terça-feira, 22 de setembro de 2009

A MULHER ADULTERA

ATIVIDADE INTRODUTÓRIA

Apresentar ao grupo uma quadrinha de autoria de Cornélio Pires extraído do livro "Retratos da vida" psicografia por Francisco Cândido Xavier edição CEC 1974.

SE VOCÊ SOFREU OFENSA
LEMBRE O PERDÃO DE JESUS
QUEM SE OFENDE AJUNTA SOMBRA,
QUEM PERDOA TEM MAIS LUZ.

ATIVIDADE REFLEXIVA:
Comentar a quadrinha

PERGUNTAR:


O que quer dizer: "Quem se ofende ajunta sombra".

Que luz o ato de perdoar oferece?

Ouvir as respostas acrescentar se necessário as seguintes explicações:
O Ódio, o ressentimento e a mágoa agem como sombras que impedem se veja a situação com clareza. Traz sofrimento e desequilíbrio para quem o sente.
Já o perdão é como uma luz em nossa vida. Essa luz se traduz na claridade do entendimento e da compreensão

NARRAR A MULHER ADÚLTERA

Conduzir o grupo as seguintes reflexões:

Perdoar é difícil?
Qual foi a lição que Jesus deu sobre o perdão?
A mulher que foi perdoada compreendeu a lição? Mudou sua vida?
Ela se perdoou?
Como a mulher agiu quando, tempos depois foi procurada pelo marido?

Concluir dizendo que:

Perdoar, verdadeiramente significa não ressentir o mal que nos fizeram
É necessário a reconciliação com o adversário, conforme nos alertou Jesus"Enquanto estamos com ele no caminho"Mateus5:25
O pecado para Jesus é quando contraríamos as leis que regem a vida que são as leis de Deus.
Há pessoas que afirmam "Eu perdôo, mas não quero nunca mais ver o fulano na minha frente. Para perdoar é natural não aceitar o que nos fizeram, mas devemos nos esforçar para compreender a pessoa.
Muitas vezes necessitamos buscar o perdão de alguém a quem ofedemos. Por isso precisamos compreender o ofendido não exigindo nada que no momento ele não possa dar como, por exemplo, que nos perdoe imediatamente.

Narra o Evangelho que uma mulher foi surpreendida em adultério e isso representava uma grave ofensa que levaria a adúltera a pena de morte por apedrejamento.
O marido que a denunciou gritava:
- Morte a adultera!

Fig.1- As autoridades, seguidas pela multidão, conduziram a pobre mulher até o templo onde Jesus se encontrava. Chegando lá perguntaram:
- Mestre, essa mulher foi apreendida em adultério. Segundo a Lei de Moisés, ela deve ser apedrejada. E tu Mestre? O que dizes? Jesus nada falou. Inclinou a cabeça e começou escrever na areia.
As autoridades, confusas, insistiram na pergunta. Jesus, olhou para a multidão e, fixando o olhar sobre o marido da mulher infeliz disse:
- Aquele que estiver sem pecado, atire a primeira pedra!
E novamente voltou a escrever na areia.
A multidão surpreendida com a resposta começou a se retirar. Primeiro os mais velhos, seguidos, depois pelos mais novos.
Então Jesus virando-se para a mulher, perguntou:
- Onde estão os seus acusadores? Ninguém te condenou?
-Não Senhor! Ninguém! - respondeu ela.
- Nem eu, também te condeno! Vá, e não tornes a pecar... - disse-lhe Jesus.
A mulher lançou um olhar de gratidão a Jesus e se retirou feliz. Perdoou-se também!



Fig.2- Dizem que ela, depois desse episódio renovou a vida.
Procurou reparar o seu erro através de uma conduta reta, devotando-se ao bem.
Um dia, bateu-lhe à porta o esposo que, naquela ocasião, a conduziu ao apedrejamento.

Profundamente arrependido, pediu-lhe perdão, pois a consciência lhe advertia  que, também ele, tinha sido um mau companheiro e, por isso, não tinha o direito de julgá-la.




Fig.3- A mulher lembrou-se de Jesus e, em seguida, abraçou fraternalmente aquele que tinha sido seu marido.
No seu coração, não havia mágoas nem culpas. Em prece, agradeceu ao Mestre pelo grande ensinamento do perdão.






























0 comentários:

Postar um comentário