segunda-feira, 26 de outubro de 2009

PACIÊNCIA

O CAMINHÃO DA SORTE
Fig. 1- Juvenal é o nome de um caminhão colorido e alegre dirigido pelo motorista Tonho.
Juvenal se sente muito feliz porque ele leva alegria para as crianças.
Todos os dias viaja carregando prêmios sorteados em um programa de televisão.
Logo que acontece o sorteio, lá vai Juvenal com os brinquedos.
Nos bairros e cidades por onde passa ouve-se a música alegre da sua buzina.
Quando Juvenal chega e Tonho entrega os prêmios, acontece aquela festa: são bolas, bonecas, mobílias, bicicletas e até “vídeo-game”, brinquedos que dão tanta alegria a quem recebe.
E Juvenal fica muito contente vendo as crianças felizes.
Fig. 2- Juvenal e Tonho são amigos há muito tempo, quase trinta anos.
Tonho cuida bem do Juvenal: lava-o toda a semana, cuida bem do motor, não deixa faltar o óleo e ainda leva o caminhão, de vez em quando, para fazer a revisão geral, tal como um pai leva ao médico o seu filho para ver se tudo vai bem.
Mas, numa manhã em que Juvenal estava carregado de prêmios, pronto para sair em direção a uma cidadezinha não muito distante, o arranque do motor não pegava: ram... ram... ram... e nada de brom...brom...brom!...
Tonho coçou a cabeça.
– E agora? Será que não vou poder levar os prêmios das crianças? Elas vão ficar tão tristes...
Fig. 3- Tonho resolveu examinar o caminhão. Abriu a tampa do motor, cutucou os fios e as peças... tudo parecia bem.
Depois examinou a bateria. Tudo bem! Depois o transformador. Nada! E assim foi examinando cada peça do caminhão.
Os colegas de Tonho que passavam por ele diziam:
– Esquece as crianças. Descarrega o caminhão e leva-o para a oficina.
– Não! Não vou desistir. Com paciência descobrirei o que está acontecendo – respondia Tonho.
As horas foram passando, mas Tonho não desanimava.
Fig. 4- Enquanto isso, sem saberem o que estava acontecendo, as crianças que aguardavam os prêmios já estavam desanimadas, pensando que eles não chegariam mais.
Uma das crianças até nem quis almoçar, tão aborrecida estava.
Junto ao caminhão, Tonho continuava tentando descobrir o que havia de errado.
De repente resolveu novamente levantar a tampa do motor e descobriu que um fio pequenino estava solto. Prendeu-o.
Tentou novamente ligar o motor do caminhão.
Fig. 5- Brom... brom... brom! Lá saiu o Juvenal, deslisando tranqüilo sobre suas rodas, carregando feliz os brinquedos e levando alegria para a meninada.
(colaboração de cléo de albuquerque mello).

Dialogar com as crianças a partir das seguintes questões:
– Por que o motorista Tonho se esforçou tanto para descobrir o defeito do caminhão?
– Tonho trabalhou calmo ou irritado?
– Tonho trabalhou com boa vontade?
– Que qualidade Tonho mostrou ter?
– Tonho cuida bem do caminhão que dirige?
– Então, que outra qualidade Tonho tem?
– Devemos cuidar bem das coisas que temos? Por quê?
– E das coisas dos outros?
– Como as crianças estavam se sentindo com a demora dos presentes?
– Por que uma criança nem quis almoçar?
– Vocês acham que ela fez bem em não almoçar?
– Que qualidade ela precisa desenvolver?
– O que as crianças devem ter sentido quando Tonho chegou com Juvenal carregado de brinquedos?








Nenhum comentário:

Postar um comentário