quarta-feira, 28 de outubro de 2009

MEDIUNIDADE

Base doutrinária para o Evangelizador: Evangelho segundo o Espiritismo; livro dos Médiuns, Crianças no Além cap.4.
Objetivos:
 Perceber a função de intermediário, entender como o médium colabora e interfere na transmissão do pensamento do Espírito.
 Entender que a mediunidade é uma faculdade comum a todas as criaturas (pela intuição, todos nós somos médiuns).
 Compreender que, seja qual for à faculdade mediúnica, ela deve se utilizada para o Bem e em favor do Próximo.

1) Introdução do tema – 5 minutos. O tema será introduzido através de um diálogo com as crianças, utilizando as perguntas:
 Como a gente se comunica com as pessoas? (fala, escrita, rádio, T.V etc.)
 Alguém pode comunicar comigo através do telefone se eu não tiver um? ( a cr/ deverá perceber que poderei utilizar o telefone do vizinho)
 Se eu não falar Alemão, poderei entender uma pessoa que está tentando me dizer algo falado ou escrito, nessa língua?
 Uma pessoa que não enxerga pode receber uma comunicação por escrito e ler? ( lembrar que somente será possível se tiver estudado o sistema braile)
 Uma pessoa que não ouve e não fala pode-se comunicar com outras que têm o mesmo problema? E com pessoas que falam e ouvem?
 Onde estão os mortos ? Eles podem comunicar-se conosco ? Como ?
 Perguntar se acham que "mortos" e "vivos" podem se comunicar. Após conduzi-los à percepção de que sim, perguntar de que forma essa comunicação ocorre.
 Desencarnados e encarnados podem se comunicar através da mediunidade, que é a capacidade que algumas pessoas têm de entrar em contato com o chamado mundo invisível. Essas pessoas são denominadas médiuns.
 Se puderem, como se dá essa comunicação? ( A cada resposta será feito comentários mais específicos)

4) Sensibilização: 10 minutos. Sentar as crianças em círculo e fazer a brincadeira do telefone sem fio, usando frase HOJE VAMOS ESTUDAR A MEDIUNIDADE, POR SER ESTE UM PONTO IMPORTANTE NA DOUTRINA ESPÍRITA. Verificar como ela começou e como terminou, tentar descobrir as variações que ela sofreu no percurso.

5) Desenvolvimento do tema: 17 minutos

 Explicar para as crianças que existe também comunicação do mundo Espiritual com os encarnados.
 Os Espíritos são seres humanos desencarnados. São o que eram quando encarnados: bons ou maus, sérios ou brincalhões, trabalhadores ou preguiçosos.
 Eles têm as suas ocupações como nós temos as nossas
 Muitos deles procuram ajuda para melhorar, progredir.
 Eles têm influência sobre nós, os encarnados agindo através do pensamento e também através de recursos especiais que algumas pessoas têm. Essas pessoas são chamadas de médiuns, o que quer dizer que têm faculdades mais desenvolvidas que outras pessoas. Essa faculdade é chamada de mediunidade. Todos somos médiuns de nascença, pois temos intuição ( explicar o que é ), mas somente alguns têm mediunidade.
 Os Espíritos têm que ter uma maneira, um código ( como o surdo-mudo) para se comunicar com os encarnados. Essa comunicação é feita pelo médium, se ele permitir. Seria como um "aparelho" que permite a comunicação entre dois mundos o material e o espiritual, mundo material poderia ser o que vemos, e o espiritual o que sentimos. Não vemos o amor mas podemos senti-lo. Alguns médiuns transmitem essas mensagens de diferentes modos: alguns ouvem, outros conseguem ver os espíritos, outros escrevem as mensagens, etc. O médium que servir de comunicador tem que ter conhecimento da Doutrina Espírita e moral elevada, pois senão fica sendo brinquedo dos Espíritos brincalhões ou maldosos.
 Se algum Espírito precisa comunicar com uma pessoa com urgência e esta não tem a mediunidade, o espírito procura um médium para ser o canal, ou seja, o intermediário ( como no caso da pessoa que não tem telefone)
- Quais são os tipos de mediunidade? Explicar para as crianças
 Mediunidade audiente - a pessoa ouve o que os espíritos dizem;
 Mediunidade de vidência - o encarnado vê senas do plano espiritual;
 Mediunidade de efeitos físicos - o indivíduo doa fluidos para que ocorram certos fenômenos;
 Mediunidade de cura - a pessoa consegue ajudar na melhoria da saúde de alguém através de passes;
 Mediunidade de psicofonia - o médium empresta seus órgãos da fala para que o espírito se comunique;
 Mediunidade de psicografia - o intermediário (médium quer dizer isso) empresta sua mão para que o desencarnado escreva;
 Mediunidade intuitiva - o encarnado capta idéias de espíritos, mesmo sem vê-los ou ouvi-los. Todos somos médiuns intuitivos, uns mais, outros menos.As pessoas que têm bem desenvolvida alguma das mediunidades acima são chamadas de médium ostensivo.
Perguntar se eles já ouviram falar em algum médium. Explicar que muitas pessoas são médiuns, mas que algumas se destacaram, pelo trabalho desempenhado e principalmente por quem são ou foram. Alguns médiuns notáveis: Francisco Cândido Xavier, que se destacava pela bondade e psicografou mais de trezentos livros; Divaldo Pereira Franco - grande palestrante e psicógrafo de livros muito importantes para o Espiritismo; Yvonne do Amaral Pereira, que psicografou vários livros importantes; José Raul Teixeira, que também dá palestras e psicografa. Claro que há muitos outros de destaque.
6) Mostrar a foto do Chico Xavier e contar a historia: Uma família Feliz usando a carta dentro do envelope.

Uma família Feliz

(Extraído e adaptado do livro “Crianças no além” Psicografia de Chico Xavier pelo espírito Marcos )

Esta é uma família muito feliz. Este é o papai Roberto. Ele é japonês. Esta é a mamãe Elite e este são seus filhinhos: Marcos, João batista e Sheila. No tempo em que aconteceu esta história, Marcos estava com 12 anos, João Batista com 11 anos e Sheila com 7 anos.
Moravam em uma cidade chamada Perus. Como estavam de férias da escola, foram passar suas férias na casa de seus amigos em Ribeirão Preto. Foram de ônibus, felizes e passearam muito. Uma semana depois o Sr. Roberto e Dona elite foram no seu carro buscar os meninos de volta.
Todos muito alegres, de carro pela estrada bonita, ouvindo musica pelo radio do carro. De repente... BUM! Que tristeza para todos... um veraneio saiu da sua mão e bateu no carro do Sr. Roberto jogando – o longe. Marcos, João Batista e Sheila desencarnaram e o Sr. Roberto e D. Elite ficaram vivos.
Papai e mamãe choraram muito. Muitos dias ... não conformavam. Acreditaram que seus filhinhos desapareceram para sempre...
Um dia, depois de muito tempo, D. Elite estava ainda inconformada e seu Roberto muito calado e muito triste ainda, aconteceu uma coisa engraçada: D. Consuelo, vizinha do casal, conversando com D. Elite perguntou para ela se já ouvira falar em Francisco Cândido Xavier, homem muito bondoso que morava em Uberaba e que tinha o poder de ver e ouvir os espíritos das pessoas que morriam.
Muito admirados, D. Elite resolveu então ir procurar o Chico Xavier em Uberaba. Levou a fotografia das três crianças e contou o que aconteceu pedindo ao bondoso amigo que se possível, queria saber notícias de seus filhinhos porque tinha certeza que morrera apenas o corpo de seus filhos, o espírito estaria vivo com certeza.
O bondoso Chico pediu – a que tivesse fé e que esperasse. Jesus é o amigo de todos. Talvez as crianças mandassem um recado. E D. Elite esperou.
Um dia, depois da quarta vez que D. Elite foi a Uberaba, aconteceu que Marcos, o menino desencarnado, mandou através das mãos do bondoso Chico Xavier uma cartinha maravilhosa para a mamãe, enchendo – a de alegria e confortando o coração do papai que vivia tão triste até agora. Veja um pedaço da carta:

“ “Uberaba, 12 dezembro de 1975”“.
Minha querida mamãe, meu querido papai:
Peço que me abençoem.
Mamãe confie em Deus e na vida. Papai não se deixe levar pelo sofrimento. Nos não morremos. Estou do lado de cá como num telefone direto em que o lápis é o fio.
Quando acordei do lado daqui, sentimos seus gritos e lágrimas. A senhora tem razão de chora, mas peço a senhora em nome do João Batista, da Sheilinha e do meu, que não chore mais e pode ter a certeza que vamos nos encontrar todos um dia.
Estamos morando num lugar bonito. É um parque de crianças que vieram para cá como nós: desencarnaram em desastre.
Os meninos maiores ajudam os menores e as enfermeiras são muito bondosas, nos amparam como se fôssemos seus filhinhos. Aqui tem muita gente bondosa dedicada ao bem: a irmã Luiza e o irmão Urulau nos cercam de muito amor quase todos os dias. O tio Diogo e o vovô Joaquim tudo fizeram para nos auxiliar. Nós estamos todos unidos. Tudo que foi nosso, dê as outras crianças daí em nosso nome.
Nas suas preces peça força sempre para nós. Ajudem as pessoas que nas calçadas e nas ruas estão sempre pedindo auxílio.
Não posso continuar. Mamãe abençoe seus filhinhos que contamos com a senhora para ficarmos mais fortes. Em meu nome, do João Batista e da Sheilinha, nosso beijo de respeito e de amor.
O abraço de todo coração do seu filho,
Marcos.

Desde este dia, D. Elite mudou muito. Ficou mais alegre e confiante. Seu Roberto está mais tranqüilo. Agora eles tem a certeza que a morte destrói apenas o corpo. O espírito continua vivo, no mundo espiritual. Nunca morre.

1 comentários:

Arnaldo Ribeiro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Postar um comentário