quarta-feira, 11 de novembro de 2009

SUGESTÕES PARA O NATAL

O Natal sempre foi uma festa comemorada por todos os povos cristãos.Mas no meio espírita o esforço tem sido maior no sentido de mostrar o verdadeiro sentido do Natal, colocando Jesus como personagem principal, para que nossas crianças aprendam a amá-lo como nosso Mestre, irmão e amigo de todas as horas, e que, ao comemorarmos o seu aniversário, não nos esqueçamos de suas lições e em especial de suas palavras.
"quando derdes de comer a quem tem fome é a mim que estais dando, quando vestirdes os nus, é a mim que estais vestindo."

SUGESTÕES:

Apresentamos abaixo sugestões para sua festa de Natal.
Você poderá realizar uma apresentação pública,convidando pais e frequentadores da casa para assistir,ou simplesmente utilizar as sugestões com as crianças somente..

NATAL DE MARINA

Trata-se de uma história simples mas que produz um bom efeito, contendo ensinamentos profundos, terminando por exaltar a CARIDADE.

A história poderá ser dramatizada ou, se preferir simplesmente contada.

Sugerimos que depois os evangelizadores estimulassem as crianças a agirem como Marina, no final da história.

Poderão iniciar uma campanha para arrecadar brinquedos para crianças carentes,onde participam as crianças da evangelização, seus pais e amigos.

Marque um dia para a entrega dos presentes e faça uma linda festa onde todos participam. A alegria será geral e a criança aprenderá a dar algo de si, além de promover a integração com a família.

Aí vai a história:

"O NATAL DE MARINA"

Marina possuía uma bela coleção de bonecas.
Havia bonecas loiras e morenas, grandes e pequenas, havia também lindas japonezinhas de quimono, baianinhas com balagandãs e holandezinhas de touca e avental, cada qual mais mimosa.
Era pela época do Natal,quando certa noite, Marina deu pela falta da bonequinha Zizi.Apesar de não ser mais bonita,Zizi era a sua predileta.
Logo lembrou-se que naquele dia, a faxineira havia trazido sua filha Rosinha, ao entrar em seu quarto, onde estavam as bonecas.
Não havia dúvidas, fora ela quem levara a Zizi.
Na manhã seguinte bem cedo,Marina já estava no portão à espera de Rosinha,que passava todos os dias, para comprar pão.
Logo que a viu começou a acusá-la.
- Quero minha boneca! disse furiosa. Quero-a hoje mesmo e,se não me entregar, falarei com sua mãe!
Rosinha pôs-se a tremer.
- Não sei de nada, não tirei sua boneca,
dizia assustada. Naquele mesmo dia, Rosinha voltou à casa de Marina. Trazia nos braços uma velha boneca de pano, enrolada com um xale azul.
- Esta é a única boneca que tenho. Fique com ela no lugar de Zizi. Mas, não pense mal de mim. Eu não fiquei com sua boneca.
Marina ficou furiosa. Para que haveria de querer uma boneca tão velha e feia!
- Você é mentirosa! Leve embora sua bruxa! Um dia, a verdade há de aparecer.
Na semana seguinte, porém, houve um acontecimento inesperado. A lavadeira veio entregar a roupa, cuidadosamente enrolada com uma toalha branca. Ao desenrolar a pilha, lá estava em cima de tudo a boneca Zizi.
- Penso que ela foi no meio da roupa e foi enrolada com a trouxa, disse a lavadeira, e como não pude vir antes. resolvi guardá-la para entregar hoje.
Marina estremeceu. E agora? O que fazer?
-É preciso acertar a situação, minha filha, disse a mãe ao ouvir a história.
Marina ficou um tempo quieta.Tudo teria que ser esclarecido, pois ela mesma havia dito que a verdade haveria de aparecer. Afinal tomou a decisão: escolheu na prateleira a mais bela boneca, a bailarina, que rodava enquanto a caixinha de música tocava.
E encamihou-se à casa de Rosinha.
- Eu lhe peço que fique com ela e me perdoe, foram suas palavras.
Rosinha, que já havia esquecido tudo ficou agradecida pelo inesperado presente.
Marina foi para casa contente. Entrando no quarto, olhou para todas as suas bonecas e sentiu que havia alguma coisa a fazer.
Porque tantas bonecas só para si,se havia tantas meninas que não tinham nenhuma e nada receberiam pelo Natal?Não esperou mais.
Com a ajuda da sua mãe, embrulhou cuidadosamente, uma a uma, amarrando com fita colorida.
Depois,distribui- as ás crianças da vizinhança. Com as prateleiras vazias,seu quarto parecia agora mais belo que nunca.
Era o quarto de uma nova Marina, a menina que não queria reter, mas dar.
E aquele foi o mais belo, o mais alegre Natal de sua vida.

VOCÊ TRABALHA COM CRIANÇAS CARENTES?

Se você trabalha apenas com crianças carentes, procure da mesma forma desenvolver o sentimento de caridade, da solidariedade, da amizade.
Poderá efetuar uma festa onde as crianças trocam presentes entre si como no "amigo secreto", podendo utilizar brinquedos usados que tenham em casa, ou então confeccionar os próprios presentes, com tecidos, madeira, papel ou material de sucata, o que torna tudo mais interessante.
As crianças poderão também confeccionar cartões de Natal,enviando junto com o presente. Se encontrar muita dificuldade, faça apenas o cartão, mas procure levar a criança a perceber que ela pode dar algo de si, mesmo que seja um gesto de bondade e carinho, um gesto de amizade.

0 comentários:

Postar um comentário