terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

A VIDA DO CODIFICADOR -ALLAN KARDEC


MOTIVAÇÃO INICIAL:Vocês sabem o que é religião? Quais vocês conhecem? Espiritismo é religião? Você é espírita? Vamos conhecer hoje o Codificador do Espiritismo.
O que é Codificação? OBS: Nas aulas biográficas deverá haver muita participação das crianças, para que a aula não se transforme em informações de nomes, datas, fatos, correndo-se o risco da classe perder o interesse.

 CONTEÚDO/TEMA:A vida do Codificador – Biografia.

VERIFICAÇÃO/FIXAÇÃO:Escrever ALLAN KARDEC em posição vertical na lousa, ou em uma folha de cartolina. Pedir para as crianças, irem dizendo as coisas boas e interessantes que a vida dele nos deixou com cada letra do seu nome. Exemplos: A = alegria, amor. L= luz, livros, lição, lembranças. A= auxilio, acreditar N= novidades, notícias K= kilometros (de suas viagens) A= amizade, amigos R= reencarnação, renovação D= divulgação, Deus. E= espíritos, esperança C= Codificador, Consolador Texto
1: Fazer um resumo do livro Gotas do Tempo (Série I)– Roque Jacinto – FEB FAIXA ETÁRIA – 7/10 anos.
Texto 2:Adaptar o texto abaixo com sua biografia, informações sobre seu trabalho, importância para o espiritismo, seus livros e etc.

 Há muitos anos, em 1804, no dia 3 de outubro, num país muito longe daqui, na França, na cidade de Lion, nasceu um menino que recebeu o nome de Hypolité Léon Denizard Rivail. Léon foi um menino inteligente e bom. Estudava com prazer e completou seus estudos muito cedo. Quando ficou moço, tornou-se um grande professor e, bondosamente, ensinava de graça, em sua casa, a muitos alunos que não podiam pagar para aprender. Certa vez, seu amigo o convidou para ir a uma reunião onde se davam coisas extraordinárias: as mesas se moviam sozinhas e respondiam às perguntas que lhes fossem feitas. Léon viu, então, com espanto, que uma pesada mesa levantou-se sozinha, sem que ninguém lhe tocasse com um dedo sequer. Daí a pouco, vasos de flores, casacos e chapéus movimentavam-se no ar, sem nenhum apoio. Os assistentes estavam admiradíssimos! Quando terminou a reunião, todos comentavam o que haviam visto. Dizia uma senhora idosa: - Isto é obra de fantasmas. Não pode ser outra coisa! São eles que movimentam esses objetos e, por isso, ninguém os vê. Léon era um homem muito inteligente. Não acreditava em fantasmas, e por essa razão, ficou meditando sobre o assunto. Na semana seguinte voltou à mesma casa, disposto a descobrir aquele mistério. Foi então informado de que faziam perguntas à mesa e que esta respondia através de pancadas. Quando dava uma batida, queria dizer “não”. Uma batidinha leve significa a letra “a”; duas, a letra “b”, e assim por diante. Podia-se, conversar com a mesa por meio daqueles sinais. Léon, ao ter essa notícia, pediu licença para fazer algumas perguntas. A primeira pergunta daquele homem inteligente foi: - Quem movimenta esta mesa e estes objetos? - São os espíritos. – foi a resposta. - Que espíritos são esses? Perguntou ele. A mesa tornou a bater: -“Espíritos”, dizia ela, são criaturas como vocês, mas que deixaram o corpo e vivem no espaço. Não são fantasmas, não! São homens e mulheres como todos os que estão nesta mesa...Apenas deixaram o corpo, isto é, morreram, como diz vulgarmente. Léon começou a pensar muito naquilo que ouvia, indagando: - Então, a pessoa não se acaba quando o corpo morre? -Não! Continua-se vivendo da mesma forma apenas sem o corpo. Por isso, não somos vistos pelos que ficam na Terra, responderam os espíritos através das pancadas da mesa. O grande professor cada vez mais curioso, perguntou: - E quem é você, que responde a todas essas perguntas? - Eu sou um homem que viveu na Terra há muitos anos. Fui seu amigo numa outra existência em que você não se chamava Léon, e sim Allan Kardec. E assim Léon adotou o pseudônimo de Allan Kardec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário