Na rua ou nas proximidades não havia outro local com sombra e que fosse tão legal para reunir a turma da rua. Todos ficaram tristes e pensativos: o que poderiam fazer para que a natureza não fosse destruída?
Foi então que Augusto deu uma idéia:
- Que tal fazer uma Campanha?
Conversaram mais um pouco e decidiram tentar salvar o seu querido Planeta: alguns iriam fazer desenhos para distribuir em uma campanha de preservação da natureza; outras crianças iriam pedir aos pais que falassem com o dono da área verde e com o prefeito para impedir que a natureza daquele local fosse destruída.
Organizaram também um abaixo-assinado para preservação das árvores e flores e combinaram que determinado dia todos iriam abraçar o Planeta, local de que eles tanto gostavam.
No dia marcado, as crianças escolheram uma das maiores árvores, logo na entrada da área verde e juntas deram um enorme abraço nela. Tiraram fotos, mandaram para o Jornal da cidade e Clarinha deu até uma entrevista pedindo que não derrubassem as árvores e não cortassem as flores e as plantas.
A população local também apoiou a campanha e a Escola do bairro dedicou um dia para estudar a natureza do local. Neste dia os alunos visitaram o Planeta e fotografaram tudo de belo que havia ali e fizeram uma bela exposição de fotos na Escola.
E por causa da Campanha que as crianças realizaram que o dono do terreno acabou desistindo de construir um campo de futebol naquele local, pois ele descobriu que aquele local era importante para as crianças da rua, inclusive ficou sabendo que seus dois filhos também adoravam brincar no Planeta quando iam à casa dos primos.
Claudia Schmidt

quinta-feira, 27 de maio de 2010

O PRECURSOR - MISSÃO DE JOÃO BATISTA

. OBJETIVO: A criança deverá reconhecer no Profeta João Batista o precursor do Messias, aquele que, anunciado
durante séculos sucessivos, preparou o povo para receber os ensinamentos do Mestre.
. BIBLIOGRAFIA:
Malaquias, 4: 5; 1 Reis, 18: 22 a 46; 19: 1 a 7; 2 Reis, 1: 8.
Mc, 1: 7; Jo, 1: 6,7 e 21; Mt, 3: 1 a 3, 11: 13 e 14, 17: 10 a 13; Lc, 1: 13 a 19.
Síntese de O Novo Testamento (Mínimus).
Dicionário da Bíblia (John D.Davis).
. AULA:
a) Incentivação inicial: Interrogatório.
O Evangelizador deverá perguntar às crianças se já ouviram dizer que o Profeta João Batista foi o precursor
de Jesus. Depois, perguntar o que significa a palavra precursor, verificando se coincide com o que dizem os dicionários:
Precursor: “Que vem adiante de alguém anunciar a sua chegada.”
b) Desenvolvimento: Narração.
Conforme nos fala a Bíblia, a reencarnação do Profeta Elias era aguardada pelos Judeus, pois a sua volta
seria o sinal da vinda do Messias, de quem ele seria o precursor, ou seja o preparador dos seus caminhos. ”E eis que
vos envio o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor.” (Malaquias, 4: 5).
Chegado o tempo, o seu renascimento foi anunciado a Zacarias, que o receberia como filho. Zacarias era um
sacerdote do templo, casado com Isabel. O casal não tinha filhos e Isabel era considerada estéril. Naquele tempo,
quando um casal não tinha filhos, a esterilidade era atribuída somente à mulher. Eles, que já não eram jovens, sempre
pediram um filho a Deus, mas chegaram à idade madura sem que Deus lhes respondesse às orações.
O Evangelista Lucas diz que coube a Zacarias, naquele dia, oferecer o incenso no templo. Ao entrar no
templo a fim de acender o incenso, como de costume, um Espírito lhe apareceu, ao lado do altar do incenso, e deulhe
a seguinte notícia: “Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho,
e lhe porás o nome de João; e terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento, porque será grande
diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe;
e converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus; e irá adiante dele no espírito e na virtude de Elias, para
converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos; com o fim de preparar ao Senhor um
povo bem disposto.” (Lc, 1: 13 a 17).
Como se vê, o Espírito anunciou que o reencarnante teria uma grande missão, quando disse: “será grande
diante do Senhor”. E ao dizer: “será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe”, reafirma que ele já trazia
suas virtudes próprias, ou seja, que se tratava de um grande Espírito. Esse reencarnante era Elias, aquele que fora
anunciado como o preparador do povo para receber a mensagem de Jesus. O fato de João ser a reencarnação do
Profeta Elias é reafirmado pelo próprio Mestre: “Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quereis
dar crédito, é este o Elias que havia de vir.” (Mt, 11: 13 e 14).
Elias, ao reencarnar-se como João Batista, conservou o mesmo hábito de vestir-se, como se vê: “E eles lhe
disseram: Era um homem vestido de pelos e com os lombos cingidos de um cinto de couro. Então disse ele: É Elias,
o tesbita.”(2 Reis, 1: 8). João Batista vestia-se do mesmo modo: “E este João tinha o seu vestido de pelos de camelo
e um cinto de couro em torno dos seus lombos (...). (Mt, 3: 4).
Além disso, pode-se notar outro traço comum: eram profundamente corajosos, tendo ambos desafiado as
rainhas do seu tempo. Elias enfrentou Jezebel, que protegia os 450 sacerdotes que, contrariando os ensinamentos de
Moisés a respeito do Deus único, adoravam o deus Baal. (1 Reis, 18: 22 a 46; 19: 1 a 7). João Batista denunciou e

Continuação do Plano de Aula III CICLO "B”
enfrentou Herodias, esposa do rei Herodes. Por causa da sua veemente pregação contra o erro, passou seus últimos
dias na Terra encarcerado, por ordem de Herodes tetrarca, cujo relacionamento ilícito com Herodias, esposa do seu
irmão Filipe, denunciara. Depois de ter sido mantido preso durante algum tempo, foi decapitado por ordem de
Herodes, em atenção a um pedido que lhe fizera sua enteada Salomé, a mando de sua mãe, Herodias. (Mc, 6: 17 a
29: Lc, 3: 19 e 20).
Jesus, mais de uma vez, afirmou ser João Batista a reencarnação de Elias. Conforme se lê na passagem da
transfiguração, ocorrida no Monte Tabor, o Mestre subiu ao monte com três discípulos: Pedro, Tiago e João. Depois
de orar e de “seu rosto resplandecer como o sol e seus vestidos se tornarem brancos como a luz”, apareceram ao seu
lado os Espíritos Moisés e Elias, que conversaram com ele. Depois que os dois Espíritos se foram, os discípulos
estranharam o fato de Elias estar desencarnado, se as profecias diziam que ele se reencarnaria para preparar os
caminhos do Messias, fato esse registrado por Mateus: “E os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Por que dizem
então os escribas que é mister que Elias venha primeiro? E Jesus, respondendo, disse-lhes: Em verdade, Elias virá
primeiro, e restaurará todas as coisas; mas digo-vos que Elias já veio, e não o reconheceram, mas fizeram-lhe tudo o
que quiseram. Assim farão eles também padecer o filho do homem. Então entenderam os discípulos que lhes falara de
João Batista.” (Mt, 17: 10 a 13).
A estranheza dos discípulos teve razão de ser, pois, segundo entendiam, Elias haveria de reencarnar para
preparar os caminhos do Messias. Mas, segundo viam, se o Profeta estava desencarnado, de duas, uma: ou a
profecia não se cumprira, ou Jesus não era o Messias. Vemos que, sem se perturbar, Jesus confirma as profecias,
dizendo que Elias havia de vir e que já tinha vindo, mas não fora reconhecido como tal. Hoje o Espiritismo nos explica
que o Espírito, no Mundo Espiritual, pode tomar quaisquer das formas que teve em suas vidas na Terra, desde que se
se lembre delas, pois o corpo espiritual é modificável pela vontade do Espírito. É claro que não é qualquer Espírito
que consegue modificar seu aspecto exterior. Só os Espíritos mais adiantados o conseguem. Foi o que aconteceu
com Elias. Quando Jesus subiu ao Tabor com os três discípulos, João Batista já havia sido decapitado e, uma vez
desencarnado, o Espírito, que se lembrava das formas que tivera quando encarnado tanto como Elias quanto João
Batista, optou por aparecer com o aspecto que tivera, quando foi o grande profeta Elias.
João Batista tinha consciência da sua missão de preparador dos caminhos do Messias, conforme se lê no
relato do Evangelista: “E pregava, dizendo: Após mim vem aquele que é mais forte do que eu, ao qual não sou digno
de, abaixando-me, desatar as correias de suas alparcas.” (Mc, 1: 7).
Embora tivesse plena consciência de que era o precursor do Messias, não se lembrava de que era a
reencarnação de Elias, pois que fora beneficiado com a bênção do esquecimento do passado, como ocorre com a
quase totalidade das criaturas encarnadas na Terra: “E perguntaram-lhe: Então que? És tu Elias? E disse: Não sou. És
tu profeta? E respondeu: Não. Disseram-lhe, pois: Quem és? para que demos resposta àqueles que nos enviaram;
que dizes de ti mesmo? Disse: Eu sou a voz que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o
profeta Isaías.” (Jo, 1: 21 a 23).“E, naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia, e dizendo:
Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus. Porque este é o anunciado pelo profeta Isaías, que disse: Voz
do que clama no deserto: preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.” (Mt, 3: 1 a 3).
Os Judeus esperavam o Messias há séculos, mas sabiam que antes dele viria um precursor, a preparar-lhe os
caminhos. Toda sua vida, dedicou-a João à preparação do povo judeu para a vinda de Jesus, falando com clareza e
muito fervor à grande multidão que, de toda parte, afluía para ouvi-lo. Insistia sobre a necessidade do pronto
arrependimento, porque o Reino de Deus estava próximo. Aqueles que acreditavam nele, depois de confessarem
seus erros, eram por ele batizados nas águas do rio Jordão, o que levou o povo a chamar-lhe de João Batista para
distingui-lo de outros de igual nome. O batismo que ele aplicava significava purificação, conforme entendeu Paulo, o
Apóstolo: “Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que
cresse no que após ele havia de vir, isto é, Jesus Cristo.” (At, 19: 4).
“Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio para testemunho, para que testificasse
da luz; para que todos cressem por ele.” (Jo, 1: 6 e 7).
c) Fixação e avaliação: Exercício escrito.
O Evangelizador deverá reservar um tempo maior para a aplicação do exercício escrito, a fim de conversar
com as crianças sobre o conteúdo das frases, enfatizando os pontos essenciais.
d) Material didático: Cópias do exercício acima.

Continuação do Plano de Aula III CICLO "B”
Relacione as duas seqüências de frases, numerando-as:
01. Que quer dizer precursor?
02. Em que consistiu a missão de João Batista?
03. Como Zacarias ficou sabendo que seria pai de João?
04. Por que João Batista foi chamado Precursor?
05. Por que Jesus disse: “... é esse o Elias que havia de vir.”
06. Quem apareceu ao lado de Jesus no Monte Tabor?
07. Por que os discípulos perguntaram: “Por que dizem os escribas que é mister que Elias venha primeiro?”
08. O que João quis dizer quando disse: “Após mim vem aquele que é mais forte do que eu, ao qual não sou digno de,
abaixando-me, desatar as correias de suas alparcas.”
09. Por que João Batista disse que não era Elias?
10. Por que João era chamado Batista?
( ) Porque batizava com água, dizendo que depois dele viria o Messias, que batizaria com fogo.
( ) Que Jesus era muitíssimo mais adiantado do que ele.
( ) Porque ele veio preparar as pessoas, despertando-as para a chegada de Jesus.
( ) Aquele que vem adiante de alguém anunciar a sua chegada.
( ) Em mostrar às pessoas que era chegado o tempo da vinda do Messias.
( ) Um Espírito anunciou-lhe que ele seria pai de uma criança que seria a reencarnação do profeta Elias.
( ) Porque vinha sendo anunciada, há séculos, a volta de Elias.
( ) Moisés e Elias.
( ) Porque os escribas estudavam as profecias e sabiam-nas de cor, e havia várias profecias que diziam que Elias
voltaria para preparar os caminhos do Messias.
( ) Porque, como quase todos nós, não se lembrava de outras encarnações.
Relacione as duas seqüências de frases, numerando-as:
01. Que quer dizer precursor?
02. Em que consistiu a missão de João Batista?
03. Como Zacarias ficou sabendo que seria pai de João?
04. Por que João Batista foi chamado Precursor?
05. Por que Jesus disse: “... é esse o Elias que havia de vir.”
06. Quem apareceu ao lado de Jesus no Monte Tabor?
07. Por que os discípulos perguntaram: “Por que dizem os escribas que é mister que Elias venha primeiro?”
08. O que João quis dizer quando disse: “Após mim vem aquele que é mais forte do que eu, ao qual não sou digno de,
abaixando-me, desatar as correias de suas alparcas.”
09. Por que João Batista disse que não era Elias?
10. Por que João era chamado Batista?
( ) Porque batizava com água, dizendo que depois dele viria o Messias, que batizaria com fogo.
( ) Que Jesus era muitíssimo mais adiantado do que ele.
( ) Porque ele veio preparar as pessoas, despertando-as para a chegada de Jesus.
( ) Aquele que vem adiante de alguém anunciar a sua chegada.
( ) Em mostrar às pessoas que era chegado o tempo da vinda do Messias.
( ) Um Espírito anunciou-lhe que ele seria pai de uma criança que seria a reencarnação do profeta Elias.
( ) Porque vinha sendo anunciada, há séculos, a volta de Elias.
( ) Moisés e Elias.
( ) Porque os escribas estudavam as profecias e sabiam-nas de cor, e havia várias profecias que diziam que Elias
voltaria para preparar os caminhos do Messias.
( ) Porque, como quase todos nós, não se lembrava de outras encarnações.

domingo, 16 de maio de 2010

REENCARNAÇÃO

Mauricio de Sousa aborda o tema da reencarnação nos quadrinhos da Turma da Mônica .
Para ler clique aqui e navegue pelos vários capítulos.

Resultado de imagem para pelos caminhos da evangelização - REENCARNAÇÃO

sábado, 15 de maio de 2010

AMIZADE



Resultado de imagem para pelos caminhos da evangelização - AMIZADE


SUBSÍDIOS:
O Evangelho Segundo o Espiritismo - Allan Kardec
Capítulos XI e XIV

OBJETIVOS:

1) Ressaltar que a amizade inicia-se no próprio lar, cultivada através do respeito mútuo.
2) Levar as crianças a entender a importância de se ter amigos.
3) Amizade é saber viver em comunidade.
4) A amizade não tem valor material. Ser amigo é trabalhoso mas compensador.

INCENTIVAÇÃO:

1) As crianças serão divididas em grupos.
2) Colocar uma caixa no canto da sala. Colocar dentro da caixa cartazes, frases, faixas, etc., destacando a importância da amizade e de se ter e ser amigos.
3) A caixa será aberta somente no final da aula pelo grupo vencedor.

DESENVOLVIMENTO:

Os evangelizadores encenarão uma determinada situação de conflito, uma discussão.
Por exemplo: Um colega empurrando o outro, jogando lixo nas ruas, etc.

AVALIAÇÃO:

Após o término da dramatização, fazer perguntas à classe direcionando-as para se chegar aos objetivos da aula.

FIXAÇÃO: JOGO DAS CHAVES

Confeccionar chaves de cartolina e escrever em cada uma determinada situação a ser resolvida pelo grupo. Enfatizar as boas maneiras, respeito, solidariedade, bom convívio familiar, etc.
Vence o grupo que conseguir resolver de forma mais adequada as situações, o qual abrirá a caixa.
Após a abertura da caixa, enfatizar que o maior presente é a amizade e pode ser conquistada por todos.

Sugestão: Entregar chaves de cartolina com frases incentivadoras a cada criança.

OBSERVAÇÃO:
Estas são apenas sugestões. O evangelizador deve preparar a aula de acordo com a sua criatividade.

FONTE - SEARA BENDITA INSTITUIÇÃO ESPÍRITA
GRUPO AUGUSTO CÉSAR NETTO

terça-feira, 11 de maio de 2010

PAI NOSSO


Resultado de imagem para pelos caminhos da evangelização  - PAI NOSSO


Jardim 03 à 05 anos

Unidade Temática: A ligação do homem com Deus

Objetivos: Levar o evangelizando a conhecer a oração do “Pai Nosso”. Mostrar que quando oramos comamor e fé, nossos desejos são atendidos.

Desenvolvimento:Tempo: Atividade:Cantos para harmonizaçãoPrece e inicial (incentivar as crianças a elaborarem a prece. Completar se necessário.).

Contar a história do carvoeiro:

Um carvoeiro humilde e trabalhador chamado João, morava com sua esposa próximo a umamata na periferia, onde fazia o carvão que vendia na cidade. Apesar das dificuldades, Joãoacreditava muito em Deus e, por isso, sentia-se feliz. Ele costumava orar sempre. Todos osdias, antes do nascer do Sol, levantava-se, fazia sua prece e dirigia-se ao trabalho.À noitinha, regressava ao lar e, mesmo que suas vendas não fossem bem sucedidas,elevava seu pensamento a Deus e, numa prece sincera, agradecia a Deus as graçasrecebidas durante o dia. Jamais o carvoeiro deixava de orar. Muitas vezes em caminho aotrabalho, admirava a beleza da mata e pensava:- Meu Deus, como és bom! Como é grande a sua misericórdia e a sua sabedoria! Proveste omundo, Senhor, destas maravilhosas matas e da natureza que, como mãos dedicadas,tudo nos oferecem, sem nada exigir. Obrigado, meu Deus, e ajuda-me a ser digno desua imensa bondade.Certa ocasião, voltando para casa, João encontra sua mulher doente. No começo, pensouque a doença seria passageira. Porém, os dias se passavam e sua mulher não apresentavamelhora.O bom carvoeiro teve que deixar o trabalho para se dedicar à esposa, que necessitava demuitos cuidados. Passado algum tempo, verificou com tristeza que suas economias tinhamacabado e que precisaria retornar ao trabalho para poder comprar mantimentos para a casae remédios para a esposa.Assim, resolveu deixar a esposa por algumas horas para levar à cidade os sacos de carvãoque ainda restavam para vender.Pronto para sair, com suas roupas simples e gastas e suas botas descoloridas e furadas,levantou os olhos para o céu e pediu:- Senhor, meu Deus, ajuda-me!E orou com muita fé e com muito amor a oração do Pai Nosso!Como recobrando forças, pela confiança com que dirigia seu pedido, colocou os sacos nascostas e saiu. Como era época de chuvas, uma parte da estrada estava alagada. para nãomolhar suas únicas botas, João deixou-as perto de uma árvore e seguiu caminho descalço,sem sentir o cansaço da caminhada. Ao chegar à cidade, uma desagradável surpresa o esperava: oúnico depósito que comprava o carvão estava fechado.- O que teria acontecido? Ninguém em casa! E agora, o que faria?–estes pensamentosatordoavam a cabeça do nosso pobre carvoeiro.Voltou para casa, triste e cansado, porém sem perder a confiança em Deus. Caminhava eorava baixinho:- Meu Deus, meu Deus, seja feita a Tua vontade!Enquanto isso, um professor de Biologia fazia uma excursão com seus alunos pela mesmaestrada que levava à mata. Os alunos estavam contentes observando as flores, árvores epedras, quando um deles tropeçou nas botas do carvoeiro. Todos riram do colega que haviacaído e sugeriram:- Vamos esconder estas botas?- Vamos esconder e ver com que cara fica o dono quando as procurar – disse o outro.O professor, vendo os alunos conversarem, se aproxima para perguntar o que estavaacontecendo:- O que vocês estão fazendo?- Encontramos estas botas e vamos escondê-las – foi a resposta.- Filhos, estas botas demonstram que o dono é um homem pobre, que talvez só tenha estecalçado. Para não estragá-lo, tirou os sapatos para atravessar o trecho alagado. Vocêsjá pensaram que este homem deve estar cansado e ansioso para chegar em casa elevar o pão para sua família?- É mesmo. – concordaram os alunos, arrependidos.- Tenho uma idéia! Vamos colocar alguma coisa dentro dessas botas? – disse um menino.- Boa idéia!-concordou o professor, que tirou algumas moedas da carteira e deu aosmeninos para colocarem na bota.- Tenho mais uma moeda! – disse o outro.- Tenho dez reais. – disse outra menina.E assim, todas as crianças contribuíram e, em seguida, colocaram as botas no lugar em quea haviam encontrado.- Muito bem, meninos, vamos embora –disse o professor.- Não, professor! Não vamos embora! Eu quero ver a cara que vai ficar o dono dessas botas– falou uma aluna.- Vamos nos esconder? – falou o outro – O homem não deve demorar.E todos se esconderam em umas moitas próximas, esperando o homem chegar. Passadoalgum tempo, viram um vulto se aproximar.- Lá vem ele!João foi chegando, chegando, olhando de um lado para outro, procurando suas botas.Quando as encontrou, sentou distraído, ainda pensando em sua mulher doente.De repente, pára e leva um susto.- O que é isto?E virando uma bota, sacode-a, deixando cair as moedas. Rapidamente, pega a outra etambém a sacode.- Mais dinheiro! – exclamou num sussurro.O bom carvoeiro, meio confuso, olha de um lado para outro. Depois, como entendendo oque havia acontecido, levanta-se com emoção e, entre lágrimas, disse:- Senhor! Benditas sejam as mãos que T u utilizou! Obrigado, Senhor, meu Deus! Obrigado!E guardando o dinheiro, calçou as botas e seguiu para casa. Os meninos assistiram toda acena, comovidos. Quando desapareceu o carvoeiro, saíram devagarinho dos esconderijos,um a um e, juntamente com o professor, seguiram para a casa. (FIM DA HISTÓRIA)

Perguntar aos evangelizandos qual foi a parte da história que eles mais gostaram. Comentar que o carvoeiro, fez uma oração com muita fé e amor, que é uma oração conhecida de quase todos nós, a oração do Pai Nosso! Aqui na salinha, temos alguns evangelizandos  que ainda não conhecem a oração do Pai Nosso, então vamos todos juntos rezar, para aqueles que ainda são pequenos para aprender?? (Realizar com eles a oração do Pai Nosso).Atividade de fixação:Distribuir aos evangelizandos moedinhas de chocolate, e pedir que eles troquem suas moedas entre si; assim como as crianças da história doaram suas moedas ao carvoeiro, elas irão doar suas moedas aos outros evangelizandos.

Atividade de recortar:Distribuir revistas e pedir aos evangelizandos que pensem o que pode ser encontrado no caminho da casa do carvoeiro até o local onde ele ia vender os sacos de carvão. Pedir para eles recortarem o que imaginam que o carvoeiro pode encontrar no caminho e colar em um cartaz.

Prece de encerramento
Cantar as músicas que eles gostam: silêncio, três palavrinhas, as conchinhas, chuva que cai.
Distribuição de água fluidificada.
Material Necessário: Saquinho com carvão, moedas, um par de botas (para mostrar aos evangelizandos enquanto estiver contando a história), aparelho de som com o CD de evangelização FEB, caso seja necessário realizar um relaxamento com música ou escutar música enquanto realizamos atividade de recorte.

Breve Avaliação

sábado, 1 de maio de 2010

BOLO DA MAMÃE


Resultado de imagem para pelos caminhos da evangelização - BOLO DA MAMÃE




Menino - Hoje é dia das mães, precisamos dar um presente as nossas mães.

Menina - Já sei vamos fazer um bolo Menino - Um bolo, que bom!

Menina - Vou buscar aquela receita da vovó( e volta com um caderno) Menino - (Lendo) farinha de trigo, açúcar, ovos fermento e baunilha Menino - Já vou buscar tudo isso no armazém (sai)

No centro do palco uma tigela. As crianças estão dispostas no palco.Da direita surge um menino e atrás dele os preparos para o bolo representado por crianças.Avança a farinha, o menino apresentam a ele a receita.

Farinha - Sou branquinha e peneirada prontinha para o bolo da mãezinha.
Açúcar - Sou toda doçura e junto com a farinha entro na mistura do bolo da mamãezinha.
Manteiga - Sou a manteiga saborosa que deixa a massa gostosa.
Ovos - Somos os ovos bem branquinhos que a galinha botou. Deixou a massa fofinha que a mamãe ira gostar.
 Baunilha - Sou filha de uma plantinha que vai dar um gosto especial no bolo da mamãezinha,
Fermento - Se vocês me esquecerem o bolo não crescerá. Ficará duro e feioso e a mamãe não ira gostar.

 Todos os preparos vão para a tigela, e o menino e a menina pegam colher de pau batem a massa e preparam o bolo. Colocam a tigela no forno. No final da festa surge um bolo (real). A mamãe chega e o menino e a menina gritam bem alto:

- Feliz dia das mães!!!!!

(Desconheço a autoria)

TEATRO PARA O DIA DAS MÃES


Resultado de imagem para sábado, 1 de maio de 2010 TEATRO PARA O DIA DAS MÃES

TEATRO DE MÁSCARAS

CICLO: JARDIM E I CICLO

1- ATO
PERSONAGENS: NARRADORA, DONA BRISA, O BEM-TE-VI, SR.SOL, DONA CHUVA, JOÃOZINHO E MARIAZINHA.

CENÁRIO: UM CAMPO, ÁRVORES E UMA PAISAGEM.

NARRADORA: A brisa suave veio sussurando:
Dona Brisa: - O dia das mães está chegando, o dia das mães está chegando...
Narradora:- O bem-te-vi, foi o primeiro a ouvir-lhe a voz...
Bateu as asas ligeiro e saiu voando pelos ares.
Bem-te-vi: - Vamos todos afinar a nossa voz, vamos todos afinar a nossa voz, o dia das mães está chegando...
Narradora: - O sol que despontava no horizonte ao ouvir a novidade falou:
Sr.Sol: - Tenho que andar depressa para aquecer a terra, temos que ter muitas flores nesse dia.
Narradora: - E gritando para as nuvens:
Sr. Sol: - Chamem Dona Chuva, por favor!Chamem Dona Chuva!
Narradora: - Dona Chuva veio depressa.
D. Chuva: - O que foi que aconteceu?
Sr. Sol: - Venha ajudar-me, você não sabe da novidade? O dia das mães está chegando e nós dois temos muito o que fazer. Você vai molhando a terra e eu vou aquecendo-a, assim as flores brotarão mais depressa. Anda, anda, não temos tempo a perder... A terra tem que ficar linda, cheia de flores nesse dia.
Narradora: -E lá se foram Dona Chuva, regando a terra e o Sol aquecendo-a, com seus raios dourados.

FIM DO 1 ATO

2 ATO

CENÁRIO: UM CAMPO CHEIO DE FLORES

Narradora: - Passaram-se os dias e finalmente o grande dia! Mariazinha acordou cedinho, olhou pela janela e...
Mariazinha: - Que maravilha! Como tudo está florido! Como cantam os passarinhos!Vamos, vamos, vamos Joãozinho,(pega nas mãos de Joãozinho)vamos fazer um lindo ramalhete de flores para a mamãe. Ela vai ficar feliz...
Joãozinho: -Vamos...(saem juntos)
Narradora: - (Entra o Bem-te-vi) O Bem-te-vi voou e cantou:
Bem-te-vi: - Louvado seja Deus!
Narradora: - O sol nas alturas falou:(entra o sol)
Sr. Sol: - Que maravilha!
Narradora: - Dona Chuva que estava de passagem por ali também falou:(entra Dona Chuva)
Dona Chuva: -Que felicidade!
Narradora: -E a Brisa suave seguiu o seu caminho sussurando:(entra D.Brisa)
D.Brisa:-Que dia lindo! Que dia lindo!

(Desconheço autoria)

PRENDEDOR PARA EMBALAGENS

Revista Educação Infantil

Mãe